Air China e Delta: Crise Pospõem Novas Rotas

6 de May de 2009 | Por | 4 Comentários More

Diante da crise, várias cias têm reavaliado seus planos de expansão e entre elas estão a Delta e a Air China.

A Delta que tinha anunciado o início da rota ligando São Paulo a Los Angeles para maio de 2009, fez uma solicitação de adiamento do início dessas ao DOT (ANAC americana) para 30 de junho de 2009. Especula-se que o vôo que inicialmente era previsto para ser regular, possa vir a ser operado sazonalmente num primeiro momento.

A Air China que chegou a anunciar sua volta ao Brasil para março de 2009 e vendeu um monte de passagens promocionais, o Aquela Passagem chegou a fazer um post destacando as tarifas praticadas, sem mais nem menos mudou a data do início das operações para junho de 2009 causando muito transtorno aos consumidores. Não é que agora ela pospôs o início das operações para julho de 2010?

Olha, cancelar suas operações todo mundo pode, principalmente diante de alguma crise mais importante, o que não pode é ficar trocando datas a todo momento e gerar estresse no consumidor como a Air China está fazendo. Atitudes assim afastam o consumidor consciente de uma cia aérea pois geram sensações de falta de profissionalismo e insegurança no consumidor que fica na dúvida se vai mesmo conseguir voar.

A Air China orienta 0s consumidores que compraram bilhetes para Madri pedirem reembolso dos valores pagos (quem comprou para China vai ser reacomodado), mas ela esquece que segundo o Código de Defesa do Consumidor, o consumidor portador de uma passagem já emitida (contrato de transporte) é que define se quer o dinheiro pago ou se quer ser reacomodado. Ele não tem nada a ver com a decisão comercial da cia de deixar de voar para um determinado local. Se ela se negar, procure o Procon ou  o Juizado de Especial de Consumo e busque seus direitos.

Vendeu passagem barata por que quis, então assume o prejuízo.  A cia chinesa pode até apelar a Tam com quem recentemente firmou um acordo de code share.

Obrigado ao Gustavo pela dica do post da Air China.

Tags: , , ,

Category: Cias Aéreas, Consumidor, Novos Vôos

Comentários (4)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Lvcivs says:

    Uau, ficou irado o site novo! Agora que vi (acompanho pelo RSS).

    Tomara que a Air China leve um créu bonito do Procon-SP pra largar de ser malandra…

    Responder

  2. Arthur Barbosa says:

    Pessoal,
    Eu comprei em Março, juntamente com mais 3 amigos, vôos da Air China para Madri em Setembro. Ontem fui ver meu e-ticket e os vôos apareciam como “Unconfirmed”, para minha surpresa. Liguei para o decolar.com, e eles ficaram de me retornar hoje. Eu desconfiei que isso pudesse mesmo ter acontecido.
    Vocês podem me ajudar me passando o e-mail do departamento comercial da Air China ou alguém de direito lá dentro? Como agir nesses casos se eles não aceitarem reacomodar a mim e meus amigos em outro vôo?
    Abs,
    Arthur

    Responder

  3. Gustavo says:

    Caro Arthur,

    Falei com um advogado e ele disse que poderia entrar com reclamação no Procon, ou com uma ação para conseguir uma liminar dando direito à endosso em outra companhia, levaria em torno de quinze dias, porém os custos ccom isto seriam em torno de $500,00 reais. No meu caso são duas passagens como as tarifas e o dollar estam caindo, ainda tenho dúvidas o que fazer, mas no seu caso que são 4 bilhetes…

    Responder

  4. Rodrigo Purisch says:

    Gustavo e Arthur,

    Entra em contato com a cia aérea primeiro por escrito ou email. Depois com o Procon e se não der certo no Juizado Especial de Consumo.Para nenhum deles você precisa de advogado.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.