Barrados na Espanha 2: As Regras Espanholas

7 de March de 2008 | Por | 18 Comentários More
Queremos informar e não polemizar

Com ajuda do Tony, que é espanhol, e está indignado também com a situação atual que tem transformado todo espanhol em inimigo de uma forma inacreditavelmente simplista e sem fundamento – vale lembrar que brasileiros somos melhores em exigir nossos direitos em outros países do que aqui mesmo- vou postar as regras sobre comprovação de fundos contidas na legislação espanhola que rege a entrada de estrangeiros, que por sua vez são baseada nas regras da União Européia:

O estrangeiro deve demonstrar, no momento da entrada, que dispõe de recursos econômicos ou meios de vida suficientes para o seu sustento e das pessoas que viajam com ele durante o período de estada na Espanha, e que está em condições de obter tais meios de forma legal, assim como cobrir os custos de translado a outro país ou o retorno ao país de procedência.

Posteriormente foi definido o que quer dizer recursos econômicos ou meios de vida suficientes:

Para seu sustento, a quantia deve alcançar em Euros uma quantidade de cerca de 10% do salário mínimo interprofissional bruto (em 2007 era de 570,60 Euros), ou seja 57 Euros por dia (ou equivalente em moeda estrangeira) multiplicado pelo número de dias que pretende ficar na Europa e pelo número de pessoas que viajam sob sua responsabilidade. Mas independente do tempo, essa quantia deve alcançar 90% do valor do salário mínimo interprofissional bruto que representa 513 euros. O tempo é contado entre as datas constantes no bilhete (aéreo, ferroviário ou marítimo) que deverá ser nominal e intransferível.

A quantidade necessária poderá ser provada mediante apresentação de papel moeda, cheques de viagem ou cartões de crédito. Esses últimos devem ser acompanhados de extrato da conta bancária recente (não são aceitos extratos bancários emitidos pela Internet) de forma a comprovar fundos para custear os gastos no citado cartão.

Se o estrangeiro não possuir uma passagem nominal e intransferível e/ou não conseguir provar recursos suficientes para custear sua permanência na Espanha e/ou para continuar sua viagem ao país de destino ou ainda para custear sua volta ao país de origem será negado sua entrada em território espanhol.

Em casos excepcionais poderá ser liberada a entrada de estrangeiros, mas reduzindo o tempo de permanência proporcionalmente aos recursos apresentados, mas será mantida a exigência mínima de 90% do salário mínimo interprofissional (513 Euros). Mas nesse caso, antes da entrada definitiva o estrangeiro deverá apresentar um novo bilhete com datas de retorno anteriores as determinadas pela imigração.

Estão desobrigados a cumprir essas regras:

Aqueles que possuírem passaportes válidos e sejam titulares de autorização ou carteira de residência ou de permanência para estudos em vigor na Espanha ou em qualquer membro da União Européia ou Andorra, além dos portadores de carteiras diplomáticas ou de carteiras de trabalhador transfronteiriço.

Aqueles que se apresentarem nos pontos de imigração com passaporte válido e visto já emitido e em vigor para residir, residir e trabalhar ou para estudos.

A mesma lei fala de que a solicitação de comprovação de recursos será sistematicamente e exaustivamente realizada nos postos de fronteira marítima, aérea e terrestre, mesmo lá seja realizado apenas escala, com ênfase nos nacionais de países estatisticamente mais envolvidos em imigração ilegal.

Portanto, cabem a nós candidatos a emigrantes conhecer as regras antes de solicitar um visto de entrada em um país. Vale lembrar que toda aquela burocracia nos aeroportos faz parte do processo de concessão de visto. Alguns países permitem que esse processo seja feito nos aeroportos, outros como o Japão, EUA, Canadá e Austrália solicitam que o processo seja realizado anteriormente a chegada do passageiro em um consulado.

Não são só esses requisitos, outros estão nessa matéria da Folha de São Paulo.

Fonte: Boletim Oficial Del Estado

Tags: , , , , , , , ,

Category: Aeroportos

Comentários (18)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Anonymous says:

    Pelo menos, agora ningem pode alegar desconhecimento. Com menos de 500 euros, ningem viaja para a Europa, nem em Albergue… Alias considerando-se comida, passeios e outros extras, voce chega a pelo menos 80 euros por dia, sendo bem economico.

    Pato Economico

    Responder

  2. Carol says:

    Olá!!!
    AMANHÃ COMEÇA A PROMOÇÃO DE TAMA DE FIM DE SEMANA!!!!
    Só uma contribuição pro Blog!!!!
    Bjos!

    Responder

  3. Rodrigo Purisch says:

    Pato,

    Essa é a intenção. Quando vou visitar a casa de alguém devo saber como me comportar e como faço para chegar.

    Carol,
    Obrigado!! Recebi seu comentário no monento em que publicava a oferta no blog! Toda contribuição é muito bem vinda!

    uma abraço aos dois

    Responder

  4. Anonymous says:

    Obrigada por sua informação!
    e um abraço.
    Carmen

    Responder

  5. Elisa says:

    Rodrigo,
    excelente seu texto, mais uma vez venho lhe dar os parabéns por vc colocar de maneira fácil, tranquila e muito esclarecedora um assunto tão importante para todos nós que amamos viajar.
    Eu sempre viajei pelos mais diversos países do mundo (Inclusive e princialmente EUA e Espanha, com mais frequencia) e nunca tive qualquer problema. Agora muitos amigos me perguntam se eu não estou receiosa ou com medo, mas eu respondo exatamente como vc escreveu no comentário acima: “quando vou visitar a casa de alguém devo saber como me comportar e como chegar”.
    Com esta frase eu creio que vc resumiu tudo. Simples assim!

    Responder

  6. Rodrigo Purisch says:

    Carmen,

    É minha obrigação, não precisa agradecer

    Elisa,

    Gosto primeiro de ter as informações todas na mão antes de fazer esses juízos de valor. Vamos contribuir para informar e não para vender jornal!

    obrigado pelo apoio

    Responder

  7. Rodrigo Purisch says:

    An�nimo,

    Seu coment�rio j� foi publicado uma vez. Por ser an�nimo, duplicado e por ser direcionado especificamente a uma pessoa optei por moder�-lo.

    O blog � um espa�o aberto que se dedica mais a informa�o.

    Responder

  8. Ana says:

    Obrigada por publicar uma matéria esclarecedora e séria. Sinto-me envergonhada quando leio a maioria dos jornais brasileiros que demonstram empenho em criar polêmicas infundadas para manipular e não se dão nem ao trabalho de contrastar as informações e dopoimentos. Para mim isso está longe de ser trabalho jornalístico.
    Um abraço

    Ana Cláudia

    Responder

  9. Luciana says:

    No Brasil sempre foi o pais do “entra quem quer”, falta fiscalizaçao nas fronteiras e controle de imigraçao nos aeroportos. Ha muito tempo a España e paises europeus vem fazendo exigencias mais duras porque o numero de imigrantes que entram dizendo que fazem turismo e ficam aqui e enorme. Muitos entram em depressao porque nao conseguem emprego (e necessario estar legal, ter permisso de trabalho).Nao sei quem foram essas pessoas que chegaram e foram deportadas, mas devem ser gente “importante”. Nunca ouvi reclamarem em favor dos muitos brasileiros que foram impedidos e entrarem e ficaram presos…sempre foi assim.

    Responder

  10. Augusto says:

    Reforço aqui um comentário que já fiz: ações deste tipo só são tomadas no Brasil após muita pressão da mídia. Essa regra sempre existiu! De novo: quem é o cônsul do Brasil na Espanha? O que ele faz? O Itamaraty faz bastante cocktail…só…

    Responder

  11. Neide. escolhida says:

    Cara Colegas,viajeia no ultimo dia 26/04 para Madri passando por Paris. Levei quase 100 euros por dia, mais o seguro de vida que eles exige de 30,00 mil,paguei hotel um tal hotel Regina proximo ao aeroporto de Madri. Mais infelismente, não tive sorte,na hora do visto ao passaport, fui questionado dizendo que minha reserva do hotel era falsa,sendo que foi tudo paga numa empresa de turismo aqui de Cuiaba,(Ararauna,fiquei muito triste voltei,não carimbarao meu passaport. acho que em breve posso voltar. é isto que estou fazendo, apos decisão da empresa de turismo com o hotel.E sorte amigos não ser barrado nos aeroprto, mesmo c/ tudo que eles exige.
    obrigado por poder fazer meu comentario. Ass. Santos.

    Responder

  12. Rodrigo Purisch says:

    Neide,

    Que desagradável! Eles não tentaram checar a reserva com o hotel? Não justifica de forma alguma, mas eles devem ter ficado ressabiados foi com a localização do hotel. Normalmente hotéis perto dos aeroportos são utilizados por executivos ou passageiros em conexão.

    Como a relação entre as duas partes (Brasil e Espanha) não anda boa, alguns são escolhidos para pagar o pato ou são vítimas de uma rigidez maior ou mesmo desconfiança de um fiscal.

    De qualquer forma, mesmo preenchendo todos os requisitos, cada país pode escolher quem ele deixa entrar em seu território.

    Existem outras portas na Europa e outros destinos para serem visitados além da Espanha.

    Boa sorte na próxima viagem.

    Responder

  13. Anonymous says:

    Neide, se voçé viajou “para Madri passando por Paris” voçe foi barrada na França porque o control de pasaportes se faz no pais de entrada a Europa, mesmo que seja só pra fazer conexâo.
    Por outro lado o Hotel Regina é um hotel tradicional e muito conhecido de Madrid, só que ele está no rúa mais céntrica da cidade e nao perto do aeroporto.

    Responder

  14. Gustavo says:

    Rodrigo me tire uma dúvida, estou querendo ir para Lisboa na casa do meu tio, a Iberia ta com umas tarifas muito boas, só que faz conexão em Madri, me de umas dicas, memso eu indo para Lisboa vc acha que terei problemas em Madri

    Responder

  15. Elisangela Cavalcante says:

    Rodrigo, é um prazer “falar” contigo.
    Preciso de sua ajuda: Eu, meu esposo e uma amiga.Em média 30 anos, estamos nos programando pra fazermos uma viagem de férias em Janeiro de 2010, para a Espanha(Madri) e se possível Itália(Roma), mas confesso que fiquei com medo depois de ler todas essas informações. Até por que vamos começar a pagar o pacote agora em Julho 2009 e sinceramente é a 1ºvez que vamos pra fora e estamos economizando bastante, mas não sei se teremos aproximadamente 513 euros em dinheiro, pois eu e meu esposo soma-se, mais de 1.000 euros, disponíveis.
    Não estou dizendo que iremos sem nada, pois possuimos cartões de crédito e débito e acredito que até lá, iremos fazer o cheque viagem.
    Não temos experiência nenhuma em viagens pra fora. Estou começando a pesquisar agora, mas sinceramente só achei até agora o seu comentário esclarecedor, pois em outros sites é muito superficial. Você pode me ajudar! Essa viagem pra mim É UM SONHO DE ANOS!!!

    UM ABRAÇO E OBRIGADA

    Responder

  16. Alex says:

    Rodrigo,
    Boa tarde, parabéns ae pelo seu “blog” eh sempre bom ter esse tipo de esclarecimento.
    Bom faço das palavras da colega acima as minhas, pois tb nunca viajei para fora do Brasil e estou planejando uma viajem para a Espanha (A Corunha) em Jan/Fev de 2010. Gostaria de saber se no meu caso onde possuo cidadania portuguesa/ passoporte europeu, terá esse tipo de burocrácia tb ? Ou pra quem possui esse tipo de documento a entrada é mais tranquila ?
    Obrigado,
    Um Abraço e conto com sua atenção.

    Alex

    Responder

  17. levi marinho says:

    na minha opinião o Itamarati deveria ser mais agil,en vez de so ficar fazendo cockteis para delegações extrangeira en visita ao nosso pais.as autoridades brasileiras infelizmente não passam de um cabide de emprego.se pagar mos na mesma moeda sertamente isso acabara.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.