Decidir-se por Onde ou Quando

30 de August de 2006 | Por | 15 Comentários More
A procura de uma boa passagem aérea pode ser determinada pelo local aonde se quer ir ou quando se quer viajar. Sempre que possível evite limitar-se a um único destino. Abrindo o seu leque de possibilidades, você aumenta as chances de obter uma boa tarifa para algum dos destinos desejados.
Se aquele destino for algo que você não abre mão, tente pelo menos encontrar opções de locais próximos com grande afluxo de vôos.

Pode sair mais em conta, por exemplo, ir para Londres e depois para Paris do que um vôo direto para Paris. Um vôo direto para Europa pode ter valor igual ou levemente inferior a um vôo via EUA (que pode ainda permitir uma parada na terra do Tio Sam, de graça) para Europa. As cias nacionais tendem ter preços mais elevados nos vôos diretos em direção à sua metrópole ou Hub (pontos de distribuição de vôos) e as suas concorrentes regionais tendem a ter tarifas menores, mesmo que isto implique em um vôo mais longo para atingir o mesmo destino. Essas curvas podem ainda ser úteis para aqueles que gostam de acumular milhas aéreas. Portanto, se o tempo gasto no deslocamento é um problema para você, prepare-se para pagar um pouco mais por isso.

Definir quando ir tem implicações ainda maiores. A indústria da aviação classifica os períodos do ano, para cada rota, em alta estação e baixa estação. Algumas cias. chegam a ter outras estações, como a “estação de pico” (o pico da alta estação) e “shoulder” (ombro, entre os picos da baixa e alta estações).

Como essa classificação depende muito do país de onde se sai e principalmente para onde se vai, tente estudar as épocas onde as passagens são tidas como de baixa estação para os destinos desejados. Baixa estação não quer dizer tempo ruim exclusivamente! Épocas como a primavera e o outono, início e fim do verão costumam ser períodos de baixa estação ou “shoulder”. Alguns destinos como Japão e EUA podem ter temperaturas generosas associadas a acomodações e tarifas bem atraentes nessas épocas.

Fuja da manada de turistas! Janeiro, julho, agosto e dezembro costumam ser meses mais complicados na procura daquela passagem. Fuja ainda dos feriados nacionais prolongados nos destinos escolhidos. Nessas datas, o próprio turismo local encarrega-se de eliminar as boas tarifas, como por exemplo Carnaval e Semana Santa aqui no Brasil.

Não se esqueça que melhores tarifas são associadas a partidas de domingo a quinta feira. Sextas feiras e sábados costumam ter tarifas mais altas. Portanto, se seu tempo disponível é bem determinado e inflexível, prepare-se para pagar mais por isso.

Como muitos planejam uma viagem com muita antecedência, pode ser factível iniciar-se  o planejamento de uma viagem pela escolha de um determinado destino muito desejado. Após essa definição inicial deve-se iniciar um estudo do destino escolhido no que tange seu clima, feriados  locais e épocas tidas como de baixa estação ou “shouder”. Com essas informações na mão, fica mais fácil escolher uma data onde seja mais provável achar aquela passagem sem perder nada daquele sonhado destino.Sites como o Kayak e FareCompare (agregadores internacionais) podem ajudar na definição das épocas com tarifas mais acessíveis . O Travelocity era muito útil, porém está indisponível para buscas flexíveis para vôos fora dos EUA e Canadá.

Se essa opção acima de começar seu planejamento pela escolha do destino e posteriormente  da data da viagem for algo impossível diante do seu estilo de vida ou trabalho, então tente ao menos iniciar seus preparativos com o máximo de antecedência possível, pois as boas tarifas tendem a desaparecer rapidamente próximo ao mês desejado. Mas nada está perdido, pode ser que você consiga uma superpromoção de última hora na baixa estação, mas com certeza você terá que ser mais flexível com datas e destinos. Estas superpromoções são mais comuns na Europa e nos EUA e muito raras nas terras brasileiras geridas pela ANAC. Felizmente as bandas tarifárias impostas pela ANAC (intervalos de preço no dentro dos quais as tarifas internacionais podem variar) têm sido retiradas (não há mais o uso de bandas nas tarifas dentro da Am. do Sul e as demais tendem a cair no futuro) e quem sabe no futuro esse tipo de promoção não pouse aqui?

No caso das tarifas nacionais, tem sido comum nos últimos anos diversas promoções de próximas a períodos de férias ou feriados. O problema é que não há garantia da sua ocorrência e planejar uma viagem contando com uma promoção que pode não chegar pode acabar gerando um estresse desnecessário.

Category: Planejar e Comprar

Comentários (15)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Marla says:

    Oi,
    Com a queda do dolar é um bom momento para comprar passagens aéreas para a Europa, mesmo que a viagem nao seja realizada agora, e sim daqui a alguns (talvez muitos) meses??

    Como a gente pode se aproveitar desse momento de queda livre da moeda americana para conseguir viajar por um precinho mais em conta?

    Responder

    Celso respondeu:

    As previsoes, repetindo PREVISOES, avaliam o dolar a 1,80 no final de dezembro . Por este aspecto, voce poderia aguardar o máximo possível para tendo o dinheiro aplicado beneficiar-se da alta taxa de juros do mercado.
    Entretanto, o tráfego aéreo vem lentamente se recuperando e a oferta tende ao menos em 2010 crescer menos que a procura. Sob esse prisma os bilhetes tendem a ter preços mais elevados ao longo do ano.
    Saber onde essas curvas irão confluir é a questão. Algo dificil aos pobres mortais como nós.

    sds

    Responder

  2. Rodrigo Purisch says:

    Marla,

    Quando você compra uma passagem, o preço é convertido em reais no dia da compra ou do pagamento do cartão.

    As passagens têm validades diferentes.

    Você pode comprar uma passagem hoje para viajar até um ano. Mas o dolar pode cair mais também. As passagens compradas para vôos em datas distantes geralmente têm tarifas mais altas e raramente são promocionais. Mas algumas podem ser reembolsadas com pequenas multas em caso de desistência.

    Vale a pena aproveitar o dólar para ir aos destinos mais distantes como a Ásia ou onde o dólar vale mais como na Argentina. Europa com um Euro supervalorizado perde a graça.

    Responder

  3. Ana Lizete Farias says:

    Rodrigo, onde posso conseguir informações sobre viagens para a Africa.Trabalho com meio ambiente e estou pensando em visitar o Quenia.Abraços, Ana

    Responder

  4. Rodrigo Purisch says:

    Ana,

    Tem alguma coisa sobre a África do Sul e Safaris no Blog do Arnaldo (Fatos e Fotos de Viagens).Mas de àfrica em geral não conheço. Tente no Perguntódromo do Viaje na Viagem do Ricardo Freire (www.viajeaqui.com.br clique em blogs) que sempre tem alguém que vai te responder

    Responder

  5. Anonymous says:

    Olá Rodrigo, esta é a primeira vez que entrei em seu blog. Muito bom!! Procurei no Blog algo sobre viagem de Lua de Mel, mas não achei. Por favor se puder me indicar sites sobre o assunto ficarei grata. Parabéns pelo blog…abraços Marina

    Responder

  6. Rodrigo Purisch says:

    Marina,

    vaije na Viagem Antigo para ler os posts :

    http://viajenaviagem.wordpress.com

    e na seção Perguntódromo do novo Viaje na Viagem para fazer suas perguntas:
    http://viajeaqui.abril.com.br/indices/conteudo/blog/viaje-na-viagem.shtml

    A comunidade faz o maior esforço para responder suas dúvidas.

    Ainda tem o Fatos e Fotos do Aranlado com várias viagens que podem inspirar as suas:
    http://interata.squarespace.com/
    Um abraço

    Responder

  7. Patricia Lima says:

    Rodrigo,

    Planejamos ir em 2009 à Disney com nossa filha. Em que épocas do ano você acredita que encontrariámos melhores tarifas?

    Obrigada!

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Patrícia,

    Fuja da alta temporada (final de dezembro/Janeiro e Julho/agosto). Fique atenta as promoções. A cotação do dólar é que vai influenciar muito o preço final da passagem, já que em dólares os preços estão bons. Você pode esperar para ver o que via ser da decisão sobre o fim das bandas (está sendo discutida na justiça) e seu impacto nas tarifas. Se quiser vôo direto e morar em São Paulo, a TAM tem vôo de São Paulo a Orlando, mas paga-se um extra por isso.

    Responder

  8. Alessandra Pires says:

    Rodrigo

    eu e meu marido queremos ir para São francisco e las vegas em setembro. Tem dicas de passagens?

    Responder

  9. Vanessa says:

    O que compensa mais (em relação a preços) no caso de uma viagem aos EUA que englobe várias cidades (costa leste e oeste)?

    Comprar uma passagem multi-city (por exemplo, São Paulo – Nova Iorque – Chicago – Los Angeles – São Paulo) ou comprar uma passagem ida e volta do Brasil para um mesmo lugar (por exemplo, Nova Iorque) e adquirir voos domésticos para as viagens lá dentro dos EUA? Neste último caso, quais as cias. aéreas internas que costumar praticar os menores preços, lá nos EUA?

    Obrigada,
    Vanessa.

    Responder

    David respondeu:

    Vanessa, os EUA tem várias low-cost, as + famosas JetBlue, Southwest e agora a Virgin America… o problemas são as taxas que se pagam… sugiro que faça uma simulação de open jaw, ou seja, SAO-NYC e LAX-SAO, deixando os demais trechos para compras avulsas… se pegar boas promoções, dá pra economizar uma boa grana. Outra dica é usar milhas nos trechos internos. Espero ter ajudado.

    Responder

    Celso respondeu:

    Vanessa,
    Viajando COM BILHETE PAGO entre QUALQUER origem internacional e a America do Norte, uma opção muito vantajosa seria a STAR ALLIANCE AMERICA DO NORTE AIR PASS.
    Viajando o trecho internacional com uma companhia da Star os trechos internos tem custo de US 130, por voo, independetemente da distancia
    podendo ser emitido até 10 trechos, num mínimo de 3.

    Mais de 300 destinos. 20 países. 1 bilhete.

    Com um Airpass América do Norte Star Alliance , pode escolher entre uma variedade de destinos em 20 países nas Bermudas, Canadá, Caraíbas, México e EUA servidos pela rede Star Alliance. Um único Passe Aéreo irá levá-lo até um máximo de 10 destinos.
    Um Passe Aéreo representa um valor excelente, sendo igualmente muito flexível e cómodo. Para alguém que sempre quis viajar por toda a região, são a escolha ideal.

    A escolha é sua

    Pode adquirir um mínimo de 3 e um máximo de 10 cupões, com preços baseados no número de cupões e no ponto de origem. Por outras palavras, só paga aquilo que voa.
    Basta-lhe escolher os seus destinos e nós calcularemos o custo.

    Onde posso ir?

    O Airpass América do Norte Star Alliance permite-lhe escolher entre mais de 300 destinos de aeroportos em 20 países. Estão incluídos:
    Antigua • Aruba • Baamas • Barbados • Bermudas • Canadá • Ilhas Caimão • República Dominicana • Granada • Guadalupe • Haiti • Jamaica • México • Antilhas Holandesas • Porto Rico • São Cristóvão – Nevis e Ilhas Leeward • Santa Lucia • Trindade & Tobago • Ilhas Turcos & Caicos • EUA

    Com este Passe Aéreo pode viajar nas seguintes companhias membro da rede Star Alliance: Air Canada, Continental Airlines, United e US Airways.
    http://www.staralliance.com/pt/fares/regional-fares/north-america-airpass/
    Enjoy it.

    Ah. ia me esquecendo http://www.oneworld. com e http://www.skyteam.com devem ter produtos semelhantes, em outras companhias.

    Responder

  10. Fabrício says:

    Por que companhias aéreas e sites de busca no Brasil não tem opção múltiplos destinos, em que se chega por uma cidade e sai por outra?

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Sistema ruim mesmo… Assim te obrigam a comprar via Call Center e pagar uma taxa por isso…

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.