Delta Compra Participação na Gol. O Que o Futuro nos Reserva?

8 de December de 2011 | Por | 34 Comentários More

A Gol anunciou em fato relevante que a americana Delta comprou uma fatia de 2,9% da Gol por cerca de 100 milhões de USD. Com isso, foi criada mais uma cadeira no conselho de administração da Gol a ser assumido por um representante da Delta, que no momento será o próprio presidente da Delta.

Como resultado dessa compra, a Delta passará no futuro a ter code share (código compartilhado) em vários vôos da Gol, além de permitir que os consumidores do site da Gol possam adquirir passagens da Delta nele. A Gol deve também ter code share em vôos da  Delta para os EUA e outros mercados. O code share que a Gol tem a American Airlines deve acabar no final do terceiro trimestre de 2012.

A Gol conseguiu ainda repassar a Delta dois B767 que ela renegociou contratos visando manter parcialmente a malha internacional da Varig no ar. Como não conseguira fazer essas aeronaves darem lucro (sempre achei que um vôo São Paulo/Fort Lauderdale low cost poderia pelo menos empatar o custo da aeronave…), as mesmas passaram a ser uma fonte de problemas e prejuízo à Gol.

Fala-se ainda que a Gol poderia operar vôos para Miami arrendando aeronaves da Delta e usando as permissões de vôo da brasileira, já que as possibilidade de vôo operados por cias americanas hoje são restritas devido a acordos bilaterais. Seria uma forma de Delta voar mais vezes para o Brasil travestida de Gol e usando as permissões de vôo que sobram do lado brasileiro.

Minha Análise

Como já disse, a Gol como todas as demais cias aéreas nacionais, exceto a Tam que já foi comprada pela Lan, está à venda. Oferecemos um grande mercado e um potencial de crescimento acima de outros pontos do planeta, dependendo apenas de uma maior infra-estrutura, além de margens de lucro acima de outros mercados.

Só não vimos os grandes negócios acontecerem até agora pela demora na aprovação do aumento da participação de capital externo nas cias aéreas nacionais. A Gol aproveitou a redução do interesse da Ryanair na Webjet, possivelmente diante da demora na mudança da legislação e da piora do quadro econômico na Europa, para tirar uma possível concorrente do mercado, assim como fez com a Varig.

O segundo desafio a ser vencido pelas pretendentes internacionais é a relação espúria entre cias aéreas e Governo que dificulta a criação de um mercado competitivo no Brasil, além de uma legislação trabalhista muito mais rígida que a Americana e mais complexa que a Européia.

Esse passo da Delta é apenas o início de algo que pode crescer diante de uma maior liberalidade no nosso mercado. Não me importa se a Gol tem capital americano, se a Tam tem capital chileno e por ai vai. Contanto que criem um ambiente de concorrência como acontece no exterior e sejam bem administradas dando segurança ao mercado, me dou como satisfeito. Difícil vai ser conseguir mão de obra nacional experiente em aviação e com mente aberta, pois o mercado tem vivido na mão de poucos com os mesmos vícios.

O que me preocupa é uma Trip na mão da Latam e uma Webjet na mão da Gol, situações que só reduzem a concorrência interna e favorecem a combinação de tarifas.

Pura Especulação

Agora entramos no mundo da pura especulação. A Delta tem uma ligação muito forte com a Air France/KLM (só não houve fusão porque a legislação americana não permite). Delta e Air France/KLM (cias com que a Gol já tem um relacionamento mais próximo) e futuramente a Aerolineas Argentinas (cia com a qual a Gol planeja estreitar relações) fazem parte da Skyteam. Essa aliança tem sido bem liberal na admissão de novos sócios e parece ser aonde a Gol vai parar no dia que seus planos forem um pouco mais ambiciosos que os atuais.

Mas essa compra de participação na Gol pela Delta parece ter feito o acordo da Gol/Smiles com a American Airlines subir no telhado. Não me assusto se além do fim do code share da Gol com a American também venha ser seguido do fim da parceria entre os programas de fidelidade de ambas. A American está mais para acordos com a Latam no futuro.

Ainda continuo achando que a Tam sai da Star Aliance com a fusão com a Lan. Melhor ser ator coadjuvante numa aliança dominada pela Iberia/British e pela combalida American Airlines do que ser reles figurante na Star Alliance que no futuro próximo vai contar com a Avianca/Taca e com a Copa.

Na minha forma de ver, uma candidata nacional à Star Alliance em futuro um pouco mais distante e para um grande negócio com capital externo em um futuro não tão distante passa a ser a Azul (que mantém boas relações com a Lufthansa), já que a Avianca/Taca não dá sinais de investir ou integrar a Avianca Brasil ao grupo (ainda não entendi o porquê do gasto para mudar o nome Oceanair…).

Infelizmente, com a compra da Trip pela Latam, oops, pela Tam, a Azul passa ser a única cia nacional com capacidade de distribuir pelo Brasil passageiros de uma grande cia internacional que porventura tenha interesse em entrar no mercado nacional.

Resta agora saber qual vai ser o futuro da Tap, cia que tem vários vôos para o Brasil e que tem no nosso mercado um dos principais geradores de renda. Apesar do problema que é assumir uma estatal, a Tap é um ótimo complemento para qualquer cia brasileira interessada em reforçar ou iniciar uma presença na Europa complementando sua atuação no Brasil. Mas como nossas cias aéreas têm dificuldades em gerir seus próprios negócios, vamos aguardar para ver quem leva a Tap e que ao mesmo tempo levará um bom número de vôos diretos para importantes capitais brasileiras.

Para quem gosta como eu desse tema, o futuro promete surpresas. Torço para que sejam boas para o consumidor, pois até agora só vi concentração de mercado e pouco benefício aos consumidores. Façam suas apostas!

Tags: , ,

Category: Cias Aéreas

Comentários (34)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Eu também não vislumbro a permanência do acordo de emissão de bilhetes prêmio entre Smiles e AA, infelizmente. Será uma grande perda para o Smiles, porque a Delta raramente disponibiliza assentos e segundo os relatos que eu leio o tratamento ao consumidor deixa a desejar.

    A Gol estava namorando parceiros SkyTeam, agora noivou, só falta casar de vez.

    Responder

  2. Minha opinião sobre alocação de milhas aéreas no 1º semestre de 2012: NEBULOSO!

    Eu deixarei as minhas na conta do banco.

    EUA: Como não tenho cartões que enviam para o Aadvantage, trabalhar com:

    TAM) Implica em lidar com uma tabela flutuante e implica no péssimo atendimento em solo. Qual será a sua aliança futura?

    LAN)Dificultou a emissão, sua tabela também não é mais atrativa, além do que não saberemos qual aliança participará;

    SMILES) Para quem vai emitir para depois do segundo semestre, terá a AA como opção? ou somente a gloriosa DELTA?

    EUROPA:

    TAP) Além de não sabermos qual aliança participará, (tomara que não saia da Star Alliance) os preços para a Europa estão tão baixos que nem vale a pena emitir em econômica.

    TAM) Com sua tabela de restrita e irrestrita só para quem tem muita disponibilidade de tempo e saco para caçar as melhores tarifas, além do que não sabemos qual aliança ficará.

    Portanto turma, teremos um período de indefinições pela frente.

    Responder

    Erico respondeu:

    Wilian,

    Realmente você tem toda razão, nesse ano de 2011 fiz meus trechos nacionais pela TAM e para Europa com a TAP, mas para 2012 não sei se troco para Smiles ou se continuo voando TAM e acumulo no Fidelidade.

    Responder

    Wilian Delatorre respondeu:

    Erico, a melhor coisa é esperar. Algo vai acontecer com a TAP, mas torço muito para que ela fique na SA. Abraço!

    Responder

  3. milon says:

    Para os milheiros de plantão a perda da parceria entre AA e smiles será terrivel, pois mesmo que a delta supra a lacuna que eu duvido o hub deles é em atlanta, quem vai para aquele buraco, ou seja só vou com escalas para os eua

    Responder

    Wilian Delatorre respondeu:

    Que pesadelo!

    Responder

    Gabriel Dias respondeu:

    A Delta voa direto na rota GRU-JFK.

    Responder

    GDC respondeu:

    Gabriel,

    além de JFK e ATL, a Delta também voa direto para DTW.

    Responder

  4. Daniel Palma says:

    Quero acreditar no melhor más… Se esse cenário das trevas permanecer nem sei para onde corro.

    Responder

  5. Rodrigo Purisch says:

    Antonio,
    De fato a Varig não existe mais. Uma marca que valia muito jogada no ralo. O pior é que até hoje em muitos lugares para aonde a Tam não voa, as pessoas associam Brasil com Varig…

    Bola para frente…

    Responder

  6. Antes que mudasse emiti mais uma passagem em FIRST CLASS na AA. Assento marcado e ainda receoso em continuar usando o Smiles. Mas bola pra frente!

    Responder

  7. Eduardo says:

    Pelo que eu vi falando por ai… , a delta é melhor que a AA… porem nunca viagem pela Delta, ainda esse ano vou para miami… irei experimentar se eu nao consegui usar minhas minhas…. vamos ver…hehe

    Responder

    Wilian Delatorre respondeu:

    Tudo o que eu li até hoje (Aquela Passagem , Falando de Viagem, Reclame Aqui) no BRASIL a AA dá um banho na Delta. E em todas as vezes que eu liguei para procurar trechos na central Smiles em TODAS só tinha vagas na AA.

    Tomara que a Delta seja tão boa quanto a AA ou então melhore o seu serviço. hehe

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.