Direitos e Deveres dos Passageiros e o Comissário Celebridade

11 de August de 2010 | Por | 11 Comentários More

Todos já sabem que faço abertamente uma defesa dos direitos dos consumidores de passagens aéreas, mas muitos desses consumidores desconhecem seus deveres e ignoram completamente que vivem em sociedade.

Ignorar aviso de apertar cintos, orientações para se levantar apenas após a parada completa da aeronave, de fechar ou abrir o black out da janela, de levantar o encosto ou de ter cuidado ao retirar a bagagem dos compartimentos de mão são frequentemente ignoradas. Todas orientações visando a segurança do passageiro. Quem ignora essas recomendações, além de por em risco o próprio pescoço (um direito dele), coloca em risco os demais passageiros, o que definitivamente não é um direito dele!

Turbulências jogando passageiros contra o teto de aeronaves ou sobre os demais passageiros ou malas caindo na cabeça de outros passageiros não são eventos tão raros assim. Mas muita gente ignora isso. Ignora que ao deixar seu encosto abaixado pode levar dificuldades ao passageiro sentado atrás de evacuar aeronave em caso de necessidade. Mas se for dificultar a saída dele próprio, muitas vezes ele reclama.

Numa sociedade onde cada vez mais olhamos o próprio umbigo, temos que entender que temos que respeitar o umbigo do outro também.

Um desses fatos acabou gerando um pedido de demissão inusitado e criou uma celebridade.

Um comissário da Jetblue que correu para impedir que uma passageira abrisse o compartimento de bagagens de mão antes da parada completa da aeronave, acabou sendo atingido por uma peça de bagagem. Seguiu-se uma discussão cheia de Mother….. O comissário machucado fisicamente acabou tendo um acesso de fúria (o resto do dia não deve ter sido fácil), pegou o microfone da aeronave e ai mesmo pediu demissão. Tirou a gravata, pegou uma cerveja, abriu a porta da aeronave, acionou o escorregador inflável de emergência e pulou em direção ao solo. Pegou o carro e foi para casa. Deve ter feito ai o que muito comissário já morreu de vontade de fazer e que o senso de responsabilidade e de sobrevivência não o deixou fazer.

No final das contas, foi preso em casa e depois liberado. Está respondendo a um processo. Mas tudo isso o levou a condição de celebridade nos EUA, coisa bastante discutível.

A coisa cresceu tanto que uma tv de Hong Kong chegou a fazer uma animação em computação gráfica do caso. Só não consegui entender o que era narrado, pois meu chinês anda enferrujado…

O certo é que nem todo passageiro é santo e nem tão pouco todo comissário, mas todos devemos interagir sempre com respeito as regras, com educação e visando a proteção de todos que momentaneamente fomos postos no mesmo local por motivos diversos.

Category: Notícias

Comentários (11)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Flavia says:

    Parabéns Rodrigo, adorei! CONCORDO PLENAMENTE. A maioria das pessoas não gosta de cumprir regras e são elas que nos permitem viver em sociedade de forma organizada e respeituosa.
    É aquela velha historia “meu direito acaba quando começa o do outro”.

    Responder

  2. Mauricio Carneiro says:

    Em Hong Kong a JetBlue usa 747, interessante. 🙂

    Responder

  3. Emilio says:

    Acredito que a pressão nos comissários deva ser grande. Pois a empresa quer que o cliente seja tratado de maneira cordial. Mas ter que conviver com clientes que não obedecem as normas e ainda chegam a xingar os comissários deve ser “barra”.

    Responder

  4. Priscila says:

    Ótimo texto.

    Responder

  5. Aline Lima says:

    Ahhhh, eu não tinha como ficar sem dar um pitaco nesse post! Mas eu tenho tantas histórias de passageiros pondo a própria segurança e a segurança dos outros em segundo lugar que no comentário vai ficar longo… abrindo compartimento de bagagem durante taxiamento, levando bebês de colo pra trocar fralda durante turbulência, levantantando o enconsto de braço para sentar um bebê de colo entre dois assentos… E como o Emilio disse, levamos xingos de graça e ainda temos que sorrir! Exemplo: passageiro paquistanês pediu um comment form para reclamar que coletamos o cobertor DELE (será que ele não viu que recolhemos de todos os outros?), que nós estávamos sendo racistas, etc etc Mas será que ele nunca pensou que em caso de evacuação todo mundo vai se enroscar e tropeçar em cobertores?

    Responder

  6. Camila says:

    É o fim da picada mesmo. A falta de educação de alguns passageiros é absurda. Desconfiometro que é bom, nada…

    Responder

  7. Ernesto says:

    Nossa obrigação como passageiros, é sermos bem educados… Em mais de 30 anos viajando de avião nunca tive qualquer atrito com um comissário, embora já tenha por várias vezes exgido meus direitos, até mesmo de forma impostiva e um pouco groseira ao pessoal de terra, quando fui desrespeitado por estes, em casos de atraso, ou de perda de bagaem….

    Responder

  8. Wilian Delatorre says:

    Um exercício saudável é colocar-se no lugar da outra pessoa.

    O SE não existe mas SE:

    1) … os funcionários das empresas aéreas soubessem da importância que tem uma viagem na vida dos consumidores (anseios, sonhos,férias, compromissos profissionais, etc) procurariam atender e corresponder de forma mais positiva.

    2)….. se os consumidores compreendessem o desafio que é trabalhar nesse setor cheio de incertezas, por muitas vezes com riscos de trabalho(insalubridade), clientes desaforados e arrogantes e a mêrce do ambiente macro-ecônomico seriam um pouco mais tolerantes também.

    Educação, cortesia e tolerância não fazem mal a ninguém.

    Responder

  9. David says:

    Rodrigo, muito boa a matéria… o melhor é que vc sabe mandarim? Vive surpreendendo seus leitores… kkk… se vc me dá licença, gostaria de deixar o link de uma matéria muito interessante, publica no site meioaereo.com, muito voltado para a tripulação mas que nos ajuda a identificar o passageiro mala (rs, muito boa): http://www.meioaereo.com/index.php?option=com_content&view=article&id=121:aprenda-a-identificar-passageiros-mala&catid=103:humor&Itemid=477

    Responder

  10. Fabio says:

    Eh incrivel mas eh verdade. Tambem estou cansado de ver passageiros em atitudes completamente erradas se achando certos e donos da razão.
    O problema eh que existe muita gente que , que num supremo ataque de arrogancia , acha que pode fazer de tudo a bordo apenas pelo fato de estar pagando pela passagem.
    Esquece-se que ao adquirir a mesma também concordou em assumir obrigações .
    Por experiencia propria , cheguei a conclusão que o brasileiro medio que embarca em um vôo para Nova York acha que eh Deus . O que embarca em um vôo para Paris tem certeza que eh.

    Responder

    Felipe respondeu:

    Kkk, é verdade. Agora imagine o trecho GRU-JFK operado pela American na classe economica. Meu Deus, conhecidos que pegaram esse voo disseram que os passageiros só faltaram obrigar os comissarios a beijarem seus pés, porque de resto… Ridiculo essa situação, mau de alguns brasileiro de querer se achar melhor que todo mundo!

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.