Fidelidade Tam: Quais Serão as Mudanças? Dê Suas Sugestões!

13 de April de 2010 | Por | 45 Comentários More

Atualização: a imagem anteriormente usada neste post foi retirada do ar por pertencer ao blog ACAir de Gabriel Oliveria. Infelizmente, não sabíamos disso e acabamos usando a imagem sem sua permissão. Pedimos desculpas ao Gabriel pelos transtornos e optamos por retirar a imagem do ar.

A Tam a partir de 13 de maio transforma-se em uma cia Star Alliance (a entrada foi anunciada em outubro de 2008!), mas o que isso representa?

A Star Alliance é a maior aliança aérea mundial, a com melhor cobertura (tinha um buraco negro na Am. do Sul desde a saída da Varig) e a que mais cresce. Essa aliança favorece a redução custos das cias aéreas, uma maior integração de vôos por meio de code share que aumenta a malha vendida por uma cia da aliança, uma operação mais harmônica nos aeroportos (as cias tendem a concentrarem-se nos mesmos pontos dos grandes aeroportos mundiais) e abre as portas da cia aos consumidores fiéis de outras cias da aliança. Apesar de tender a ser um selo de qualidade ou padrão de serviços, a marca Star Alliance nem sempre consegue atingir esse objetivo, vide o caso da US Airways, por exemplo.

Para o consumidor da Tam, a entrada na Star Alliance representa uma disponibilidade maior de vôos de conexão com despacho único, possibilidade e acessar mais destinos usando a capilaridade das cias Star Alliance, o reconhecimento do seu Status Elite na Tam em outras cias Star Alliance (aumento de franquia, acesso a salas vips  e prioridade de check in e reservas dependendo do nível alcançado) e a possibilidade de pontuar no Fidelidade Tam em todos os vôos (desde que a tarifa permita) das cias Star Alliance pelo mundo.

Para quem viaja muito para o exteriorl, essas mudanças trarão muitos benefícios. Até hoje, uma série de antigos clientes Smiles Star Alliance sentem a falta de uma cia local associada a essa aliança. Muitos migraram para programas de outras cias Star, até incentivados por ofertas que as demais cias que operam no Brasil fizeram no momento da saída da Varig da aliança. Bem que a Tam podia fazer o mesmo e oferecer um status semelhante ao clientes Smiles Gold, mas isso já é pedir demais conhecendo o histórico da Tam e o grande número de associados elite do Fidelidade Tam.

Vale lembrar que a marca Star Alliance não protege os associados dos programas de fidelidade de suas associadas. Você não é associado Star Alliance ou tem pontos Star Alliance! Quem é associada é a cia aérea. Isso ficou bem claro no caso da Velha Varig, onde a Star eximiu-se de qualquer responsabilidade sob as milhas depositadas no Smiles que naquele momento corria o risco de falir. Cada programa continua seguindo suas regras próprias e não há obrigação de seguirem a mesma linha, exceto de fornecer tratamento aos associados dos demais programas Star dentro de um padrão estabelecido.

Por exemplo, a Air New Zeland não usa as milhas como forma de acúmulo de créditos no seus programa de fidelidade e a United oferece acesso restrito a sala vip nacional aos portadores de cartão Gold do seu Mileage Plus quando voando na econômica em outras cias que não a United ou Air Canada (mas dá acesso aos associados Gold das demais cias Star). Assim,  não há uma obrigação do Fidelidade Tam começar a pontuar em milhas voadas (como a maioria das cias Star) ao invés dos atuais pontos fixos por trechos, por exemplo.

Como as salas Vips internacionais da Tam vão suportar o aumento da demanda vinda dos demais associados Star (a entrada é permitida sempre que se tenha o cartão Gold e esteja voando em qualquer cia Star Alliance, não necessariamente na Tam) e dos seus inúmeros Fidelidade Vermelho, que não podiam acessa a sala vip internacional voando na econômica, ainda é uma incógnita. As filas de check-in específicas para os associados com cartão Vermelho já são longas o suficiente no momento atual e terão que suportar uma demanda ainda maior no futuro.

As mudanças já começaram a acontecer. Vários acordos individuais com cias Star Allliance vêm sendo firmados visando a integração total. A Tam recentemente mudou a estrutura tarifária de forma a seguir o padrão da Star e ainda migrou para o Amadeus, sistema mais usado na Star Allliance, mudanças que geraram uma série de problemas aos agentes de turismo (cancelamento de reservas, dificuldade de acesso ao site nas primeiras semanas, etc), aos passageiros (lentidão no check-in, milhas voadas e não computadas, etc) e a cia aérea (necessidade de treinamento de pessoal, aumento dos atrasos, reclamações de seus consumidores, etc). Mas essas são as dores advindas de toda mudança. Só espero que após passado esse período inicial não se tenha mais desculpas para a ocorrência deses fatos.

Mas o que vai ocorrer no Fidelidade Tam? Essa é a grande questão a ser respondida. De certo apenas que teremos mudanças, mais quais serão ainda  ainda não sabemos. Mudança de tabela de redenção de prêmios, criação do cartão Fidelidade Preto (o top), mudança na validade dos pontos, da disponibilidade de assentos nas cias Star são todas elas especulações.

Quem sabe eles não aproveitam e corrigem as falhas do Fidelidade Tam que o deixa menos competitivo que os grandes programas da Star Alliance. Aqui vão minhas sugestões de mudanças:

Aumento da validade dos pontos acumulados de 2 para 3 anos ou redução da validade para 18 meses com renovação automática toda vez que se pontuar no Fidelidade (voando ou usando serviços de parceiros ou os cartões de crédito da Tam).

Aumento da validade das passagens emitidas pelo Fidelidade, assim permitindo que as passagens possam ser emitidas com antecedência maior, de até uma ano, ao invés dos 3 ou 6 meses atuais. As pessoas gostam de programar suas viagens!

Pesquisa, emissão e alteração de passagens prêmio na Tam e nas cias Star Alliance diretamente no site da Tam sem a necessidade de passar por um call center ou loja (que não são muitas) com um atendente não muito interessado em realizar essa operação.

Possibilidade de mesclar trechos Tam de das cias Star para formar uma passagem sem ter a necessidade de emitir dois prêmios para isso (gerando aumento do número de pontos necessários), promovendo assim  uma equalização do acesso aos vôos internacionais das demais cias aos associados que não vivem no eixo Rio/São Paulo e permitindo que se atinja pontos não tendidos pela Tam sem que se tenha que voar todo o trecho em vôos de outra cia.

Multas por cancelamento ou alteração de passagens prêmio pagas em dinheiro e não em pontos.

Mais cuidado e celeridade no depósito na conta do fidelidade de milhas/pontos voados na Tam ou cias Star Alliance.

Uma política de prêmios Upgrade factível e não essa  atual que limita o upgrade as tarifas mais altas (mais altas mesmo!) inviabilizando o processo, já que o upgrade é um dos prêmios mais procurados nas cias Star.

Validade das milhas voadas na Tam e em todas as cias Star para qualificação de acesso aos níveis elite do Fidelidade Tam.

O Fidelidade Tam tem seus pontos fortes para quem voa primariamente dentro da América do Sul ou para quem emite passagens prêmio apenas para voar para fora da Am. do Sul na baixa estação. Mas após a entrada da Tam na Star Alliance e a possibilidade de acúmular milhas voadas na Tam em qualquer programa de fidelidade Star, os pontos fracos do Fidelidade para quem voa primariamente para o exterior, mas que também voa na Am. do Sul,  ficarão ainda mais patentes podendo abrir a portas dos demais programas Star aos associados insatisfeitos.

E você tem mais alguma sugestão de mudança ao Fidelidade Tam? Deixe sua sugestao na caixa de comentários deste post. Quem sabe ela não escuta seus associados!

Obrigado ao leitor Fábio que enviou a imagem dos cartões com logotipo Star!

Tags: ,

Category: Cias Aéreas, Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (45)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Gustavo T says:

    A TAM já tem o fidelidade black. Ele foi distribuído de forma restrita a 100 passageiros que mais voaram em 2008. Portanto, se você é como eu que possui bem mais que 1 milhão de pontos, deve estar também irritado.
    Acho que ele foi mais uma cópia barata do Concierge Key da AA, pois ele não dá vantagem real nenhuma.
    Certa vez vi um passageiro com cartão da Continental (!) disputando uma antecipação com um cliente black. Adivinha quem ganhou? A única coisa que sei é que os agentes do embarque são notificados quando há um cliente black viajando.

    Responder

  2. Gustavo T says:

    Tive o mesmo problema quando fui com minha família pra Orlando. Entrei na fila em Maio para voar em Janeiro! Na época consegui voar via AA pois havia o acordo. Cheguei também à conclusão de que é mais fácil vender os pontos TAM e comprar um bilhete.
    Sabe o que é interessante? Em alguns lugares há a menção de que não há restrições na America Latina. No relatório anual dos acionistas, não há restrições nenhumas! Se eu não conseguisse voar naquela época teria utilizado estes documentos para entrar como uma ação pois o proprio documento mencion o Fidelidade com um fonte de receita (ou alguém acha que os pontos são realmente grátis?).

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Aqui sempre defendemos a tese de que nada é grátis e sim adquirido a prestação por meio da sua fidelidade.

    Responder

  3. Alguém sabe quantos pontos ficou para voar ao Hawaii?

    Responder

  4. Fábio says:

    A TAM hoje disponibilizou no site todas as informacoes do Fidelidade Black.
    Nenhum beneficio significativo em relacao ao Vermelho.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.