Gol Lança Novo Sistema de Entretenimento: Muito Barulho Por Nada?

26 de August de 2011 | Por | 23 Comentários More

Pelo mundo afora, muitas cias têm cada dia mais investido nos sistemas de entretenimento como meio de ganhar mais passageiros e fazer o tempo passar mais rápido em viagens mais longas e desconfortáveis. A Gol está lançando o seu.

As principais apostas têm sido em sistemas AVOD (Audio and Vídeo on Demand) associados a telas cada vez maiores e de melhor definição (opção nas melhores cias aéreas do mundo, mas que custa caro), canais via satélite (como na Jetblue e Virgin América) e Internet (que renasce depois de quase ter desaparecido, mas que ainda é cara).

Meu preferido é o AVOD, sistema no qual você escolhe o conteúdo que quer assistir, pode parar e continuar quando quiser do ponto aonde parou. No Krisworld da Singapore ou no ICE da Emirates, por exemplo, o número de opções é tão grande que você acaba passando um bom tempo só escolhendo o que deseja ver ou ouvir.

A Gol decidiu implantar, segundo o press release, um sistema único no mundo, o Gol no Ar, que se baseia na oferta de conteúdo acessível por meio de rede sem fio, Wi-Fi. Para isso, o passageiro deve usar um dispositivo móvel de sua propriedade. Desde que li a primeira notícia sobre esse sistema, acabei criando uma associação dele com o novo padrão de tomadas do Brasil: o mais seguro e o melhor do mundo, mas que só existe aqui….

Basicamente, para ter acesso ao sistema de entretenimento, você precisa de um notebook (ou netbook) com sistema Windows ou um Iphone ou um Ipad. Por meio deles, você se conecta à rede Wi-Fi da aeronave e assim tem acesso a um portal que oferece conteúdo variado em streaming. Os vídeos são de no máximo 15 minutos, devem ser totalmente carregados antes de serem exibidos e, pelo que pude entender, devem ser de baixa definição.

Alguns fatos interessantes sobre a implantação do sistema:

Ele terá implantação progressiva nas aeronaves da frota da Gol, sendo que será inicialmente implantada nos rápidos vôos que ligam São Paulo ao Rio de Janeiro.

O sistema será atualizado a cada parada em aeroportos específicos.

Não há previsão de implantação nas aeronaves que fazem vôos internacionais, como vôos para o Caribe, por exemplo. Naquelas aonde você sofre mais….

O sistema ainda não é totalmente compatível com aparelhos da Nokia (Symbiam) ou com sistema Android, o que mais cresce no mundo hoje…

A implantação foi iniciada nas aeronaves mais novas que contam com alguns pontos de energia disponíveis aos passageiros.

Não sou especialista em tecnologia e muito menos em marketing, mas me pareceu um sistema implantado mais para fazer branding da marca do que realmente para beneficiar o grosso dos passageiros da Gol. Por que digo isso? Vou tentar expor um pouco meus pontos de vista a baixo:

Iphones e Ipads por melhores que sejam, não são produtos acessíveis à maioria dos brasileiros, seja por questões econômicas ou por que parte da população não tem  familiaridade com esse tipo de equipamento. A venda de notebooks e netbooks está em franca expansão no Brasil, mas parte deles nem vem com sistema Windows instalado e outra parte vem com baterias de curta duração.

Os consumidores mais antenados com essas tecnologias costumam ter seu próprio conteúdo customizado (conjunto de músicas e vídeo armazenados) nesses aparelhos. Assim, não dependeriam do sistema da Gol para se entreter.

Consumidores menos familiarizados a essas tecnologias não costumam ter smartphones ou muitas vezes não dominam seu funcionamento, e em grande parte não costumam viajar levando seus notebooks ou netbooks, que muitas vezes vieram para ser o principal computador da casa. Esse grupo de consumidores é grande e inclui desde pessoas com menor poder aquisitivo até aqueles que nasceram antes de tudo ser movido a Internet.

Para efeito de exemplo, aqui no Aquela Passagem oferecemos o site, o Twitter, o RSS e a atualização por email. A mais simples e menos avançada das opções, o velho email, é uma das preferidas de parte do público do Aquela Passagem, que é um público qualificado em nível de educação e renda. Uma grande parte da população que viaja de avião não passa o dia todo conectado nas redes sociais como pode parecer em uma visão menos cuidadosa. Assim, esse perfil de consumidor está a princípio sem condições de usufruir a modernidade do sistema da Gol

Uma cia aérea que se diz low cost e low fare que quer vender passagens no metrô ou em rodoviárias, vender por meio de boletos para quem não tem cartão de crédito e em prestações a perder de vista para facilitar a vida de quem tem um orçamento mais apertado, cria um sistema de entretenimento que exclui essa mesma fatia de consumidores que quer atingir com essas práticas comerciais?

Sistemas como esse da Gol são baseados em equipamentos do próprio passageiro e esses dependem de fornecimento próprio de energia. O calcanhar de Aquiles dos novos eletrônicos, cada dia mais finos e potentes, tem sido a vida da bateria. Sistemas como esses consomem a energia das baterias dos dispositivos móveis colocando o seu proprietário menos atento sob risco de ficar sem bateria ao chegar no destino final. Será que a Gol vai disponibilizar pontos de energia suficientes para todos os interessados? Se ela não quis investir na instalação de monitores, será que vai investir na instalação desses pontos de energia nas aeronaves mais antigas? Eu espero que sim!

Assim, me parece algo voltado para poucos e que visa mais criar um halo de modernidade no entorno da cia aérea do que realmente trazer um serviço extra que possa amenizar o aperto que é voar de avião hoje no Brasil.

De qualquer forma, qualquer sistema é melhor que sistema nenhum…

Por favor, traga seu fone de ouvido, já que ninguém merece ficar ouvindo um monte de notebooks ou smartphones emitindo sons variados por meio de seus alto-falantes!

Quer saber como o sistema funciona? Leia o post do Ricardo Freire no Viaje na Viagem.

Tags: ,

Category: Cias Aéreas

Comentários (23)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Thaís Zundt says:

    Tive a oportunidade de testar o sistema da Gol num voo curto de Curitiba a Londrina e retiro os comentários que fiz anteriormente… Claro que seria ótimo se tivéssemos wi-fi a baixos preços,concordo que as cias ainda têm muito dever de casa, mas fui impulsiva ao criticar algo que nem conhecia. Reconheço!
    Volto aqui para dizer que achei bom o sistema da Gol, pelo menos para voos curtos. Confesso que fiquei querendo ter mais tempo para poder ler as matérias bem legais lá disponibilizadas.
    A maioria dos seres humanos (e eu me encaixo nessa massa) quando conhece o ótimo, acha o bom mais ou menos. Portanto continuo querendo o ótimo, mas me contentei com o “bom” sistema da Gol. http://www.proximosdestinos.com

    Responder

    Gabriel Dias respondeu:

    O problema é sustamente esse, se contentar com algo que não é ótimo.

    Responder

  2. Valdir says:

    Obrigado pela analise, perfeita, divido a mesma opinião, mais um lançamento comercial do que um diferencial efetivamente prático.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.