Greve a Vista: Infraero

26 de July de 2008 | Por | 2 Comentários More
Os funcionários da Infraero anunciaram que deverão entrar em estado de greve (os principais aeroportos já aderiram) a partir da próxima quarta feira (30 de julho). A reivindicação básica é que os cargos de comando na estatal sejam dados a funcionários de carreira. Os funcionários de carreira dizem-se reféns de decisões equivocadas dos diretores da estatal. Não discuto o mérito da reivindicação, já que não tenho conhecimento profundo do material humano intelectual da Infraero. Como toda empresa estatal, está sujeita a interferências políticas.

Certo é quem vai pagar o pato é o consumidor, como nos correios…..

Mais um estímulo para a privatização do gerenciamento e operação dos aeroportos no Brasil. Lembro-me de uma vez perguntar no balcão de informações da Infraero se tinham os mapas do aeroporto. A resposta foi: Claro que não! O aeroporto é uma área de segurança e um mapa, com a localização das salas de embarque, guichês da Polícia, Receita, Anvisa, ANAC e lojas poderia ser uma arma na mão dos terroristas… Sem comentários!

Obrigado o leitor Guilherme Lopes pela dica do post.

Category: Aeroportos, Caos

Comentários (2)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Thiago says:

    Hmmm.. Minha opinião é que as greves quando bem formuladas e com fundamentos acabam servindo para melhorar o ambiente em questão.
    Essa da Infraero parece ter fundamento, pois infelizmente vemos no país vários cargos serem assumidos por questões políticas, onde numa empresa necessariamente técnica, precisa de pessoas qualificadas, que conhecem os processos e não somente comissionadas para o cargo.
    Se for pra melhorar esse tipo de atitude, que a greve seja bem-vinda.
    O que não pode acontecer é parar todos os serviços.
    E dos mapas, até não acreditei quando li… oO

    Responder

  2. Rodrigo Purisch says:

    Thiago,

    Greve é uma forma legítima de pressão por condições de trabalho e remuneração. O complicado é quando a greve que influir na forma com que a empresa é gerida. A influência política envenena nossas agências de regulação e empresas públicas, mas não sei se a forma de mudar isso é pela greve. O voto seria mais adequado. Mas difícil é achar propostas diferentes dessas que estão em vigor no momento.

    Quem está na boa não larga esse osso por nada.

    A história do Mapa é verídica.

    um abraço

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.