Gripe Suína (H1N1): Informação Ainda É o Melhor Remédio

30 de April de 2009 | Por | 40 Comentários More

Preocupações com a saúde, seja da saúde prévia do viajante ou com o riscos de se expor ao contágio de alguma doença durante um passeio, ao se viajar já tem se tornado hábito para muitos dos apaixonados por viagens. Muitos não saem de casa sem a carteira do plano com cobertura nacional ou com um seguro de saúde internacional no bolso. Malária, Dengue, Febre Amarela, Cólera, infecções intestinais, quadros respiratórios mais intensos, entre outras patologias podem atingir quem viaja para fora do meio em que reside (se bem que aqui no Brasil, muitas dessas doenças nos rodeiam mesmo em casa…). Para quem não conhece, o CDC americano, um dos órgãos de saúde mais respeitados no mundo, tem uma página só de conselhos/informações aos viajantes.

Mas vivemos um momento novo, onde vemos uma doença apresentar um aumento abrupto na ocorrência de casos novos (aumento na incidência) e em vários locais pelo mundo, fatos que configuram uma epidemia e uma quase pandemia (baseados nos quadros diagnosticados até o momento). Já vimos algo semelhante, mas muito menos intenso na epidemia de Gripe Aviária iniciada na China e que causou perdas humanas e econômicas importantes na Ásia principalmente. Fui a Cingapura quase 8 meses após o pico da epidemia e o país ainda se recuperava das perdas que sofrera e mantinha uma vigilância contínua nos aeroportos com uso de scanners térmicos e formulários de preenchimento obrigatório.

Ambientes fechados ou com grande aglomeração de pessoas são propícios à disseminação de patologias infecto-contagiosas, principalmente doenças de transmissão por via oro-respiratória, como é o caso das Gripes. Idosos e crianças têm uma resposta imunológica reduzida a infecções virais podendo a gripe complicar mais facilmente com outras doenças gerando casos mais graves. Por essa razão, eles e quem trabalha em ambientes fechados com grande concentração de pessoas são alvos de campanhas de vacinação (no momento existe uma campanha de vacinação contra a Gripe Humana, que na verdade não evita totalmente a gripe, mas ajuda a evitar quadros mais graves de gripe, os quais são potencialmente fatais).

Nosso organismo consegue se defender de invasores (vírus, bactérias, etc), mas responde melhor quando ele já foi apresentado a partes desses potenciais invasores, sendo essa a função das vacinas. O vírus da Gripe Humana e das demais gripes (Aviária e Suína por exemplo) tem uma grande capacidade de alterar sua composição dificultando assim o reconhecimento do organismo ao vírus.

A Gripe Suína é uma virose e causada por um vírus que o organismo humano não conhece normalmente, por isso pode gerar quadros mais intensos e em pessoas mais debilitadas causar ou propiciar o aparecimento de complicações mais graves e/ou fatais. Ele conta ainda com a facilidade de mutar-se dificultando assim a criação de uma vacina.

O que temos que fazer diante da ameaça iminente de uma pandemia segundo a OMS?    A resposta é nos informar, evitar o pânico e tomar condutas preventivas.

Informações de qualidade você pode encontrar nos sites do CDC americano, no site da OMS, no  site da Anvisa brasileira, site do Ministério da Saúde e o site da IATA que atualiza as restrições a viagem impostas por alguns países . Gaste um tempinho e leia um pouco mais sobre essa patologia e como se precaver.

Do ponto de vista do nosso tema principal, vôos e viagens, evitaria viajar:

  • No caso de possuir alguma patologia crônica, se estivesse fazendo algum tratamento médico ou se possuísse algum quadro levasse a imunossupressão,
  • Posporia para um momento mais tranquilo alguma viagem que envolvesse idosos e crianças,
  • Evitaria viagens desnecessárias aos países com maior número de casos suspeitos e/ou confirmados e a países com sistema de saúde e vigilância menos desenvolvidos.

Infelizmente o micro-clima dos aviões com baixo nível de oxigênio, baixa renovação ar, recirculação contínua de ar em ambiente fechado e a grande concentração de pessoas facilita a disseminação de viroses. Mais grave é o fato de existir um período onde o paciente fica assintomático mas já transmite a doença, fazendo com que o diagnóstico precoce e isolamento dos afetados seja muito dificultado. Alguém pode viajar se sentindo muito bem, apesar de infectado, e vir a apresentar os sintomas alguns dias após a viagem. Seus colegas de vôo foram expostos e nem suspeitaram da sua infeção. O uso de máscaras de qualidade (tipo N95 ou PFF2 ou semifacial com filtro P2) ajuda na prevenção. Essas máscaras tem poros tão diminutos que impedem a entrada de bacilos, como os da tuberculose, e vírus. Normalmente são encontradas em lojas que vendem materiais médicos (cirúrgicas), além de serem  diferentes da maioria dessas fininhas tipo cortina que você vê na televisão que não protegem a passagem de vírus além de terem uma vida útil pequena.

Por fim, se você voltar de alguma viagem e possuir sintomas de uma gripe forte com febre busque auxílio médico o mais rapidamente possível. Evite sair comprando e tomando anti-gripais comumente vendidos nas farmácias, já que eles servem para reduzir o mal estar da gripe e não curam a mesma ou matam vírus como o nome parece sugerir. No caso de apresentar sintomas de gripe forte, tenha serenidade, vivemos em um país que possui Dengue (uma outra virose) e estamos nos aproximando do inverno que por si só favorece o aumento de casos de Gripe Humana, e como os sintomas iniciais dessas patologias podem ser muitos semelhantes com o da Gripe Suína, o médico pode ter dificuldade em fechar um diagnóstico imediato do seu caso.

Como cidadão fico com dúvidas da capacidade de enfrentamento de uma pandemia por parte do estado brasileiro que infelizmente tem falhado na prevenção, controle e na resposta imediata a surtos de doenças como Dengue e Febre Amarela em áreas urbanas. Quem dirá controle e acompanhamento de passageiros de vôos de longa distância? Aqui fica um conselho, no caso de viagens aéreas, tente evitar trocar de assento durante o vôo, já que no caso de  ser identificado um caso de Gripe Suína nele ou em alguém recentemente nele voou, os vizinhos de assento são os principais focos de uma vigilância epidemiológica mais intensa.

Por último, o mexicano e o México são vítimas do mesmo problema que assola nosso país, falta de um estado mais atuante e vigilante, portando não isole o país ou seus residentes do seu coração ou de seus planos de viagem futuros. A pior doença é o preconceito.

Vou manter um link no CDC no topo a esquerda da pagina do blog até que a epidemia tenha sido controlada visando deixar um link de referência aos leitores.

Tags:

Category: Para um vôo tranquilo, Seguro Saúde

Comentários (40)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Mari Campos says:

    Rodrigo, dessa vez eu nao poderia deixar passar sem um comentario: EXCELENTE post! Parabens!

    Responder

  2. Fernanda W. says:

    Adorei a matéria mas ainda estou muito em dúvida quanto a minha situação. Sou estudante e estou nos Estados Unidos (KANSAS) desde janeiro e voltaria ao Brasil em julho pois já comprei passagens pra passear na Europa durante 20 dias. Meus pais estão super preocupados e querem que eu desista da viagem. Estou super chateada e ao mesmo tempo preocupada, nao sei se devo ir ou não… O problema é que vou conhecer 5 países diferentes (Inglaterra, Alemanha, Rep. Tcheca, Espanha e Itália), e farei estas viagens de avião. Considerando que alguns destes países já tem casos da gripe estou bastante preocupada. Não sei o que eu faço, o que vc me sugere? (O pior é que eu não tenho como adiar esta viagem e se eu cancelar não terei 100% do meu dinheiro de volta)

    Responder

    Ministério da Saúde respondeu:

    Fernanda W.,
    Até o momento, as saídas e chegadas de vôos internacionais não sofreram nenhuma restrição. O importante é seguir todos os cuidados necessários, principalmente os recomendados pelos países que você vai visitar. Cada local oferece orientações diferenciadas, de acordo com a situação. Para mais informações: fernanda.rocha@saude.gov.br

    Responder

  3. Cristina says:

    Rodrigo, essa máscara é a da tuberculose? È preciso trocar a máscara todos os dias? Obrigada desde já pela resposta.

    Responder

  4. Marcelle says:

    Pretendia passar minhas férias, em junho, na Europa. Mas como é só passeio estou tendendo a adiar essa programação. Até porque teria que correr para fazer as reservas e com essa instabilidade tenho receio de uma piora.

    Responder

  5. Eduardo Luz says:

    Rodrigo, só pra atualização, acabamos de chegar da Flórida(Miami/Key West) e não vimos sinal da tal gripe. Algumas matérias no NYT e só.
    Shoppings lotados, rua cheias e até num jogo de baseball nós fomos.
    Pra não dizer que não vimos máscaras, no voo de ida existiam algumas nos rostos de alguns brasileiros que (alguns deles) estranhamente as usavam fora da região indicada ( no pescoço ou com o nariz de fora!!) e na volta, quando todos os funcionários da Infraero também as usavam com a particularidade de muitas serem diferentes das outras ( nem um patrocínio eles arranjaram!). Também estranhamente, o funcionário da Receita Federal não usava nenhuma !!!
    Abs e também pra tua atualização, fizemos os voos através de passagens do Fidelidade TAM e correu tudo muito bem.
    Parabéns pelas citações ( especialmente na VT). Você merece pois o Aquela é serviço de utilidade pública.

    Responder

  6. Deise says:

    Olá,

    Estou com viajem marcada para Julho, a dúvida maior é que irei com meus dois filhos 8 e 11 anos. Meu receio é no voo e aeroporto lotados.
    Apesar de ter lido as informações acima, gostaria que você desse sua opinião.
    Obrigada

    Responder

    Ministério da Saúde respondeu:

    Deise,
    O Brasil ainda não restringiu saídas e nem chegadas de vôos internacionais. Porém, é muito importante que siga todos os cuidados necessários, principalmente os recomendados pelo país de destino. Cada país fornece orientação específica, dependendo do estado em que se encontra. Para mais informações: fernanda.rocha@saude.gov.br

    Responder

  7. Ministério da Saúde says:

    Luciana M.,
    O Ministério da Saúde está atuando em várias frentes para deixar a população bem informada sobre a Influenza A (H1N1). Além do Hot Site e do Disque Saúde, que você citou, mantemos um contato direto com as pessoas por meio de blogs, orkut, twitter, para identificar dúvidas sobre o assunto. Também disponibilizamos um e-mail para mais informações: fernanda.rocha@saude.gov.br.

    Responder

  8. Ministério da Saúde says:

    Cristina,
    Como o vírus da Influenza A (H1N1) ainda não circula no Brasil, não há necessidade do uso de máscaras. Caso venha a ser preciso, todos serão orientados. Para mais informações: fernanda.rocha@saude.gov.br

    Responder

  9. Adorei o POST, visto que estou procurando informações pois estou com viagem marcada para 15 de Junho com Minha filha de 12 anos e confesso estou apreenciva.
    Vamos para Orlando. Estamos nos fortalecendo com Redoxon C Zinco e alimentação saudável para estarmos com o organismo em dia caso tenhamos o contato……porém, não tenho informações de como as coisas estão por lá.
    Parece que o assunto está se acalmando………gostaria de saber que providencias tomar….viajo ou cancelo a viagem.

    Obrigada

    Responder

    Ministério da Saúde respondeu:

    Cláudia,
    As viagens internacionais ainda não precisam ser canceladas. O importante é, ao chegar ao país de destino, seguir todas as recomendações locais. O portal do Ministério da Saúde possui algumas orientações mais detalhadas. Outras informações: fernanda.rocha@saude.gov.br.

    Responder

  10. Ana Lucia says:

    Viajo no dia 10/06 para NY e estou apreensiva com relação a gripe suína. Tomei a vacina contra a influenza hoje, pois mesmo sabendo que não imuniza contra a H1N1, me informaram que poderia ser benéfica. Se não impedir o contágio dela, poderia amenizar os sintomas, ou pelo menos eliminar a possibilidade de confusão de sintomas. Isso é real? Tem algum outro conselho para quem está prestes a ir aos EUA?
    Ana

    Responder

  11. Ministério da Saúde says:

    Ana Lúcia,
    Não há nenhum indício de que a vacina contra a gripe comum seja benéfica também contra a Influenza A (H1N1). Ao chegar ao país de destino, o importante é seguir todas as orientações locais. Alguns cuidados simples podem ser tomados: evitar locais com aglomeração de pessoas; não compartilhar alimentos, copos e objetos de uso pessoal; e evitar tocar olhos, nariz ou boca após contato com superfícies. Para mais informações: fernanda.rocha@saude.gov.br.

    Responder

  12. Daniela says:

    Olá, Rodrigo! Como vai?
    Moro em uma cidade no interior de MG onde não há nenhum caso confirmado de gripe suína. A minha preocupação é em relação a uma viagem ao Rio de Janeiro no início de agosto para uma formatura (local fechado, aglomeração de pessoas) e vamos de van. Às vezes penso em não ir, mas, ao mesmo tempo, tenho contato, convivência com todas as pessoas que irão e que também estarão “correndo risco” de serem contaminadas. Gostaria de receber sua opinião nesse momento de tanta dúvida! Desde já, o meu muito obrigada!!! Um abraço!

    Responder

  13. Nicole says:

    Sabemos que a Gripe Suína está matando pessoas,mas uma coisa que eu achei interesante é que tem mais pessoas que estão morrendo da gripe comum do que essa nova gripe,então mesmo sendo assim temos que fazer de tudo para não pegar a gripe comum e nem a nova Gripe.E é lógico usar todos os hábitos necessários para previnir essas gripes como evitar contato proximo,durmir bem,fazer exercícios físicos todos os dias, ter uma alimentação saudável e balanciada,limpar bem as mãos por + de 10 vezes pordia,fazendo isso vamos previnir a nova gripe

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Nicole,

    As grávidas tem 5 vezes ais chances de ter quadros graves e morte com a Gripe H1N1 do que com a gripe comum. As mortes de jovens são raras com a gripe comum. Só isso já da a dimensão da perda que podemos ter. Estatística é bonito no papel, quando se perde alguém querido ( principalmente jovem ou grávida) não há estatística que console.

    Os cuidados normais como você citou são muito importantes também para uma vida saudável.

    Responder

  14. franciele elisa weiland says:

    alem de se informar sobre assuntos de preocupação mundial,devemos nos vacinar contra o virus,e no inverno se hidratar com deliciosos chás para se esquentar

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.