Infraero: WiFi Nos Aeroportos Também Ficou na Promessa

10 de July de 2009 | Por | 26 Comentários More

A Infraero anunciou no ano passado que dia 12 de dezembro de 2008  seria inaugurado o serviço de WiFi gratuito nos principais aeroportos sob seu controle. O ano acabou e nada.

Em maio de 2009, anunciou de novo o início dos serviços em junho de 2009. Estamos em julho e nada..

Parece que a política do anunciar primeiro e com pompa o que vai fazer e executar quando der está se alastrando na máquina pública.

Em uma breve viagem a Sampa (Congonhas, Guarulhos e Confins) partindo de Belo Horizonte, deu para constatar que a Infraero continua a mesma. Nos balcões de informações da Infraero ninguém dava notícia sobre o WiFi e no de Confins, o funcionário desconhecia que a empresa na qual ele trabalha estaria anunciando o serviço ou pelo menos a sua implantação. Uma fofoca, o que deve ser tratado como, de um funcionário da sala Vip falava de alguma desavença entre a Infraero e a dona da sala que levou a  mesma a ficar sem acesso WiFi por dois meses. A estatal estaria impondo aos estabelecimentos qual provedor de acesso deveria ser contratado…

O aeroporto de Guarulhos estava lotado (um sábado a noite), com filas de check in de companhias diferentes se encontrando pelos corredores fazendo a tarefa de deslocar-se dentro do aeroporto algo muito difícil. Cias menores como a Webjet operavam um um número reduzido de balcões de check in. Enquanto isso, alguns poucos balcões ficavam fechados. Uma boa idéia seria implantar em Guarulhos o mesmo que ocorre em outros aeroportos, como Ezeiza em Buenos Aires, onde vários balcões são flexíveis e são ocupados pela cia que necessita de  fazer check in de seus passageiros naquele momento. Mas isso ainda é sonhar de mais…

Nessa confusão, tentei encontrar, sem sucesso, uma das ilhas de conforto prometidas pela Infraero nos aeroportos com pontos para carregar celulares e notebooks. Não encontrei na área do saguão. Já em Confins existem pontos desses no saguão. Já vi vários desses pontos nas áreas restritas aos passageiros em alguns aeroportos. Pelo menos é uma boa iniciativa e ajuda a recarregar a bateria daquele amigo que te acompanha nas longas horas de espera nos aeroportos.

Realmente não sei se a privatização dos aeroportos como única resposta ao problema é o caminho, já que não vi ainda nenhuma boa discussão de que tipo de aeroporto queremos para assim depois oferecer a admininistração e seus lucros a quem se propuser a seguir as metas determinadas por um plano diretor.

Precisamos definir com urgência primeiro aonde queremos ir, para depois sim, nos colocar em movimento e não ao contrário. Por exemplo, com todos os seus defeitos, a rodoviária do Tietê em São Paulo oferece serviços (restaurantes, hotel, maleiros, lojas, balcões de venda de passagens), acesso (integração com metrô e ônibus urbano) e dá apoio ao seu usuário de uma forma melhor que muito aeroporto pelo Brasil. Não adianta pagar 39 reais na passagem de avião e pagar mais de 30 no ônibus que leva ao aeroporo ou 4 reais em um refrigerante no aeroporto. Isso sem contar o incômodo das filas de check in e da chegada antecipada ao aeroporto…

Category: Aeroportos

Comentários (26)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. A TIM oferece para seus clientes pré-pagos a possibilidade de assinar um pacote DIÁRIO de 250mb de dados por R$10 (promocionalmente R$5). Acho que é uma boa alternativa ao WiFi nos aeroportos.
    Mais informações no site da TIM, o nome da oferta é “TIM Web Pré Pago”.

    Responder

  2. Marcelo Valentim Silva says:

    Uma curiosidade. Eu estava com meu notebook no aeroporto de Caracas em Março deste ano e tentei me conectar. Bem, apareceram varios pontos de acesso. Achei um aleatoriamente e notei que ele mostrava uma lista com varios provedores de acesso. Nesta lista estava a Globo.com, que é minha provedora em casa. Tentei ela, digitei meu e-mail, minha senha, e pronto ! Consegui acesso ! Nao sabia que isto era possivel ! Testem isto com seu provedor de casa da proxima vez… Depois desta eu nao levei mais meu notebook…

    Responder

  3. Dirriba says:

    Estive este mês em aeroportos de Guarulhos, Congonhas, Santos Dumont e Brasilia em todos eu tive acesso a tão conclamada rede da Infraero gratuita.

    Feito o cadastro estava acessando, usam uma rede em parceria com a VEX.

    Acesso feito inicialmente o que vi?

    1º – Acesso apenas a sites gov.br e da infraero.
    2º – Não tive sucesso na tentativa de acesso sequer a sites do CORREIO
    3º – E-mail, msn, orkut, blog, twister? Esqueça não rola gratuitamente
    4º – Sites como da rodoviária do Tiete – socicam – também inacessível
    5º – site dos ônibus ou das cias aéreas tb inacessiveis

    A utilidade é mais para consultar o site da infraero e obter mais detalhes sobre condições climáticas, mas fora isto…foi um gasto de dinheiro publico a toa, pois sua utilidade é super limitada para o investimento feito.

    Pelo menos um e-mail deveria se liberar, nem que fosse um gratuito. Além de permitir melhores usos como o acesso a cias aéreas.

    Em tempo a TAM tem uma parceria onde o seu passageiro consegue liberar 1 hora de acesso gratuito. Fica a dica!!

    Responder

  4. JORGE POVALA says:

    OK. Que venha a privatização. Vc. deve se informar um pouco antes de “endeusar” os críticos que utilizam-se de informações prontas sem consistência, como o “grande RODRIGO”. Infelizmente a Infraero administra um grande condomînio onde os inquilinos são incompetentes e ineficientes. Nesses casos quem leva a culpa é o dono do Imóvel. Com a privatização vcs. terão acham que a Receita Federal, Polícia Federal, Vigilância Sanitária, Vigilância Agropecuária, etc. também serão privatizados? Aguarde e verá. Para sua informação: procure e assista a entrevista do proprietári da AZUL, DAVID NEELEMAN sobre a privatizalção de aeroportos na Argentina e Inglaterra. PARA CRITICAR É NECESSÁRIO CONHECER!

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Jorge,

    Enfim o Wi-Fi chegou aos aeroportos! Podemos agora acessar os sites governamentais sem problemas.

    Você está atrasado na discussão:
    http://www.aquelapassagem.com.br/aeroportos-tema-do-momento/

    PS: Comparo os aeroportos administrados pela Infraero tendo base os serviços prestados ao consumidor (posso fazer porque Pago taxa de embarque) por outros aeroportos pelo mundo pelos quais já passei e também paguei para usar (muitas vezes menos que aqui) (Cingapura, Londres, Chicago, JFK, Miami, La Guardia, Los Angeles, Ezeiza, Aeroparque, El Calafate, Hanoi, Ko Samui, Phuket, Bangkok, Osaka, Narita, Montevidéu, Bogotá…. e por ai vai). Muitos deles estão longe da perfeição, mas poucos tentam ignorar suas deficiências). Mas existem semelhanças, o novo aeroporto de Bangkok tem suas licitações questionadas por superfaturamento tanto quanto diversas da Infraero. Vestir camisa da empresa onde trabalha é bonito e louvável. Importante é enxergar além do mundo onde se está inserido!
    Como já te disse uma vez, se assessoria de comunicação da Infraero quiser se pronunciar, estamos de portas abertas para publicar na integra as respostas as críticas postas aqui.

    De qualquer forma, você tem um blog pessoal onde pode difundir sua visão da questão sem necessidade de agredir aos demais. Lá você deve ter também seus leitores que concordam com seu ponto de vista. Aqui peço respeito aos meus.
    Um abraço

    Responder

  5. Marcos Rodrigues says:

    É pelo que li em todos os posts, os aeroportos do Brasil não estao funcionando o Wi fi muito bem né. Vou passar pod dois no proximo fim de semana.. e na semana que vem volto aqui no site e posto para vocês um noticia fresca.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.