Ir de Executiva para a Ásia Pagando Por Volta de 2300 Dólares é Possível? Sim! E Não Há Nenhum Grande Segredo

2 de August de 2013 | Por | 8 Comentários More

Dentro de uma série de textos baseados nas minhas últimas viagens, vou iniciar com este texto no qual explico como consegui ir para a Ásia de Executiva pagando 2300 USD pela passagem.

O segredo, se é que podemos falar nisso, foi usar o Lifemiles da Avianca/Taca para as passagens principais de/para Ásia.

Mas antes de você ficar animado e continuar lendo este texto, recomendo fortemente que leia o texto onde falo dos pontos fracos e fortes desse programa de fidelidade, que definitivamente não é para todo mundo.

Indo para a Ásia na Executiva com Lifemiles

Quanto emiti minha passagem (fevereiro 2013), o Lifemiles requeria em sua tabela 145 mil milhas para emitir uma passagem de ida e volta do Brasil para a Tailândia na Executiva. Se você desejasse ir a Hong Kong, teria que usar 150 mil milhas. Como o Lifemiles permite pagar parte em milhas e parte em dinheiro na hora da emissão, a outra opção seria usar 58 mil milhas + 1110,12 USD (mais taxas de emissão e de aeroporto) para emitir essa mesma passagem de ida e volta para a Tailândia. Se fosse do meu desejo, era possível também comprar só ida ou só a volta pagando metade desses valores.

O que eu fiz? Comprei 29 mil milhas em uma promoção 2X1 que renderam 58 mil milhas ao custo de 870 USD. Usei essas 58 mil milhas e paguei mais 1110,12 como forma de completar as 145 mil necessárias. Dessa forma, essa passagem sairia por 1980 USD mais taxas!

Mas nem tudo é só alegria no Lifemiles. A tabela do Lifemiles anda se tornando uma metamorfose ambulante. Eles alteraram a tabela durante o período em que fazia minhas buscas (aumentaram em 2500 milhas cada trecho para a Ásia) e aumentaram de novo após eu ter realizado minha viagem.

Hoje, o trecho Brasil/Sul ou Norte da Ásia sai por 75 mil milhas (o dobro disso para uma passagem de ida e volta, ou seja, 150 mil milhas) ou pode ser adquirido por 30 milhas + 709 USD (ou uma ida e volta por 60 milhas +1409 USD). Ou seja, hoje pagaria cerca de 400 USD a mais que paguei no passado. Junta-se a isso a valorização do Dólar se valorizou muito frente ao real.

Em uma promoção 2×1, cada milha sai por volta de 0,034 a 0,03. Assim, comprando 30 mil milhas se leva 60 mil milhas ao custo de 1020 USD. Sua passagem de ida e volta sairia por 1020 USD (valor pago nas 60 mil milhas) + 1409 USD, totalizando 2429 USD, mais taxas de cerca de 150 USD em média.

Caro? Pagar 2400 USD em uma passagem não é para todo mundo, mas em se tratando de uma passagem na Executiva de uma cia boa para a Ásia (você pode tentar pescar as melhores cias Star Alliance), isso é uma pechincha, já que você dificilmente conseguirá pagar menos de 4500 USD em passagens assim. São em vôos intercontinentais que se consegue aproveitar melhor o que a Executiva tem a oferecer, além de transformar deslocamentos de mais de 24hs em algo bem mais prazeroso.

Lembre que o Lifemiles cobra 25 USD por emissão de cada passagem, não importando que ela seja só de ida ou ida e volta ou se é um vôo curto ou longo. As taxas de aeroportos são as comuns de todo programa de milhagem e ela não cobra adicional de combustível, que alguns programas passaram a cobrar e que encarece muito a passagem. Importante: Não se pode fazer stopover!

Mas por que eu falei que no caso da minha passagem paguei cerca de 2300 USD? Porque você tem que incluir o IOF da compra internacional em cartão de crédito (se optar pela emissão via site usando cartão brasileiro) e porque para conseguir flexibilizar mais na escolha das cias aéreas, eu optei por emitir ida e volta de forma separada tendo que pagar a taxa de 25 USD duas vezes. Além disso, minha ida foi São Paulo/Phuket na Tailândia e a minha volta foi Hong Kong/Rio de Janeiro, sendo que naquele momento a perna de volta custava um pouco mais de milhas que a de ida.

O que consegui emitir:

Vôo de ida: São Paulo/Joanesburgo com a South African com conexão com a Thai para os trechos Joanesburgo/Bangkok e Bangkok/Phuket.

Vôo de volta: Hong Kong/Seul/Frankfurt com a Asiana com conexão com a Lufthansa no vôo Frankfurt/Rio de Janeiro.

Todos os trechos na classe Executiva.

Algumas Dicas para Quem Quiser Fazer o Mesmo:

Durante sua pescaria, busque também vôos partindo ou chegando de/em cidades no entorno da sua para aumentar as chances de pescar assentos em datas mais variadas e em cias  aéreas melhores. Por exemplo, se quisesse partir de Belo Horizonte, meu vôo de ida para Ásia só sairia com a perna inicial sendo voada com a Copa ou com a Tap (únicas Star que voam para Belo Horizonte, já que a Tam não pontua e nem pode ser emitida via Lifemiles). Mas eu tinha intenção de voar com cias mais bem avaliadas no quesito Executiva. Minha opção foi partir de São Paulo, local que me ofereceu opções mais variadas de cias Star Alliance.

Quanto mais cedo tentar emitir, mais opções. Com 4 meses de antecedência (não iria voar na alta estação) encontrei muitas opções, mas por motivos pessoais tive que postergar a emissão. Isso gerou um certo grau de estresse, já que as opções reduziram-se muito. Foi necessário repetir a busca diariamente e incessantemente por cerca de duas semanas até encontrar aquilo que me atendia.

Já que vai pagar caro por uma passagem, faça um favor a você e escolha as melhores cias para realizar sua viagem. Singapore e Asiana estão no topo em termos de serviço. South African Airways e Turkish não fazem feio na Executiva.

Uma opção para fazer uma parada intermediária é ir para a Ásia via Honolulu. Emite-se uma perna Brasil/Honolulu, outra Honolulu/Ásia e uma outra Ásia/Brasil. Sobe um pouco o preço, mas dá para conhecer mais um destino. Mas tome cuidado em verificar se há disponibilidade tem todos os trechos antes de sair emitindo algum deles. Achou, então emita na ordem de vôo para poder ir ajustando as datas se der algo errado na emissão. Não tente essa estratégia via Europa, o custo de uma passagem Europa/Ásia é quase o mesmo que uma Brasil/Ásia. O mesmo se aplica a Istambul ou Joanesburgo.

Não simule a compra (se não tiver intenção de comprar naquela hora) após a página de seleção de vôos e confirmação dos valores com taxas, já que se fizer isso, aquele assento sai do inventário do site (mesmo que você não tenha colocado os dados do cartão de crédito) e pode demorar até 3 semanas para voltar, isso de voltar. Assim, achou, gostou, emita!

Fique com papel e lápis na hora da emissão.Anote o código da reserva que aparece durante o processo de confirmação de pagamento. Se der algo errado, será a única informação que poderá te ajudar a resolver o problema no futuro.

Mas eu não fiquei apenas no Lifemiles para construir minha viagem

Minha viagem não se resumiu aos vôos emitidos com o Lifemiles. Usando milhas que tinha no Mileage Plus da United, programa aonde estava acumulando minhas milhas até então, eu emiti ainda uma passagem só de ida Cingapura/Hong Kong com a Singapore também na Executiva ao custo de 12500 milhas (a passagem custava mais de 1000 USD se fosse comprar). Fiz o trecho Phuket/Cingapura de Tiger Airways ao custo de 80 USD a perna (podia ter saído menos e tivesse comprado com antecedência…). O trecho Gol Belo Horizonte/São Paulo foi comprado e o trecho Rio de Janeiro/Belo Horizonte foi emitido com 4 mil milhas, já que era uma quinta feira da Semana Santa quando os preços dispararam.

 Esse exemplo do Lifemiles serve como base para duas ultimas recomendações para quem quer usar milhas para emitir passagens de melhor custo benefício:

A Dica: Se seu objetivo é usar milhas/pontos para viajar para o exterior, então estude a tabela e as regras de todos os programas de fidelidade nos quais há alguma possibilidade de você acumular milhas/pontos. Por favor, não se restrinja apenas aos programas das cias nacionais. A grande maioria dos programas de fidelidade possui alguns destinos tidos como de melhor custo/benefício, seja porque um determinado destino está incluído em uma região que necessita de menor número de milhas (a geografia dos programas não guarda relação total com a geografia oficial) ou regiões que necessitem um número de milhas menor do que a maioria dos outros programas ou porque te dá a chance de acumular um número considerável de milhas a um custo baixo sem ter que voar ou usar o cartão de crédito.

O Alerta: A compra de milhas é poucas vezes vantajosa e indicada somente para completar milhas para emitir uma passagem. Esse exemplo do Lifemiles é uma exceção e não sabemos até quando as promoções 2X1 vão continuar (existe uma neste momento – agosto de 2013 – somente para associados com conta anterior a agosto/13) ou como a tabela atual de emissão vai se comportar no futuro.

Tags: , ,

Category: Com Destino a Ásia, Envolvendo Milhas, Envolvendo Passagens na Executiva, Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (8)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Diogo Avila says:

    Excelente relato.
    Estava com saudades dos textos do Aquela Passagem!
    Estou indo para aqueles lados hoje, mas certamente sem todo este conforto! Rsss
    Abraço.

    Responder

  2. Rodrigo Resende says:

    Oi, Rodrigo, tudo bom?
    Primeiramente, queria dizer que gostei muito do seu relato e ando feliz por voltar a ver seus posts. Tive uma dúvida: o trecho de SIN a Hong Kong de executiva foi mesmo 12.500 pontos ou 17.500? Pergunto porque recentemente fiz um trecho parecido e foram 17.500. Era alguma promoção? Muito obrigado e um abraço. Rodrigo Resende

    Responder

  3. Eduardo says:

    Rodrigo acabei de comprar GRU-JFK em Janeiro por U$880,00 de executiva!!!! Nunca vi nada igual!!!!!!
    Abs
    Edu

    Responder

    Marcelo Q. respondeu:

    Prezado Eduardo.

    Como efetuou essa emissão por usd 880.00.
    Milhas/pontos? Quantos?
    Qual cia aérea? Vôo nonstop ?

    Abraço.

    Responder

    Eduardo respondeu:

    Bom dia Marcelo,
    Foi so $!!!!
    Voo nonstop.
    Abs
    Edu

    Responder

    Marcelo Q. respondeu:

    Eduardo,
    Qual o numero do voo? Data?
    Realmente, um valor desses em executiva, na alta temporada, nunca vi.

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Eu vi. Delta e tinha para novembro, dezembro, janeiro e fevereiro… com vôos via ATL, Detroit e diretos. Passou sábado e quase todo o Domingo com essa tarifa no ar.
    Tnho férias nessa época, mas que fujo de neve…rsrs. Deu uma vontade danada. Tentei vários outros destinos que não fosse NYC e não tive sucesso…
    Esse é um caso de erro (chamam de fat finger(. O problema é que atualização das tarifas no sistema no final de semana é menos frequente).

    Responder

    Marcelo Q. respondeu:

    Obrigado pela dica.
    Abraço

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.