LAN e TAM: Anunciam Intenção de Fundir-se ou Foi Compra Mesmo? Saiu a Lan Brasil!

13 de August de 2010 | Por | 104 Comentários More

A consolidação das grandes cias aéreas corre pelo mundo, inclusive na América Latina. British + Iberia com parceria da American, Delta + Northwest com acordo Air France/KLM que por sua vez tem participação na Alitalia, Lufthansa assumindo a Swiss e Austrian, United + Continental, Singapore e participações na Virgin e cias chinesas.

O exemplo mais perto de nós é a união entre a Avianca, Taca e Avianca Brasil (OceanAir), que ainda caminha a passos lentos pelo menos pelo lado de cá do Brasil. Talvez essa fusão tenha sido um dos maiores motivadores da reação da Lan/Tam.

O atual presidente do Chile, Sr Piñera era um dos acionistas majoritários da Lan e teve que se desfazer de suas ações. Prometeu isso antes de assumir o Governo do Chile. No momento da venda das ações de Piñera, a Tam foi frequentemente lembrada como compradora dessas ações em razão da boa relação entre a família Amaro e as duas famílias que controlam a Lan. Porém, o negócio acabou não se concretizando e uma parte das ações de Piñera foram vendidas em bolsa. A maior parte foi vendida a outra família, os Cueto, que controla agora a Lan com dinheiro de empréstimos para aquisição da parte dos Piñera.

O comunicado de ambas as cias aéreas ao mercado, obrigatório em casos como as das duas cias aéreas que são listadas em bolsa, fala que a  Tam, controladora da Tan Linhas Aéreas,  deixa de existir com empresa e passa a fazer parte da Holding LAN que passará a ser chamada de LATAM. As ações da  Tam saem da BOVESPA e da Bolsa de Nova Iorque e seus acionistas receberão 0,9 papeis (BDR) da LATAM por cada ação da Tam. As ações das nova LATAM continuam sendo negociadas na bolsa de Santiago e de nova Iorque.

O CEO da Lan, Enrique Cueto, será o CEO da LATAM.

79% das ações ON (com direito a voto) da Latam estarão na mão da antiga Lan e 20,4% dessas ações ficarão na mão da Tam, segundo a Exame.

Tudo leva a crer que na verdade a Lan comprou a Tam e a coisa só não pode ser exposta assim, por limitações governamentais brasileiras e até por uma questão de marketing (a Tam ainda luta para substituir a Varig no coração dos brasileiros). Para poder superar a limitação legal brasileira que impede que uma cia nacional seja controlada por mais de 20% de capital externo (está no Congresso ainda o aumento da participação para 49%), a Tam vai repassar todas suas ações PN para a Latam e apenas 20% das ON para a nova empresa.

O certo é que todos os detalhes dessa fusão ou compra da Tam pela Lan não foram explicitados. Mas a Lan tem sido muito mais competente ($$$) que a Tam em operar um modelo híbrido a la low cost dentro da Amércia do Sul e de cia tradicional em vôos para o exterior e a Tam  mostra não conseguir acertar seus ponteiros.

Como sempre acontece nessas fusões, e principalmente por uma questão nacionalista, as cias devem inicialmente continuar operando com seus respectivos nomes e programas de fidelidade.

Mas o futuro pode trazer mudanças. O certo é que a Avianca/TACA já anunciou que milhas dos programas de fidelidade de ambas as cias podem ser transferidos entre os programas.

O Multiplus pode até ser uma ferramenta de troca de KM por Pontos e vice-versa no futuro que permitirá, pelo menos que em um momento intermediário, que o Lan Pass e o Fidelidade Tam continuem independentes sem ser tão independentes assim. Se isso acontecer, emitir uma passagem usando Pontos ou KM para Papetee voando Lan vai ser a coisa mais difícil do mundo e voar para os EUA partindo do Brasil pela Lan deve consumir mais milhas ou KM…

Outra questão a ser esclarecida é como duas cias aéreas do mesmo grupo farão parte de duas alianças aéreas diferentes. Isso seria inédito em se tratando de duas grandes cias áerea (a Continental recentemente deixou a Skyteam para se juntar a Star Alliance com a United). Será que a Tam vai jogar fora todo investimento para se tornar Star Alliance (o processo é caro) ou a Lan vai aproveitar para sair da Aliança Oneword dominada pela American/Iberia/British abrindo caminho para a Gol devido ao vácuo criado?

O certo é que o Brasil entrou definitivamente no mundo das fusões aéreas e não se engane, a Gol não deve conseguir escapar do interesse externo no futuro.  Só falta a legislação brasileira cooperar mais um pouco para que vejamos uma consolidação maior no Brasil.

A Tap é que deve estar muito preocupada ou agora deve fazer planos de unir-se a Latam.

Muitas dúvidas e especulações ainda permanecem…

Tags: ,

Category: Aliança Aérea, Cias Aéreas

Comentários (104)

Trackback URL | Comments RSS Feed

Sites que indicaram este post

  1. TAM + LAN CHILE « A Janela Laranja | 26 de August de 2010
  1. GDC says:

    Andrei, pra quem mora em Brasília, uma alternativa para Miami é comprar Manaus/Miami/Manaus pela Tam por US$666 + taxas. Na ida obrigatoriamente vc terá que embarcar em Manaus mas na volta dá pra voltar por GRU e optar pelo trecho GRU/MAO fazendo conexão em BSB e descer em BSB.

    Responder

  2. GDC says:

    Enquanto CADE, ANAC, CVM e outros órgãos não se pronunciam o cartel já começa a dar as caras…

    Responder

  3. Ivan says:

    O servicio vai melhorar muito, Lan esta dentro das dez melhores do mundo nisso, deberia se chamar Lan Brasil, Tam nao tem boa imagen no Brasil,

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.