Nova Forma de Comissionamento TAM: Mais transparência, mas será que o Consumidor Vai Pagar a Conta?

31 de October de 2007 | Por | 8 Comentários More
Em um texto publicado no Mercado e Eventos baseado em uma nota distribuída pela própria TAM (agradeço também ao Caixeiro Viajante pela lembrança), a TAM informa que está fechando um acordo com a ABAV (Associação Brasileira de Agentes de Viagem) para o pagamento do comissionamento da venda de passagens aéreas. Espera-se que a partir de janeiro de 2008 que na passagem comprada pelo consumidor junto a qualquer meio de venda, exceto o site da TAM, conste um valor de 10% ou 30 reais (vale o maior) como titulo de remuneração do agente de viagens, como passará a ser chamada a atual comissão do agente. O procedimento será inicialmente implantado nas passagens nacionais e posteriormente nas internacionais.

Essa medida tem pontos positivos e negativos, a serem ainda confirmados, na visão deste blogueiro.

Um ponto positivo seriam uma maior transparência na venda da passagem, de forma que o consumidor tenha consciência de que o agente está lhe prestando um serviço. Seguindo o mesmo raciocínio, o agente poderá ser mais cobrado pelo consumidor, sendo que muitos que ainda se envergonham de pedir várias cotações aos agentes, poderão encarar a tarefa como remunerada, além de ficar mais explícita a responsabilidade do agente na venda da passagem e de tudo que possa decorrer dela. Não que isso já não ocorra, mas fica tudo mais explícito ao consumidor, que na maioria das vezes não sabe disso.

Os pontos negativos podem ser um aumento dos valores pagos pelo consumidor pelas passagens, no caso da TAM não reduzir as mesmas proporcionalmente ao que é pago como comissão hoje em dia, ou seja, ela mantém o preço e adiciona a remuneração ao agente à mesma.

Um maior incentivo à compra direta das passagens no site da TAM, que tem muiiiito a melhorar, já que 10% é um valor considerável, levando a redução de demanda aos agentes. Lembramos que algumas cias internacionais já têm preços menores nos seus sites do que os praticados pelos agentes.

Interessante lembrar que a discussão entre agentes e cias aéreas no Brasil já vem de algum tempo, tendo se intensificado no primeiro semestre. As cias aéreas, principalmente Gol e TAM, endureceram o jogo no primeiro semestre, reduzindo comissionamento e faziam referência ao fim do mesmo no futuro. Mas como a crise aérea atacou o ponto mais sensível das cias aéreas, o bolso, elas começaram novas discussões com a ABAV, já que tiveram que procurar as agências para que as mesmas atuassem junto aos consumidores a fim de não piorar suas imagens e evitar prejuízos maiores com a baixa ocupação.

Que fique claro, que as discussões sobre comissionamento é um fenômeno mundial e não algo restrito ao Brasil. Recentemente, mudanças foram introduzidas na Espanha.

Tags: , , ,

Category: Uncategorized

Comentários (8)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Felipe V. says:

    Rodrigo, bom dia!
    A Gol lançou agora de madrugada a promoção “Lima Tarifa Zero”.
    Mas andei consultando e só achei a tarifa zero saindo de SP ou RJ.
    De outras cidades, paga-se a ida e volta, apesar de no regulamento não informar quais as cidades que participam dessa promoção.
    Abraço.

    Responder

  2. Rodrigo Purisch says:

    Felipe,

    Obrigado pela dica! Virou post.

    Responder

  3. Jefer Sandri says:

    Eu como Agente de Viagem, achei uma falta de profissionalismo e ética com as agências de Viagens por expor o valor que ganhamos por cada passagem vendida.
    Pois em outro comércios ninguem especifica qto cada um ganha pela suas vendas.

    Outra ponto da sacanagem é que no site da tam, não é cobrada essa taxa ridicula que inventaram e estão prejudicando um monte aos agentes de viagem do Brasil com essa concorrência desleal.

    Abraços

    Jefer Sandri Rodrigues
    itajai – SC

    Responder

  4. Rodrigo Purisch says:

    Jefer,

    O pior é que a ABAV está achando tudo ótimo….

    http://www.mercadoeeventos.com.br/script/FdgDestaqueTemplate.asp?pStrLink=3,24,0,27804&IndSeguro=0

    um abraço e obrigado pela visita

    Responder

  5. Jefer Sandri says:

    Eu, na qualidade de Agente de Viagem, achei a mudança ocorrida no valor das passagens uma falta de profissionalismo e ética para com as agências de Viagens, pelo fato de expor o valor que ganhamos por cada passagem vendida.

    Além disso, ocasionou aumento no valor da passagem, sendo que no site da TAM o cliente nao precisa pagar essa “taxa” cobrada. A internet já é uma forte concorrente das agencias e agora com essa diferença de preço será ainda mais concorrente, mais dessa vez desleal, pois tambem é um ponto de venda e tambem teria ter o mesmo preço que as agencias. Se fosse só mostrar o valor da comissão, já seria uma falta de ética, mas agora acrescentar esse valor na passagem é algo inaceitável.

    Onde fica a vantagem das agencias de viagens? De qual lado a ABAV está a final? Se é um orgão cuja função é defender a classe, e nem isso o faz. Então que faça valer o “tal” acordo para aquelas agencias que contribuem e que fazem parte da ABAV, as outras nao precisam sofrer as consequencias de um acordo mal feito. Eles não percebem que sem as agências as vendas cairão drasticamente, pois 80% das emissoes são feitas por agências. Já está havendo um boicote a TAM, pois qual é o incentivo que o agente terá?

    Eles fazem essa palhaçada só pelo fato de não haver concorrência no mercado, infelizmente não temos grandes cias aéreas que possam concorrer de verdade, por isso se acham no direito de fazer o que querem. Contudo, a venda de outras cias já aumentou, pois na hora da venda estamos alertando nossos clientes e eles estão optando por outra empresa, pois também acham ilegal essa cobrança.
    Assim, se depender de nós agentes, isso não ficará assim. Queremos a revogação desse acordo, urgente!

    Jefer Sandri Rodrigues
    itajai – SC

    Responder

  6. Flavio Fernandes says:

    Olá Pessoal,
    sou Flávio, tenho uma agência de viagens em Recife-Pe e achei esse acordo totalmente contrario as agencias de viagens. Piada a ABAV dizer que era uma reinvidação das agencias de viagens. Ainda acho muito pouco esclarecedor como foi todo o processo de decisão desse acordo. Alguem da ABAV deve ter ganhado com isso.

    Não está sendo fácil conseguir converter o cliente para comprar pela agência. mas sempre deixamos claro o que a cobrança significa e que na internet não tem a cobrança. O que sobra é aumentar a participação para a GOL, que sinceramente para nós, agentes de viagens, é pior que a TAM.

    Mas esse acordo TAM é o primeiro passo para acabar com a comissão das companhias áereas como já ocorre em todo o resto do Mundo.

    Responder

  7. vivine says:

    ola sou funcionaria de uma agencia aqui em bh, depois deste acordo ja demitiram 3 funcionarios, as vendas cairam bastante, os clientes compram na internet ja que la não pagam taxa de serviço .Vale ressaltar que a abav vem com historia de que vale o trabalho e a dedicação do agente.O cliente quando vem comprar quer preço depois bom atendimento, por isso fecha na internet. logo a abav contra o agente para que existe esta associação?Expoem o valor que o agente ganha e o que eles ganham?Se quer perguntaram as agencias o que seria melhor.vai ai nossa indignação.

    Responder

  8. Rodrigo Purisch says:

    Vivine

    Infelizmente, o agente vai acabar mais como um consultor do que um vendedor. O bom agente consegue o que o consumidor não tem tempo ou não sabe conseguir. Uma remuneração sem independente da compra e não atrelada a comissão parece ser o futuro. Mas implantar essa filosofia não vai ser fácil tanto para o agente como para o consumidor absorver. E vai passar a cobrar por isso independente da venda. O futuro parece que vai trazer novos acordos como esse da TAM. Quando isso for para o Interncional é que o negócio vai complicar mais ainda.

    Obrigado pelas visitas.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.