O Excesso de Bagagem Pode Fazer o Barato Sair Caro: Cias Centro e Sul Americanas

15 de September de 2007 | Por | 5 Comentários More

Atenção: Os dados contidos nas tabelas, que foram coletados em julho e agosto de 2007, estão sujeitos a modificações sem aviso prévio. Portanto, sempre confirme esses dados antes de efetuar uma compra na qual essas informações sejam essenciais para você. Se por acaso você notar algum erro ou deseje acrescentar alguma informação não hesite em fazê-lo na caixa de comentários. O blog e os visitantes agradecem.

Aqui serão apresentados os dados das cias aéreas com sede em países da América Central e do Sul, inclusive as cias brasileiras. Mas não deixe de ler as tendências gerais contidas neste post.

Optei por selecionar as principais cias, incluindo as cias tradicionais e as cias de baixo custo (low cost).

Foram levantados os dados referentes as seguintes cias aéreas (clique nos links para ser levado diretamente a página com as regras para o transporte de bagagens):

Aerolineas Aerosur Avianca
BRA ( regular nacional charter regular internacional)
COPA GOL LAN Pluna
TACA TAM TAF Total
VARIG Webjet
OceanAir: O site não possui informações, para variar…….

Para ampliar a tabela, clique aqui.


Curiosidades:

Vou repetir o que eu escrevi no texto introdutório dessa série. As franquias em vôos dentro do Brasil, vôos nacionais, são definidas pela Portaria 676 de 13/11/2000 nos artigos 37 e 42. Portanto a franquias em vôos nacionais tem um limite mínimo estabelecido nessa portaria (30kg na virtual primeira classe e 20kg na executiva e econômica- aeronaves com até 20 assentos: 10kg) e como o mínimo costuma ser o máximo no Brasil, todas as cias nacionais adotaram essas esses valores em seus vôos internos. Nela também está contida os valores máximos (1% da tarifa cheia (Y) one way/kg, 2%/kg nas aeronaves até 20 assentos) que podem ser cobrados pelo excesso de peso, mas nesse caso todas optaram por esse teto da cobrança no vôos internos. Essa norma não trata das bagagens em vôos internacionais.

As cias centro e sul americanas se superam em sites com informações incompletas, principalmente em relação ao excesso de bagagem em vôos internacionais e com regras muito variáveis conforme o destino ou aeronave.

O conceito peça é a regra em vôos para os EUA e Oceania. A TACA e a Copa adotam o conceito peça de franquia (2 peças de peso variável) em todas as rotas internacionais. A TAM e a Varig adotam também esse mesmo conceito em seus vôos em direção a Europa. As demais cias usam o conceito peso (número de quilos total, podendo ou não limitar o número de peças) em todas as outras rotas que não sejam para os EUA ou Oceania.

A Aerolineas tem uma franquia de apenas 15kg em seus vôos domésticos e franquias variáveis em seus vôos internacionais. Por outro lado deixa claro que é possível combinar a franquia de passageiros viajando em grupo.

A franquia de passagens partindo dos EUA para o Brasil na LAN é inferior à franquia das passagens partindo do Brasil para o EUA, máximo de 23kg contra 32kg por peça (mantida em 2 o número de peças).

O site da OceanAir supera o das demais no quesito falta de informação. Não há o contrato de transporte nem informações sobre franquia de bagagens em vôos nacionais ou internacionais. Se os sites das nossas cias aéreas ainda carecem de melhoras em vários pontos, a Oceanair precisa de um site todo novo, já que o atual não é compatível com a proposta comercial e com o serviço oferecido pela cia aérea. O Site da Aerosur, apesar de bonito não explicita as normas de bagagem.

A TAM deixa bem claro em seu site que cobra pelo transporte de tvs de plasma em seus vôos. Para tvs até 30 polegadas e 40kg é cobrado 375 dólares e tvs acima de 30 polegadas e até 60kg pagam 450 dólares. Também informa que a franquia de suas passagens partindo da Europa é de duas peças com máximo de 23kg contra 32kg das passagens partindo do Brasil.

Atenção, as franquias em vôos charters da BRA é de apenas 23kg total. O problema se agrava porque muitos consumidores, que olham apenas o preço, não são claramente informados de que alguns vôos realizados pela BRA e vendidos pela PNX são charters. Mas sabendo com antecedência dessa franquia, cabe ao consumidor definir então se esse vôo atende suas expectativas de serviço e preço. Os vôos regulares seguem as mesmas franquias usadas na Gol e TAM.

Fotos: Mag3737
Sob licensa
Creative Commons

Tags: , , , , , , ,

Category: Aeroportos, Bagagem, Planejar e Comprar

Comentários (5)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Rodrigo Purisch says:

    Procure conhecer o preço a cia área que você deseja primeiro. As vezes compensa pagar a passagem para alguem trazer parte das malas ou comprar um passagem na executiva que permite voar com mais malas…

    Responder

  2. Rodrigo Purisch says:

    Fique atento porque algumas cias permitem mais malas, mas não permitem que uma mala ultrapasse determinado número de kilos, mesmo pagando excesso.

    Responder

  3. Luna says:

    Eu tive problemas com Aerolineas Argentinas, porque só é permitido 5 quilos de bagagem de mão. É importante verificar antes do vôo. Para mim este site foi útil http://viagemhoje.com/peso-da-maleta-maximo-permitido-na-aerolineas-argentinas.html

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    No site da Serolineas tem essa informação de forma clara: http://www.aerolineas.com.ar/arg/main.asp?idSitio=BR&idPagina=50&idIdioma=po

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.