Pague Contas: Pagar Taxas Para Acumular Mais Milhas No Cartão de Crédito Vale a Pena?

3 de March de 2010 | Por | 165 Comentários More

Esse texto faz uma reflexão sobre o serviço de pague contas no cartão de crédito, que em algums bancos permite o acúmulo de milhas (ou pontos) no programa de fidelidade.

Muitos leitores aqui do blog descobriram a arte de acumular milhas no cartão de crédito pagando contas na fatura do cartão. Uma das melhores opções era o pague contas do Itaucard que cobrava uma taxa pró-rata (proporcional ao número de dias usado). Cobrava, já que depois de muita discussão e desinformação por parte dos atendentes e de comunicados não claros  ou contundentes do Itaucard (pessoalmente fiquei muito decepcionado com essa atitude do Itaú), o serviço passou a ter uma taxa de 1,99% fixo. Assim iguala-se ao Ourocard (que de vez em quando faz uma promoção isentando de taxas), Santander e HSBC. Este último possui múltiplos muito baixos de acumulação, o que torna desinteressante seu uso.

Agora vem a pergunta: Para mim que usava esse serviço do Itaucard pagando pró-rata, vale a pena continuar usando pagando esse 1,99% a título de acumular milhas? A mesma resposta serve para os usuários do Ourocard.

Antes de tudo gostaria de repetir um conselho que agora adapto para os cartões de crédito: “Milha boa é milha gasta com sabedoria e o mais rápido possível. Não encare suas milhas como um depósito de longo prazo em uma conta poupança, já que a operadora do cartão pode mudar as regras do programa, mudar as parcerias, alterar a tabela de troca ou alterar a validade das milhas. Lembre-se que algumas cias aéreas dificultam ao máximo a emissão de uma passagem usando-se milhas ou pontos e as regras das passagens emitidas com milhas/pontos costumam ser as mais restritivas possíveis ”

Quando pago uma taxa fixa de 1,99% por mês, quer dizer que a cada 1.000 reais pago em contas, vou pagar 19,90 reais extras em taxas para poder acumular milhas sobre esses 1.o00 reais.

Olhe as duas tabelas abaixo que na verdade confirmam que acumular milhas pagando uma taxa para isso não deixa de ser um tipo de poupança ou compra a prazo:

Aqui os valores gastos em dólares para acumular milhas/pontos pagando 1,99% de taxa:

Tabela de valores gastos para acumular milhas usando pagamento de contas no cartão de crédito

Aqui os valores gastos em Reais ajustados por cotação do dólar para acumular milhas/pontos pagando 1,99% de taxa:

Valores gasots em Reais para acumular milhas pagando contas no cartão de crédito

Assim, se você tem um cartão que forneça 1 milha por dólar gasto, você vai pagar cerca de 0,02 USD por milha acumulada (pagando-se 1,99% de taxa fixa sobre o valor da conta). Nesse caso, por exemplo, para emitir uma passagem acumulando 50 mil milhas apenas usando esse serviço como fonte de acumulação, você terá gasto 995 dólares para acumular essas 50 mil milhas. 40 mil sairiam por 796 dólares.

Mas se o seu cartão fornece 1,5 milhas por dólar gasto, você paga cerca de 0,013 USD por milha acumulada pagando-se (1,99% de taxa fixa sobre o valor da conta). Já 50 mil milhas acumuladas usando apenas esse serviço consumiriam cerca de 663 dólares em taxas. 40 mil sairiam por 531 dólares.

Costumava-se dizer que qualquer milha acumulada pagando-se um valor igual ou inferior a 0,02 USD por milha era um bom negócio. Nos dois casos você terá pago um valor igual ou inferior a esse pelas milhas acumuladas. Então posso dizer que vale a pena?

Esse valor era calculado tendo em vista os valores das passagens aéreas que poderiam ser emitidas usando blocos de milhas. Mas o que vimos nos últimos anos foi uma queda do preço das passagens e manutenção ou aumento do número de milhas necessárias para emitir passagens para um determinado destino. Por outro lado, tivemos algumas boas promoções envolvendo emissão com milhas reduzidas ou transferência bonificada para os os programas de fidelidade aqui no Brasil em 2009, mas não temos nenhuma garantia de que voltarão.

Por exemplo, com 50 mil milhas transferidas para o Smiles posso emitir uma passagem do Brasil para os EUA. Se tivesse acumulado essas 50 mil milhas apenas usando o pague contas, teria gasto 995 USD ou 663 USD dependendo do múltiplo por dólar oferecido pelo cartão escolhido. Com 40 mil milhas posso emitir (vou ter que me esforçar um pouco) uma passagem na mesma rota mas no Fidelidade Tam (só que na baixa estação). 40 mil milhas dariam 796 USD ou 531 USD gastos em taxas dependendo do cartão.

A pergunta agora é: Quanto eu gastaria para comprar uma passagem Brasil/EUA? Se o valor for igual ou inferior ao que seria gasto em taxas acumulando milhas, definitivamente não vale a pena usar esse serviço como fonte principal de acúmulo de milhas! Se o valor for um pouco superior a esse que seria gasto em taxas, arrisco a dizer que também não valeria a pena, já que é muito mais fácil emitir uma passagem nas datas desejadas e com menos restrições (além de poder escolher com qual cia quero viajar e ainda poder acumular mais milhas) pagando por ela do que tentando emitir uma passagem prêmio via programas de fidelidade .

Assim, na minha opinião mais moderada e visando um público mais amplo (temos leitores experientes  em milhas que usam outros critérios apoiados em estratégias pessoais), pagar taxas para gerar milhas debitando contas na fatura do cartão de crédito valeria a pena quando:

Você precisa completar um número de milhas para emitir uma passagem prêmio e seu programa de milhagem não vende ou vende milhas com um valor superior ao que você pagaria em taxas. Lembrando que a vantagem de comprar milhas diretamente no programa de fidelidade em relação ao cartão de crédito é que as milhas são imediatamente disponibilizadas na sua conta.

Quando o preço da passagem que você deseja emitir ou o valor pago para um upgrade superar o preço que você pagaria em taxas para acumular o mesmo número de milhas necessárias para sua emissão ou upgrade.

E vale mais a pena quanto maior for os múltiplos em milhas/pontos fornecidos por dólar gasto.

Pode valer a pena:

Quando o seu programa de fidelidade do cartão de crédito promover alguma promoção do tipo transferência bonificada de pontos/milhas para o programa de fidelidade de alguma cia aérea. Dessa forma o custo de aquisição das milhas/pontos é diluído.

No caso de você ser muito, mas muito organizado mesmo e metódico com suas contas, além de bom gestor de investimentos, de forma que possa usar o dias que o cartão te para pagar a fatura, para investir em algo que dê alguma boa remuneração ao valor que você teria gasto a vista no pagamento das contas, reduzido o custo de aquisição dessas milhas. Mas são muito poucos os que se encaixam nessa situação.

Eu gosto de acumular milhas pelo menor valor possível, principalmente em retribuição a uma compra de produto ou serviço pelo qual não paguei nada a mais para ter o direito a acumular as milhas/pontos.  Pessoalmente (isso pode perfeitamente não se encaixar no seu perfil) não gosto da idéia de ter uma série de compromissos financeiros para me preocupar apenas para acumular milhas e não encaro minhas milhas como um investimento comparável a uma poupança ou a um fundo de investimento, mas como algo que pode facilitar uma próxima viagem. Mas nós temos uma série de leitores que podem ser considerados profissas em acumular milhas e estão mais que satisfeitos com suas estratégias. Portanto, a decisão depende muito do seu perfil e do seu nível de conhecimento sobre o tema (riscos e vantagens das milhas).

De qualquer forma, é importante o consumidor conhecer o valor gasto para acumular suas milhas a fim de poder decidir quando e onde é melhor usar as mesmas a seu favor.

Se interessou pelo tema? Quer mais informações? O Fernando Rosa fez um ótimo post até mais claro que este sobre o serviço de pague contas em vários bancos. Tem até planilha de controle de gastos!

Em breve (assim que sobrar um tempo…) vou fazer um outro post baseado numa boa discussão sobre milhas (acumular ou não acumular e até onde) que rolou numa caixa de comentários.

Tags:

Category: Cartões de Crédito, Notícias, Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (165)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Eduardo Souza says:

    Eu nao entendi uma coisa:

    Agora todas as transações vao pontuar 1 ponto por dolar? Inclusive as compras?

    Saudações!

    Responder

    Roberto respondeu:

    Pagamento de contas

    Responder

  2. Waldemar says:

    Rodrigo. Quando viajamos usando um pacote (passagem + hotel), normalmente conseguimos obter um bom preço para o conjunto. Se viajarmos usando milhas teremos que contratar o hotel separadamente. Isso não aumenta o custo total tornando-se anti-econômica a viagem?

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Waldemar,
    Depende. Alguns pacotes devido a tarifas aéreas negociadas e que podem ser em vôos chartrers e não regulares, que dessa forma não seguem as regras dos vôos regulares no caso de cancelamento ou atrasos.
    Se você conseguir uma passagem e um hotel que você goste dentro do pacote, pode ser mais interessante usar o pacote sim.
    Mas muitos viajantes, principalmente que estuda mais milhas gosta de escolher seu hotel com mais liberdade, às vezes usando hotéis que não estão incluídos em pacotes.

    Não há como dizer que sempre o hotel dentro do pacote fica mais barato que comprado fora, pois existem boas promoções na internet no que tange os hotéis.

    Acho que é questão de gosto e domínio do tema.

    Milhas são mais interessantes em passagens complexas em rotas mais caras, o que nem sempre é fácil de emitir.
    Uma abraço

    Responder

  3. Lucas Bettoni says:

    No HSBC isso é perfeitamente possível, vc pode pagar a fatura de um cartão de outro banco/outro emissor, utilizando o limite disponível do seu cartão de crédito HSBC. O único problema é que as taxas cobradas não são das mais amigáveis: R$ 15,00 só pela transação (independente do valor), mais IOF, mais juros.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.