Pluna: Programa de Fidelidade e Aumento nas Taxas de Excesso de Bagagem

19 de January de 2010 | Por | 5 Comentários More

A Pluna lançou seu programa de fidelidade aérea: o Flyclub. A cia que um dia usou o Smiles, optou por um programa ao estilo do Todo Azul da Azul, ou seja, cash back.

5% do valor gasto pagando as tarifas (não vale para as taxas) será revertido em crédito na sua conta do programa (eles chamam esses créditos de Flydollars. A partir de 50 Flydollars acumulados (hoje um Flydollar é igual a 1 USD), você pode usar o valor acumulado para abater no pagamento da próxima passagem. O acúmulo inicialmente só será válido em vôos operados pela 100% pela Pluna ou Aerovip e na parte Pluna ou Aerovip das passagens. Se você comprar uma passagem code share com a Pluna (em nome de outra cia, mas o vôo é operado pela Pluna), nada  de crédito. Os resgates só iniciam-se em 01 de março de 2010.

Mantenho minha opinião: gosto muito mais dos programas baseados em milhas/pontos, mas para uma cia que opera com tarifas para lá de competitivas, o acúmulo de créditos que após certo valor podem ser usados sem restrição de data, não deixa de ser interessante aos usuários frequentes da cia uruguaia.

A franquia de bagagem da Pluna mudou novamente, ou melhor, o preço pago pelo excesso subiu de novo.

Cada passageiro pode transportar no máximo duas peças de 32 kg cada, mas  isso não quer dizer que  esse peso todo está incluído na franquia de bagagem.  Na verdade, para se despachar cada volume  paga-se 20 USD, mas esse valor só cobre os primeiros 20kg. Cada kg extra (acima desses 20 e até o máximo de 32kg) custa 5 USD (exceto na rota Brasil/Chile onde custa 10 USD por kg). Esse valor já foi de 3 e depois de 4 USD…

Quem faz check in no site (ou quem puder comprovar erro no site ao fazer o mesmo) e quem viaja com criança de até 2 anos de colo (que não consegue fazer check in pelo site) têm desconto de 50%, ou seja, paga 10 USD pela primeira peça de até 20 kg (o excesso não muda).

Grupos de 10 ou mais na mesma reserva; quem adquiriu tarifas Y, M e B; passageiros  em vôos originados no Brasil (na volta paga) e em vôos Montevidéu/São Paulo (sem conexão) não pagam os 20 USD da primeira peça despachada (mas pagam o excesso normalmente).

Portanto, ao cotar uma passagem na Pluna, leve em consideração esses valores ao comparar os preços obtidos com os das demais cias.

Obrigado ao David que ainda no ano passado enviou a dica do Flyclub, mas só agora tive um tempinho para publicar.

Tags: , , , , ,

Category: Bagagem, Cias Aéreas, Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (5)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Junior Cesar says:

    Sobre a Pluna, quem for comprar passagens deve estar atento, pois o barato pode sair caro. Além de cobrar, e caro, por qualquer coisa (inclusie bebedias) servidas a bordo, e da taxa de despacho de bagagem na volta, se você estiver vindo de Buenos Aires precisará pagar diferenças tarifárias das taxas aeroportuárias por estar embarcando no Aeroporque e não em Ezeiza (Foi o que me disseram no balcão da companhia em Buenos Aires). Ou seja, no momento da compra de uma passagem para Buenos Aires as taxas apresentadas não são totais, você terá que pagar mais no aeroporto e em dinheiro, não são aceito cartões de crédito para as taxas aeroportuárias, cartões só para bagagem. Não sei como são os voos para Santiago e outras cidades, voei apenas uma vez com a Pluna e sinceramente acho que não vale a pena. Na minha opinião só vale a pena voar Pluna só se a diferença total da tarifa praticada por outras empresas for de aproximadamente U$100,00, caso contrário, pense muito bem.

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Junior,
    Até a pouco tempo, as taxas aeroportuárias argentinas só eram passíveis de serem pagas no aeroporto. Mas sempre puderam ser pagas em pesos, dólar ou cartão de crédito.
    As taxas pagas em vôos entre o Uruguai e a Argentina eram sensivelmente menores. Eu fiz BsAs/Montevidéu e depois Montevidéu/BHZ de Tam no passado. Ao fazer ao pagar a taxa em BsAs o fuuncionário fez questão de checar e rechecar que eu estaria permanecendo duas noites em Montevidéu, pois se fosse caracterizado que eu estaria apenas fazendo conexão seria cobrado o preço para vôos internacionais padrão.

    Mas há alguns dias, as taxas argentinas jápodem ser pagas junto com as passagens, não havendo mais esse problema.

    faça a simulação no site e você verá que o preço cobrado pelas taxas corresponde ao preço cobrado de vôos internacionais normais e não os com destino ao Uruguai.

    Responder

  2. Vinícius says:

    Junior,

    Em Ezeiza também tem o pagamento dessa taxa. Muitos aeroportos da América do Sul cobram essa taxa diretamente do passageiro.

    Em alguns casos, a companhia local pode incluir na tarifa. Mas, as internacionais, em geral não.

    A Pluna já foi muito boa no tempo da VARIG. Atualmente, só com uma boa tarifa mesmo pra voar nela.

    Abraço

    Responder

  3. Silvia Barros says:

    Sou agente de viagens e sinceramente me surpreendi qdo um pax voltou de Montevideo e disse que pagou pelas malas de 20 kg dele e de sua mulher. Nunca tinha sabido de uma cia aérea cobrar por mala e somente pelo excesso.
    Pagou também uma outra taxa de US$ 36.00 por pessoa ref. a ” mayor internacional”, seria uma taxa do governo?
    Gostaria de uma explicação sobre essas taxas.
    obrigada
    Silvia

    Responder

  4. FabioBispo says:

    Alguém aqui já viajou com a Pluna? Vale a pena.

    Estou querendo ir em Dezembro de Santiago até Montevideo e de Montevideo até Porto Alegre e fica muito em conta.

    Quando a bagagem cada pessoa tem direito a bagagem de mão de até 8kg e para despachar até 20kg paga U$25 e se ficar check-in pelo site abate-se U$10. O problema é se passar de 20Kg cada Kg extra paga-se U$15. tem que ser tudo muito calculado.

    Aguardo opiniões.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.