Rapidinhas: Atualizando Notícias do Mundo da Aviação

16 de September de 2009 | Por | 22 Comentários More

Uruguai: Pluna não está nada feliz diante a possibilidade de competição que poderá ser criada com a chegada da BQB, cia aérea do mesmo grupo dono do Buquebus. Vamos ver como a Pluna vai reagir. Falando em Pluna, ela deve inciar vôos para Punta Arenas no Chile em breve e para Foz do Iguaçu a partir de 18 de novembro (quartas e sábados).

A Air Europa, aquela mesmo que abandonou o Brasil no passado, está anunciando que deverá retomar os vôos Salvador/Madri a partir de 01 de novembro. Mas boatos dizem que ela não volta antes do dia 17 de dezembro.  Será que dá para confiar?

Falando em cias que abandonaram o Brasil e ainda fizeram uma lambança depois, a Air China promete novamente retornar ao Brasil em 20 dezembro de 2009 com dois vôos semanais próprios via Madri. Ela ainda possui um code share com a Tam para mais dois vôos que partem de São Paulo em direção a Madri e fazem conexão com vôos Air China na capital espanhola. O Vôo São Paulo/Madri já está a venda por cerca de 520 USD (sem taxas). Na última vez ela veio com tarifas tão boas quanto e no último momento  cancelou a volta…

Quem voar Emirates de/para Brasil ou EUA em classe Econômica até 31 de março de 2010 e for fazer conexão em Dubai de no mínimo 3 noras e no máximo 8 horas poderá usar a sala Vip da Marhaba Lounge no terminal 3. É preciso apresentar o bilhete e o cartão de embarque.

A Tap reduz em 10% a oferta de vôos no Brasil nesta baixa temporada. Só Belo Horizonte escapou do corte. Vale lembrar que ela foi uma das cias que optaram por não brigar por preço com a Air France/KLM e Lufhtansa/Swiss e que os vôos do Nordeste quase não foram incluídos nas suas promoções.

Mudança de planos: Tam, que chegou a anunciar vôos para a África do Sul ainda este ano, decidiu que só irá inciar a rota próximo ao início da Copa do Mundo.

Argentina: Aerolineas não para de dar prejuízo aos cofres públicos. Parte de sua frota não voa devido a falta de dinheiro para investir nesses aviões mais velhos e parados. E ela ameaça aumentar as passagens nacionais em 15%.

Menos vôos para Chile e Argentina. A Gol reduziu pela metade seus vôos para Santiago. Já a Tam cancela dia 13 de setembro seus vôos para Bariloche. Vamos torcer para que seja coisa temporária.

O melhor desempenho econômico entre as cias aéreas nos últimos meses na América do Sul foi da Lan. Conseguiu crescer mesmo na crise. Ela lançou uma classe intermediária entre a Econômica e a Executiva, a Premium Economy, em vôos nas rotas Buenos Aires/Santiago,  Santiago/Montevidéu ou São Paulo ou Lima e  Lima/Quito/Bogotá e São Paulo. Essa classe dá acesso a sala Vip da cia aérea, mas espere pagar um pouco mais por esse conforto (mas muito menos que pagaria na Executiva). Numa simulação na rota São Paulo/Santiago, voar nessa nova classe em novembro/09 custava uns 220 USD a mais que a na econômica, mas é também uma tarifa com muito menos restrições a mudanças de datas, cancelamento ou reembolso. Esse preço deve ser de lançamento, já que existem tarifas intermediárias na econômica superiores a essas da nova classe Economy Premium.

EUA: O Governo Americano começou a cobrar de forma progressiva mais informações sobre os passageiros também em vôos domésticos. Sexo e data de nascimento passam a serem informações necessárias para se fazer uma reserva. Espera-se que até o início de 2010 todos os passageiros sejam submetidos a essas novas regras. Por falar em EUA, não se viu mais falar da ampliação da validade de 5 para 10 anos do visto americano. Parece que o acordo está parado no Congresso brasileiro.

A Air Italy, que atua com vôos charters no Brasil, pretende tornar algumas rotas em vôos regulares. Com isso passa a seguir todas as regras impostas as demais cias regulares que atuam no Brasil (franquia de bagagem, regras de cancelamento e atraso). As rotas em vista são Milão/Fortaleza/Natal/Milão e Roma/Fortaleza.

Fusão ente Iberia e British não evoluiu mais desde o agravamento das finanças da  British.

A Lufthansa, que detem 19% da Jetblue, vai ter vôos code share com essa cia low cost. Quem sabe a Azul no futuro segue o mesmo caminho?

Foto: Attack the Darkness
Sob licença Creative Commons

Tags: , , , , , , , , , , ,

Category: Notícias

Comentários (22)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. juliano says:

    A Gol começou a vender pelo site os vôos para Aruba e Curaçao saindo de Brasília, aos sábados, que estavam sendo operados apenas como fretamentos…

    Contudo, os destinos não estão disponíveis para emissões pelo Smiles…

    Responder

  2. Vinícius says:

    Mais duas atualizações:

    Aeroporto Campo de Marte vai abrigar nova ponte aérea Rio-SP: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u628481.shtml

    e depois Indenizações por extravio de bagagens em voos internacionais podem não ter mais limites
    As companhias aéreas que operam vôos internacionais a partir do Brasil poderão ser processadas por danos morais pelos passageiros que tiverem suas bagagens extraviadas durante as viagens. Pelo menos é isso o que pretende o projeto de lei no. 6085/09, apresentado nesta terça-feira (22/09 pelo deputado federal Marcelo Almeida (PMDB-PR), propondo alterações no Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei 7.565/86). Segundo ele, o Código limita as responsabilidades das companhias aéreas por danos materiais causados aos passageiros e sequer menciona a reparação por danos morais. Atualmente, os passageiros prejudicados pelo extravio de bagagens em vôos internacionais não podem apelar ao Código de Defesa do Consumidor em casos de pendências judiciais contra as companhias aéreas. Isso porque o Código Brasileiro de Aeronáutica e a Convenção Internacional de Varsóvia, de 1929, são as normativas usadas como parâmetro pelo Poder Judiciário para julgar casos dessa natureza. Essas duas leis protegem mais as companhias aéreas do que os passageiros nos casos dos extravios de bagagens. O projeto de lei acrescenta três parágrafos ao artigo 1º do Código Brasileiro de Aeronáutica, que define os tratados, convenções e atos internacionais que regulam o Direito Aeronáutico no Brasil. As mudanças propostas pelo deputado paranaense são simples. A primeira determina que as questões relativas à responsabilidade civil do transportador aéreo serão regidas pelo CBA no que não contrariar a Constituição Federal e o Código de Defesa do Consumidor. A segunda garante a possibilidade de responsabilização civil mesmo se o extravio acontecer em país estrangeiro, desde que a companhia aérea tenha sede, filial ou sucursal no Brasil. A terceira possibilita ao passageiro que sofreu o dano a utilização da legislação que lhe for mais benéfica. Dados da Agência Nacional de Aviação Civil revelam que o Brasil tem 19 empresas aéreas nacionais de vôos regulares. A lista de transportadoras internacionais de vôos regulares engloba 52 empresas. Com a promulgação da Constituição Federal de 1988, foi estendida aos prestadores de serviços públicos responsabilidade objetiva e ilimitada, tal como a do Estado, pelos danos que causarem a terceiros.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.