Ryanair no Brasil?

1 de February de 2010 | Por | 10 Comentários More

Matéria publicada na Veja especulou e a Webjet confirmou que executivos da low cost/low fare Ryanair estariam avaliando a compra de uma participação na Webjet. O negócio dependeria da entrada em vigor do aumento do limite legal de participação de capital estrangeiro nas cias aéreas nacionais. Devemos lembrar que a Webjet não foi incluída no pacote que os antigos controladores da CVC venderam para o Grupo Carlyle.

Esperar que a Ryanair tenha alguma participação no mercado brasileiro é mais que factível, já que estamos falando ainda de um mercado muito lucrativo, mas esperar ver o modelo low cost/low fare Ryanair idêntico ao praticado na Europa funcionando no Brasil é fantasia pura.

O Código Aéreo Nacional, nossa infraestrutura aeroportuária e seu modelo de administração e os acordos coletivos de trabalho estão longe de permitir que Ryanair coloque em práticas as políticas que a permitem cobrar verdadeiras low fares (tarifas baixas) como na Europa. No ambiente atual, cobrar pelo despacho de malas em vôos dentro do Brasil, negociar tarifas e subsídios para operar em aeroportos secundários, colocar os comissários para atuar também no check in e na limpeza das aeronaves, por exemplo, não seria possível. Para complicar, a frota de aeronaves da Webjet é muito mais velha que a da Ryanair, uma premissa para economizar no combustível e na manutenção e um dos pré-requisitos para colocar a política de operação low cost em prática.

Por outro lado, ela tem expertise para dar suporte as operações da Webjet. Só torço para que o vale tudo do marketing da Ryanair não venha também a poluir nossas terras…

Dica do post partiu do Fórum Contato Radar.

Tags: , ,

Category: Cias Aéreas, Notícias

Comentários (10)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Uia! Acho que estamos caminhando aqui no Brasil, não? Quanto mais companhias, maior a concorrência e melhor os preços. Torço muito por isto!

    Responder

  2. Breno Campina Grande says:

    Além de ser otimo para aumentar a concorrencia, essa nova empresa pode usar aeroportos de cidades com grande potencial porem muito mal servidas.
    A ryanair é socia da empresa mexicana vivaaerobus que tem avioes novos, preços agradaveis e deu oportunidade a cidades mal servidas pelas principais empresas aereas.
    quem quiser visite http://www.vivaaerobus.com

    Responder

  3. Fernando Gonçalves says:

    Aeroportos secundários… hum… sei não!
    Quais lugares do Brasil teriam esse tal de aeroporto secundário?
    Acho que a maioria das capitais e regioes metropolitanas só tem um aeroporto e um aeroclube, principalmente no norte e no nordeste.

    Responder

  4. David says:

    Bom, eu acho que este tipo de serviço tem tudo a ver com a realidade do nosso país e tem público pra isso.

    Responder

  5. jorge moraes says:

    Se ela conseguiu se associar a uma aérea mexicana, por que não fazer o mesmo com a simpática Webjet?

    Responder

  6. jose luiz da costa says:

    No Brasil tem várias cidades de 100.000 habitantes, que estão sem voos comerciais , pois não tem aeroportos. Ex. Ponta Grossa no Paraná. Já pensou outras cidades….Falta aeroportos no Brasil. Falta vergonha.

    Responder

  7. adelcir says:

    acho bom que essa empresa compre a webjet,para acabar com a marra de comandantes dessa empresa.

    Responder

  8. Marcos Monsores says:

    Eu moro aqui em Dublin na Irlanda. A gente chega a pagar UM CENTAVO de euro por trecho para cidades do Reino Unido. Realmente é muito barato. Normalmente, com antecedência de 1 mês ou 2… é possível comprar passagens a esse preço ou normalmente a 5, 8, 10 euros cada trecho.

    Responder

  9. Armando T says:

    Antes de mais Parabens ao Blogueiro por este excelente espaco dedicado a aviacao, que por minha ignorancia so fiquei conhecendo a 1 semana.
    Acho que o mercado Brasileiro tem espaco pra crescer a 2 digitos durante uns bons anos e que a eventual vinda de empresas como a Ryanair ira dinamizar ainda mais esse mercado. Mesmo tendo em conta os seus conhecidos pontos fracos penso que o saldo final e muito positivo. Existem inumeras oportunidades (algumas inacreditavelmente nao ou sub exploradas) no Brasil de novas rotas e eu como Nordestino (embora vivendo em Londres) vou escrever acerca da regiao a que pertenco e que poderiam ser dinamizadas atraves da Ryanair ou outra companhia Brasileira:
    THE/GRU e THE/SLZ
    REC/THE/MAO e REC/CWB/POA
    FOR/REC/CWB
    FOR/MCZ/AJU
    REC/MAO/CCS
    CWB/SSA/REC
    GRU/PNZ max 2 semanais
    REC/CWB/EZE

    Faz falta no mercado Brasileiro de mais ligacoes diretas (se forem rentaveis) e a Ryanair e especialista em point to point conexoes. Tive fazendo um estudo caseiro das ligacoes dos aeroportos Nordestinos ligados a Infraero e vejam alguns buracos:

    REC – Nao tem voos diretos sem stop para MAO/BEL/THE/SLZ/CWB/POA
    JPA – FOR/AJU/MCZ
    THE – SLZ/BEL/REC/SSA/GRU/
    PNZ – GRU or BSB

    Isso sem falar nos voos internacionais que reconhecidamente estao superconcentrados em GRU.

    Responder

  10. Gustavo Garibaldi says:

    Apoio plenamente a entrada da Ryanair no Brasil.

    Morei em Dublin por vários anos e viajei bastante de Ryanair.

    Quando a Ryanair começou eles serviam Salmão, para cada um dos passageiros. Voaram por muito tempo sem ganhar nenhum centavo, só tentando criar o nome da empresa e manter a vaidade de seu proprietário, Tony Ryan.Tony, um milionário que já tinha bastante experiencia com aviões.Tinha outra empresa, comprava aviões e alugava as aeronaves para grande cias aéreas, porem sempre quis ter a sua própria cia. Concorrendo com a AerLingus, empresa estatal irlandesa, ficou complicado. A Ryanair passou vários anos sem gerar lucros a quase faliu ate que o “louco” Michael O’Leary atual CEO da Ryanair, fez uma proposta ao Tony. Trabalhar para Ryanair de graça ate que ela começasse a dar lucros e assim o seu pagamento seria 25% do lucro anual.No terceiro ano ele faturou 8 milhoes de pounds.
    Foi ai que começou a Ryanair de hoje. O’Leary, que já trabalha na Ryanair a 25 anos, começou fazendo uma analise em todos os custos da empresa e assim que pôde, começou os cortes. Cortou literalmente tudo, de comida abordo ate os co-pilotos. Muitos o chamam de louco mas de doido ele não tem nada. Ele aprendeu que é melhor falarem mal do que nem falarem de você. Suas propagandas são as criticas do jornal, assim reduzindo inclusive seus custos de marketing. Comida no avião? Tem sim, custa em media 5 Euros um sanduíche… Nossa que absurdo pagar um sanduíche no avião!!!! Absurdo era ele te dar o sanduíche te cobrando 1 centavo pela viagem!!!Claro quem nem todos os assentos do avião tem esse preço. Os preços começam la em baixo e vão subindo chegando aos seus 200 euros ou mais dependendo do lugar. Os valores também dependem de lugar e de temporada. A ideia principal é não levantar voo com o avião sobrando lugares, o que começa a ser prejuízo para Cia.

    ” Mas eu ouvi dizer que a Ryanair quer cobrar pelo uso do Banheiro!!”.É verdade isso?Sim e não. Ouvi uma entrevista dele para uma importante jornalista de Londres que ele explica a sua teoria. Cada aeronave da Ryanair tem 3 banheiros. O que ele quer fazer é tirar dois banheiros em muitos do voos os quais são voos de uma hora ou no máximo duas. Por que? Por que assim, cobrando 1 euro pelo uso do banheiro as pessoas que realmente não necessitam usar o banheiro deixam para usar o banheiro do próprio aeroporto. Assim sendo no lugar dos dois banheiros dianteiros ele colocaria mais 6 assentos e assim poderia encaixar mais passageiros no avião, dividindo os custos e fazendo com que os preços caiam. Essa é apenas uma das teorias dele, que não estão em vigor ainda. Nem me peçam pra que eu conte a do avião sem poltronas, voos em pé!!!

    O que a Ryanair busca é trazer aquelas pessoas que não viajavam de avião pois o valor era muito alto. Aqui no Brasil não será diferente. O que é melhor? viajar de avião ou ficar em casa sem poder viajar pois não tem opção que caiba no bolso. Por que é tão caro viajar dentro do Brasil? Mais caro do que voo para o México. Uma vez pesquisei um voo de Recife para Goias, no meio da semana, em baixa temporada, Valor – aproximadamente R$ 1000 Reais. Hoje um voo para o México custa R$ 1300 Reais.

    By the way, a Ryanair foi a cia aérea de low cost que mais lucrou em 2010 mesmo no meio da crise europeia.

    Esse modelo Ryanair foi inspirado em uma empresa americana que ja fazia isso nos anos 80.

    Agora vamos lá, quando os brasileiros tem dinheiro pra viajar, pra onde eles viajam? Europa e EUA, não é? Se funciona lá, será que não funciona aqui? Pode ser que sim mas vai demorar para as pessoas entenderem e vai ter que se gastar muito com campanha publicitaria!! Porem quando começar a pegar, tadinha das outras cias não fizerem o mesmo.

    Eu só viajarei de Ryanair se eles vierem para cá, pois eu quero é pagar pouco no voo e não muito no lanchinho do avião. AHHH e sem poder esquecer, os avões deles tem quase o mesmo espaço interno de voo da TAM e da Gol.

    Ja fiz 25 voos esse ano, gastei menos nas 14 viagens somadas que fiz na Europa, do que nas 6 que fiz pagando aqui no Brasil.

    Deixando a defesa de lado da Ryanair, vamos falar um pouco de Brasil. Taxas aeroportuárias, custo de gasolina(impostos), direitos trabalhistas, vão complicar bastante porem é necessário começar um movimento para se conseguir um resultado. A Ryanair brigava com as estatais irlandesas e hoje vive querendo comprar a Aer Lingus.Ta quase conseguindo.

    O importante do modelo Ryanair,é que eles baixam o custo deles e baixam os custos dos clientes. As empresas brasileiras sem concorrência, podem ate baixar o custo deles, mas e o nosso?

    Bom fica aqui um pouco da minha experiencia e do meu ponto de vista sobre a Irlandesinha que mais voa no mundo.

    Abraço a todos

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.