Seguro ou Assistência de Saúde de Viagem: Necessários, Mas Preste Atenção às Suas Regras

26 de January de 2012 | Por | 68 Comentários More

Eu considero que ter um Seguro de Saúde de Viagem ou um Plano de Assistência à Saúde em viagem é algo essencial durante uma viagem Internacional. O problema é que muitas vezes são caros e possuem regras com muitas exceções e limitações de cobertura. O problema é ainda mais grave quando quem compra ou confia em um plano ou seguro associado a algum serviço/produto (como cartões de crédito) não lê as regras e viaja acreditando que tem cobertura para algo que efetivamente não tem.

Não deixe a decisão de compra apenas na mão de terceiros, já que muitas vezes eles não tem o conhecimento necessário para saber o que você precisa, não conhece profundamente as regras de todos os principais planos das principais empresas, não conhecem concretamente como se dá o serviço pós-venda. Alguns poucos agem apenas como meros intermediários na venda e visualizando apenas a generosa comissão paga, comissão que encarece muito o preço desse tipo de serviço no Brasil.

Ler e comparar as regras dos planos

Toda cobertura, seja ela um seguro ou plano de assistência, tem regras. É muito importante que você as leia antes de escolher o que é melhor para você.

Sim, essa é uma parte chata e muitas vezes com termos técnicos. Mas é melhor perder tempo agora do que vir a descobrir no momento que você mais precisa que aquilo que você tinha não atende às suas necessidades.

Aconselho que se releia os pontos principais das regras mesmo que você já tenha contratado um desses serviços da mesma empresa. As regras mudam e por isso é tão difícil manter um comparativo delas atualizado.

Valor das Coberturas

Medicina privada de qualidade custa caro no mundo todo. Em alguns países como os EUA, ela custa muito caro mesmo. Assim, não adianta economizar uns trocados na hora de fazer sua escolha de cobertura e ficar na mão na hora que se precisa.

Ninguém com boa intenção contrata um serviço desses pensando em usar. Também não compensa contratar para cobrir uma simples consulta médica ou uma pequena emergência. É necessário pensar que são as grandes emergências que vão resultar em custo muito elevado e elas não avisam quando vão chegar. Já contratei diversos desses serviços e ainda bem que nunca usei nenhum, mas sempre contratei pensando que seria uma boa cobertura que deixaria minha família tranquila em um momento em que a razão perde para a emoção.

Certificado de Schengen e Acordos Internacionais

Primeiro, devemos alertar que a informação de que toda a União Européia ou que todos os países que fazem parte do Acordo de Schengen obrigam que os visitantes tenham uma cobertura de saúde é errônea. O certo é que apenas alguns países que fazem parte desse bloco colocam como um dos pré-requisitos para entrada nesses países a posse de uma cobertura de saúde no valor mínimo de 30 mil euros. No grupo dos que exigem estão a França e a Alemanha e do grupo que não a exige está a Espanha e a Itália. Assim quando leio essa informação errônea em um site de uma empresa que oferece cobertura de viagem, já fico com um pé atrás. Será que dá para confiar nas demais informações?

Para quem não sabe ainda, o Brasil tem acordos firmados com a Espanha, Grécia, Itália e Portugal que dão direito à assistência médica aos cidadãos brasileiros inscritos no INSS (e aos seus dependentes) nesses paises. Estatutários estariam fora dessa lista. Para isso é necessário um certificado (CDAM – Certificado de Direito a Assistência Médica) emitido pelo Ministério da Saúde. Leia mais sobre ele aqui. Ele pode ser solicitado nesses postos aqui.

Independente do exposto acima, é muito interessante que se viaje à Europa portando algum tipo de cobertura. Apesar de muitos dos serviços públicos europeus conseguirem dar respostas a questões de urgência e emergência de forma imediata e com grande qualidade de atendimento, o acesso a um especialista e a alguns exames complementares em questões menos graves é mais demorado na rede pública.

Se você faz questão de um acesso rápido ao especialista mesmo em casos com menor risco de vida, mas que levam a alguma incapacidade, como por exemplo uma entorse, é aconselhável ter uma cobertura extra.

Exclusões

Leia atentamente a essa parte das regras das assistências que você está analisando. E é nessa parte que você vai começar a entender que nem tudo o que você achava estar incluído está e como as coberturas podem variar de uma empresa para a outra.

Doenças originadas de epidemias, endemias (como por exemplo, a Dengue, Febre Amarela ou Malária) ou desastres naturais podem não ter cobertura do seu plano. Doenças psiquiátricas, acidentes em decorrência de uso de bebidas alcoólicas ou outras drogas estão também excluídos da cobertura da maioria dos planos.

Doenças Pré- Existentes

Muitos seguros ou assistências excluem qualquer tipo de cobertura de assistência dada a doenças pré-existentes, mesmo em caso de uma que estava previamente sob controle e que se descontrola durante a viagem. Alguns chegam a excluir mesmo as doenças pré-existentes que o seu portador não tinha conhecimento prévio.

Alguns poucos planos cobrem a agutização de doenças pré-existentes, mas muitas vezes limitam o valor coberto a frações do originalmente coberto e/ou limitam essa cobertura aos planos mais caros e/ou cobram um valor extra muito elevado.

Essa é uma questão séria, já que muitos acabam podendo viajar mais e melhor quando atingem certa estabilidade financeira e familiar, fato que coincide com o aparecimento das chamadas doenças crônico-degenerativas como por exemplo diabetes, hipertensão e aterosclerose. Apesar de uma imensa maioria estar sob controle apenas com uso de medicações corriqueiras, nada impede de ter uma descompensação durante uma viagem.

Assim, se você já tem alguma patologia conhecida e já faz acompanhamento médico, redobre a atenção na leitura das regras da sua cobertura.

Idade

A população no Brasil está envelhecendo e em muitos casos os mais vividos têm condições financeiras mais estáveis que os permitem conhecer o mundo da forma com que sempre sonharam.

Mas sabe que não é fácil ou barato conseguir uma assistência para idades mais elevadas? Algumas empresas limitam a cobertura a pessoas com menos de 60 ou 70 anos. Outras permitem a cobertura de pessoas com idade acima dessas, mas pagando um preço 50 a 70% superior ao cobrado normalmente. Isso lembrando que muitas vezes mantém a limitação de atendimento a doenças pré-existentes, o que é algo mais comum nesse grupo de viajantes.

Algumas assistências de viagem associadas a cartões de crédito dão cobertura ao titular e seus dependentes, mas até qual idade os dependentes estão inclusos nessa cobertura também varia. Para se ter idéia, alguns cobrem dependentes de até 12 anos de idade enquanto outras ampliam a cobertura até menores de 21 anos.

Gravidez

Gravidez não é doença, mas pode evoluir com algumas intercorrências. Hoje em dia é muito comum grávidas partirem para o exterior para montarem o enxoval diante dos preços absurdos cobrados no Brasil.

Muitos planos excluem por completo qualquer tipo de assistência em decorrência de gravidez, mesmo que não seja algo possivelmente previsto. Outras cobram um extra para incluir a cobertura das intercorrências da gravidez e umas pouquíssimas incluem essa cobertura a urgências e emergências associadas à gravidez sem cobrar um extra. Mas todas limitam a cobertura até uma determinada idade gestacional e/ou idade da gestante e excluem a gravidez de mais risco (como uma gravidez gemelar, por exemplo).

Assim, toda a atenção é pouca na hora de contratar um plano para uma grávida. O ideal é ainda viajar apenas após o primeiro trimestre (maior risco de abortamento espontâneo) e antes do último trimestre (risco de parto prematuro). No futuro vamos fazer um texto exclusivo tratando de viagem em grávidas.

Esportes Radicais

Se você tem a intenção ou a possibilidade de praticar algum esporte durante sua viagem, procure saber se o seu plano cobre lesões decorrentes de práticas esportivas ou se tem alguma cobertura adicional para que elas possam ser cobertas.

Duração da Viagem

Alguns planos limitam a cobertura a determinados períodos contínuos fora do Brasil. Mesmo que se faça um plano anual, a cobertura pode ser limitada a períodos máximos contínuos de 90 ou 180 dias. Se você pretende fazer um plano para viagens longas, procure se informar sobre essa limitação de cobertura.

Assistência de Cartões de Crédito

Já falamos um pouco disso aqui neste texto que tem vários testemunhos, mas é sempre bom reforçar a necessidade de ter as regras na mão da assistência do seu cartão. O American Express e o Diners até facilitam isso, mas o Visa e o Mastercard não dão acesso ás regras completas nos seus sites e os bancos emissores recomendam contato telefônico com as centrais das bandeiras dos cartões para conhecer melhor as regras.

Alguns cartões apenas conferem assistência (inclusive emitindo um certificado de cobertura dentro dos padrões mínimos exigidos por alguns países do espaço de Schengen) quando a passagem foi comprada completamente usando o cartão de crédito como forma de pagamento. Outras incluem também passagens emitidas com milhas, mas cujas milhas vieram do programa de fidelidade do cartão.

Assim, confirme quais são as regras do seu cartão. Leia e você verá que as regras variam muito entre os cartões.

Independente do que falamos acima, vale a pena pesquisar sobre a seguradora ou empresa que dá suporte a assistência ou seguro que você quer comprar, saber se tem central de atendimento 24h em português se você tiver limitações em línguas estrangeiras e se o pagamento dos serviços é feito diretamente pela empresa ao prestador de atendimento ou se é pago na forma de reembolso ou se tem cobertura em todos os paises aonde você quer visitar. Olhe também se o plano oferece outros benefícios associados, se você precisa deles e se vale a pena pagar mais por conta deles.

Outra dica: Contratou um plano? Imprima ou salve uma cópia do certificado, das regras do plano e dos telefones de emergência e deixe com alguém de confiança no Brasil. Guarde uma cópia no cofre junto com seus documentos no hotel e leve sempre com você uma cópia da apólice ou cartão com o número dela e os telefones de contato de urgência nos países em que você estará visitando.

Por mais que deteste pagar por essas assistências ou que visualize um sem número de melhores opções para usar o dinheiro despendido nelas, não viajo sem uma delas, do  mesmo jeito que não deixo meu carro sem seguro.  Nunca faço com a intenção de usar, mas de me poupar de aborrecimentos e rombos financeiros não esperados.

O mais complicado desses planos em geral é que só se conhece ele realmente quando precisamos dele, e isso é a última coisa que queremos. Assim, os relatos não publicitários de pessoas que já fizeram uso dos mesmos são ainda uma importante fonte de informação sobre a qualidade dos mesmos.

E você? Tem alguma dica de seguro ou assistência, principalmente para quem tem doenças pré-existentes, está grávida ou está na melhor idade?  Viaja muito e já fez algum plano de cobertura anual?

Tags: , , , ,

Category: Cartões de Crédito, Saúde e Segurança, Seguro Saúde

Comentários (68)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Rui Machado says:

    Alguém sabe de comentários quanto ao premium assistance. Há alguma reclamação quanto ao atendimento do telefone de emergência. Alguém já precisou usar o seguro? Estou pensando em contratar? Aguardo comentários. Grato!

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Já adquiri, até porque tem cobertura de doenças pré-existentes. Mas não usei… O difícil mesmo é conseguir informações das pessoas que já usaram.

    Responder

  2. Jose G.Neto says:

    Gostaria de saber de alguém que já utilizou o seguro Schengen do VISA.
    Ele funciona mesmo?Qdo com problema, liga pra quem?É reembolsável ou o proprio plana paga diretamento.
    Aguardo retorno.Obrigado.Favor responder para o e-mail acima.

    Responder

  3. alex says:

    uma dica eu comprei meu seguro viagem online no http://www.econoparkaeroporto.com.br/seguro-viagem-online.html e ganhei 3 diarias gratis no estacionamento proximo aeroporto de guarulhos.

    Responder

  4. Marcos says:

    Uma informação importante às grávidas: evitem ao máximo viajar aos EUA a partir de 22 semanas de gestação. Uma conhecida infelizmente teve um parto prematuro após esse período, e descobriu que o seguro NÃO COBRE as despesas de UTI com o bebê. As despesas foram de US$ 1,5 milhão (isso mesmo, um milhão e meio de dólares). Não pesquisei a fundo mas, numa busca rápida, mesmo pagando adicional para gravidez, os seguros não cobrem as despesas com o bebê.

    Responder

  5. Fabiola says:

    Olá Rodrigo,
    eu comprei, usei e indico o Seguro e assistência viagem GTA.

    Estava em Varadero / Cuba e em menos de 24h da chegada, torci meu pé na piscina do hotel. Imediatamente chegou um carrinho de golf com uma médica na piscina e solicitou que eu fosse até o quarto pegar meus documentos para ir ao hospital.

    Achei que tudo estava bem e que não havia necessidade imediata disso, porém muitas horas depois no meio da madrugada, meu pé estava muito inchado, eu tinha muita dor e não conseguia mais andar. Liguei para a GTA no Brasil e em 15 minutos eu recebi na porta do quarto 3 médicos que analisaram o meu pé e decidiram me levar para o hospital de ambulância.

    Fui muitíssimo bem atendida no hospital, fiz raio-X, recebi medicamentos e quiseram me engessar mas não deixei pois ainda tinha 15 dias de viagem pela frente e durante 10 dias iria ficar no resort, sem precisar me movimentar muito e quando precisasse um carrinho de golf me ajudaria.

    O médico concordou e apenas me colocou uma tala elástica. A viagem seguiu super bem, no final eu já estava andando inclusive.
    No retorno ao Brasil fiz uma RM e descobri rompi 3 ligamentos mas que o pronto atendimento e as medidas que tomei fizeram com que os mesmos se reestabelecessem.

    Responder

  6. verave says:

    Tenho um cartao platinum mastercard, ja recebi o certificado schengen mas estou super insegura….
    qual a diferença deste seguro para os que adquirimos a um custo salgadinho???
    aguardo urgente uma ajuda, obrigada

    Responder

    Antonio respondeu:

    Já usei o do MasterCard Black e funcionou, paguei as despesas na França e tive reembolso no Brasil, telefone para o MasterCard Platinum e peça todas as informações de como proceder antes de se encaminhar para o atendimento médico.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.