Cingapura: fugindo um pouco das passagens aéreas, pero no mucho

10 de October de 2006 | Por | 11 Comentários More



Vou fugir um pouco do tema básico do Blog e postar umas dicas de viagem a Singapura solicitadas pelo Arnaldo.

Arnaldo, primeiramente, obrigado pelos comentários.

Quanto a Singapura, primeiro quero esclarecer alguns pontos. Meu estilo de viagem é meio básico. Não me preocupo muito com hotéis e quando posso, escolho um hotel acima da média em cada viagem para relaxar por apenas uns 2 dias e tomar um fôlego. Acredito que só podemos conhecer um local andando, portanto ando umas 10 horas por dia. Uma visita ao supermercado local é obrigatória. Adoro cozinhar, mas raramente eu freqüento restaurantes sofisticados durante minhas viagens (tenho que priorizar algo, se não a grana não dá!), mas tento comer o que a população come, frequentando pequenos restaurantes, food courts e barraquinhas. Como tenho uma queda pela Ásia, sempre que posso dou um pulo por lá. Costumo parar na Europa ou nos EUA, tanto na ida como na volta, a fim de conhecer ou rever alguma cidade. A escolha das cidades européias ou americanas baseia-se na passagem aérea que comprei em direção ao oriente.

Vou tentar te dar o máximo de informações dentro daquilo que conheço de Singapura.


Por que gosto de Singapura? Em Singapura, pode-se ter contato com o melhor da Ásia em um pequeno espaço de tempo e sem andar muito. É claro que se perde um pouco da confusão dos demais países do sudoeste asiático. Singapura tem uma população muito amigável (uma mistura de malaios, chineses e indianos), uma ótima culinária (uma das paixões dos moradores), a sofisticação dos grandes centros asiáticos sem as multidões japonesas, o melhor metrô do mundo em qualidade, segurança, um grande apoio ao turismo e se você gosta de compras, então você está em casa (é a maior paixão dos moradores).

Singapore Tourism Board: Singapore Tourism Board

Portal de apoio turístico:
Visit Singapore

Vá ao link : Visit Singapore Brochure Faça uma solicitação que eles enviam mapas e guias para sua casa

Vamos as dicas:

Temperatura:
Como está perto do equador tem um clima tropical quente e úmido. Não faz frio, mas pode-se pegar algumas épocas um pouco mais chuvosas.

Voltagem:
220 volts

Como chegar:
Muitas vezes uma passagem saindo do Brasil sai mais caro (KLM, Air France, SouthAfrican, United, Lufthansa, Swiss) que uma combinação de passagens. Portanto, opto por comprar uma boa passagem saindo do Brasil em direção a um ponto intermediário e depois compro uma segunda passagem promocional em direção a Ásia. Você pode encontrar vôos diretos partindo de várias capitais da Europa ou de algumas cidades dos EUA.

Sempre que posso dou preferência a Singapore Airlines. (qualidade e bons serviços, além de pertencer a Star Alliance). Caso esteja querendo usar a Singapore, compre seu e-ticket diretamente no site da Singapore.
Lá você encontrará ótimas promoções sazonais e que normalmente aparecem uns 2 a 3 meses antes da data do vôo. Mas, o pulo do gato está em pesquisar as promoções especiais anunciadas em cada
site local. Se achar alguma, ela estará disponível depois para venda no site global. Parece que a Singapore iniciou um vôo saindo de Barcelona, com Stop em Milão, em direção a Singapura. Outra dica é que quase todas as passagens da Singapore em direção ao Sudoeste Asiático ou Oceania permitem um a parada em Singapura. Já comprei um vôo (há 1 ano) saindo de Paris aem direção a Hanói com parada em Singapura por menos de 600 dólares. De Singapura fui a Bangkok com cias de baixo custo.

Mas como você pensa em ir a Bangkok, uma outra opção é comprar uma passagem até Singapura ou Bangkok (os dois maiores hubs da região e ótimos centros de promoções aéreas) e depois adquirir uma super promoção de Singapura a Bangkok (trecho com grande concorrência), ou vice versa, no site regional da Singapore (Singapura ou Tailândia) ou no site da Swiss . Muitas vezes as promoções dessas cias tem preços semelhantes ao custo de uma passagem usando uma cia de baixo custo.

Pode-se ainda, comprar uma passagem até a Malásia, Tailândia, Hong Kong e Indonésia (consulte também o site da Malaysia Airlines) e usar uma empresa de baixo custo da região para chegar ao destino desejado. As principais são as Air Ásia e Jetstar Ásia, Tiger Airways . A primeira tem várias super promoções, mas o espaço no avião para você e sua mala é muito reduzido. A segunda é um pouco melhor (faz parte do grupo da Quantas). Na terceira, nunca voei nela (tem participação da Singapore). A SilkAir é a empresa de aviação regional da Singapore e tem promoções para os países vizinhos. A Nok Air é a empresa de baixo custo da Thai, mas faz apenas vôos domésticos.

Existe ainda a Bangkok Airways, que faz o trecho Singapura Ko Samui (ilha tailandesa) com vôo direto. É a mesma cia que faz os vôos de Bangkok a Ko Samui (o aeroporto de Ko Samui é dela e a Thai não voa pra lá). Tem jatos e Turboélices (ATR72), todos novos e com bom serviço. Promoções no Site.

Imigração:
Você irá precisar de vacina para Febre Amarela em dia. Não há necessidade de vistos para Brasileiros. Na alfândega, o primeiro choque é ver que no verso do formulário de imigração está escrito: morte aos traficantes de drogas. Isso é resquício de uma Singapura que já foi muito mais rígida. Hoje as coisas estão um pouquinho mais flexíveis, sendo possível ver mini saias, decotes e algumas pessoas atravessando fora da faixa de pedestre, além das placas avisando sobre multas por fazer isso ou aquilo terem ficado mais raras. Ainda não é permitida a venda de goma de mascar, mas como poderá se ver, a cidade é limpíssima, o que faz pensar sobre a real utilidade/necessidade das gomas de mascar. Posso falar isto, pois já fiz viagens a Singapura com uma diferença de 10 anos entre elas.

O aeroporto Changi é um dos mais modernos do mundo, tendo cinema, mini supermercado, Internet grátis, hotel, picina etc. Na última vez estavam fazendo algumas reformas por lá. Recentemente foi inaugurado o terminal para empresas de baixo custo do aeroporto (Budget terminal). De um lado ficam a Singapore Airlines e suas parceiras e no outro as demais. Existe um trem elevado (Skytrain) que liga os dois terminais. O acesso ao terminal de baixo custo se faz por ônibus desde o terminal 2.

Transporte do aeroporto a cidade:
Sempre usei o metrô, mas existe a opção de táxi ou ônibus (com destino aos grandes hotéis). Tem uma estação do metro dentro do aeroporto junto ao terminal 2. Demora cerca de 30 minutos até o centro. Todas as estações de metrô têm escadas rolantes e a maioria tem piso de granito e ar condicionado. Como dizem: um luxo só!

Transporte:
O metrô (Mass Rapid Transit, ou MRT) dá acesso as principais áreas da cidade e seu custo é baseado da distância percorrida. Se você compra tickets avulsos, você deverá pagar 1 singdolar a mais pelo cartão (depósito), o qual é devolvido ao final da viagem nas mesmas máquinas que vendem os tickets. Muito fácil de comprar.
Os táxis são semelhantes aos modelos encontrados no Japão, mas não tenho idéia das tarifas. Existem ainda os ônibus, mas estes nunca tive a necessidade de usar.

Hotéis:
A cidade tem 2 pólos de hospedagem turística. O primeiro fica no entorno da Orchard Road, a maior concentração de shoppings do planeta, e no entorno do Singapore River onde se localiza o centro de convenções e o centro financeiro da cidade.
Gosto mais de ficar próximo a Orchard rd. Descobri um hotel escola simples mas funcional , que fica a 2 quarteirões da Orchard e a 1 quarteirão do metrô, que tem um bom custo beneficio. Seu nome é

Sha Villa . A maioria dos hotéis da Orchard é de alto luxo e possuem bons restaurantes.

O famoso Raffles fica próximo à região financeira e é uma instituição em Singapura (como o Copacabana Palace é para o Rio). Voando Singapore

Singapore Stopover, as vezes você consegue uns descontos nele (vide o link acima). Na próxima vez, vou lá tomar um Singapore Sling.

Um hotel famoso pela decoração é o

Hotel 1929

Gastronomia:
O Durian e o Chili Crabs são os símbolos culinários de Singapura.

O Durian é um primo da jaca, tem um cheiro muito forte e adocicado (você vai notar quando passar perto dele) e serve para comer in natura, seco ou como sorvete e recheio de doces. Achei um pouco enjoativo, mas a jaca também é . O amor pelo durian é tanto que o centro de convenções de Singapura tem suas formas inspiradas na fruta.
O Chili Crabs é o caranguejo apimentado venerado pelos locais.
Você terá a sua disposição restaurantes de nível mundial que abordam tanto a cozinha internacional como toda a culinária asiática com ênfase na Índia, Japão e China. Gosto muito dos Food Courts, que são pequenas praças de alimentação populares, localizadas no subsolo das grandes lojas de departamento (filiais das Japonesas Isetan, Tokyu e Takashimaya) e nos pequenos centros comerciais. São formados de pequenas lojinhas, sendo que cada uma vende um tipo de comida (sopas, massas de peixe, patos e gansos, comida indiana, lámen, frutas, bebidas, comida tailandesa etc). Já fui nas mais sofisticadas e nas mais populares, todas com fiscalização sanitária e com ótimas opções gastronômicas. O interessante é que se pode comer comida de várias regiões da China. Adoro o cheiro desses locais. O grande lance é fazer várias pequenas refeições durante o dia.

Compras:
Na Orchard pode-se optar pelas grifes mais exclusivas do mundo ou achar uns pequenos camelódromos organizados. Tem para todo mundo. Mas os Shoppings estão espalhados por toda a cidade. O Suntek center e o Marina Bay são os maiores. Existe um shopping só de eletrônico o Funan.
Uma grande loja cujos donos são indianos muçulmanos, o Mustafá fica aberto 24 hora (cerca 6 andares com boas promoções em malas e roupas esportivas, produtos indianos, supermercado, farmácia etc) e está localizado no Little India. Os preços de Singapura são muito bons (os eletrônicos são levemente mais caros que nos EUA) e se tem uma segurança em comprar produtos legítimos nas lojas. Algumas cópias de origem chinesa podem ser encontradas, mas são restritas aos pequenos camelódromos.

No final de maio e início de junho inicia-se a

Salebration (Great Singapore Sale), a maior liquidação da Ásia. A cidade fica cheia de gente do extremo oriente e oriente médio fazendo o que mais gosta: comprar! Nos finais de semana há uma programação cultural especial. Se for nesta época ou no Ano Novo Chinês reserve com antecedência.

O que Ver:
A cidade pode ser dividida nas seguintes regiões:

Região da Orchard road:
Região onde pode ser encontrada a maior concentração de shoppings centers do planeta. Se você tentar conhecer todos em uma única visita, é capaz de você não querer mais ver shoppings o resto da vida. Poderão ser encontradas filiais das maiores lojas de departamento do Japão, além de todas as maiores grifes européias e americanas (todas com várias lojas na Orchard). Nela está localizado ainda o Tourist Information Center para informações turísticas. Pequenos supermercados, bares da moda, restaurantes estrelados e grandes hotéis podem ser encontrados. Nas calçadas, muitas vezes de granito, as pessoas se encontram após o expediente.

Região do Singapore River:
Nesta região encontra-se o Símbolo máximo de Singapura o Merlion, uma figura meio leão e meio peixe.
Encontram-se ainda vários bancos, o Raffles , edifícios da administração pública, o Funan IT Mall (especializado em computadores) e o Suntec City Mall (maior shopping de Singapura, onde se localiza um Carrefour) e sua fonte luminosa. Usando o metrô e descendo na estação City Hall você usará o CityLink Mall (um corredor subterrâneo de 350 metros recheado de lojas e restaurantes) para chegar ao Suntec. Na região de Boat Quay se localizam vários restaurantes com varandas e vista para o rio.

Região da Chinatown:
Devido a forte influência chinesa em toda a cidade, o chinatown de Singapura não chega a chamar muito à atenção. Mas se você está querendo produtos chineses (medicamentos, temperos, chás, ervas, roupas etc) é o local. Vale uma visita.

Região da Little Índia:
Esta é definitivamente o bairro indiano mais limpo do planeta. Os indianos chegaram junto com os colonizadores e são responsáveis por grande parte do trabalho braçal na cidade. No bairro, pode-se encontrar tudo ligado índia: temperos, ervas, roupas, músicas, filmes, jóias, restaurantes, templos e música. Uma visita à Índia sem alguns inconvenientes de uma visita a real à Índia. No entorno, pode ser encontradas áreas com predomínio de população malaia e suas lojas co produtos tipicos.
O Mustafá Center, que funciona 24hs (coisa rara na cidade) é um bom lugar para se garimpar ofertas.

Região de Sentosa:
Sentosa é uma ilha ligada a Singapura por meio de uma ponte e de um teleférico. Nela se localiza o parque temático que é o avó dos parques temáticos atuais. A última vez que fui lá, o parque já sentia o peso dos anos. Parece que reformas tem sido feitas para melhorar o local. Neste parque se localiza a praia mais usada pelos locais (meio com cara de artificial, mas é praia). Nela pode ser encontrados hotéis, campo de golfe etc. O teleférico é interessante, mas o parque….. Mas você tem de ir, pelo menos para falar que não gostou.

Existem ainda passeios ao Jardim botânico, Jurong BirdPark e um Night Safári, mas deles não tenho informações.

Portanto, uns 4 dias são suficientes para conhecer a cidade com calma e fazer umas comprinhas..

De Singapura pode-se fazer passeios ao sul da Malásia (conhecer

Tioman Island , paraíso de mergulhadores) e para Indonésia com certa facilidade.

Espero ter ajudado.

Tags: , ,

Category: Dicas de Viagem, Fora do tema pero no mucho

Comentários (11)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Arnaldo says:

    Rodrigo, que FANTÁSTICO! Além de merecer um jornal apenas para mim, que conteúdo!, que dicas! MUITÍSSIMO grato. Já fiz uma leitura dinâmica e vou começar a “trabalhar” em cima do destipo Singapura. Sobre a vacinação contra Febre Amarela, a minha está em dia (ainda quase dez anos para expirar). Quanto às cias. aéreas, eu iria de Alitalia (para acumular milhas que já tenho naquela cia. aérea) de Milão a Bangkok e desta a Singapura pela Thai ou pela Singapore, mas isso vejo lá na frente (a viagem seria pra outubro de 2007, portanto, fora da época em que fica lotada). Antes de Singapura e Bangkok já tenho planejada e estruturada uma viagem a DUBAI, ISTAMBUL e BUDAPEST. Quanto ao padrão dos hotéis, penso que a gente deve viajar exatamente segundo nossas possibilidades e sempre esforçar-se para ficar hospedado em lugares “acima da média”, para usar o seu termo. Enfim, o que importa é CONHECER o lugar e para isso o que conta é PLANEJAR, estudar, pesquisar e…ANDAR! Eu é que agradeço a gentilíssima reportagem. No decorrer do meu planejamento, irei entrando em contato e pedindo novas informações e dicas, ok?
    Araços,

    Arnaldo

    Responder

  2. Regina Almeida says:

    Olá Rodrigo!!!
    Sou leitora do Freires e do Arnaldo e agora serei sua…A dica de Singapura…veio a calhar pois viajo dia 31 de outubro ao sudeste asiatico con parada para ver um grande amigo em Singapura e vou aproveitar todas as suas dicas. Estamos indo a Thailandia e Bali…se voce quiser já te comentarei tudo e como voce é especialista em passagens…todos os voos no sudeste comprei em cias de low cost…já te comentarei sobre essa aventura…Parabens pelo blog…voces sao simplesmente o MUSTYYYYYYYYYYYYYYY!!!!

    Responder

  3. Rodrigo says:

    Regina,
    Obrigado pela visita e pelos elogios. Claro que quero informações sobre seus vôos. Cuidado com o peso das bagagens, principalmente na AirAsia!

    Gostaria que na sua volta, você me relatasse como foi sua experiência no novissímo aeroporto de Bangkok.
    Eu fiz este roteiro, Bali, Tailândia e Singapura há 3 anos. É muito interessante o contraste entre esses países vizinhos.
    Um abraço

    Responder

  4. Regina Almeida says:

    Oi Rodrigo!!!
    Pode deixar que levarei uma gravadora…mais chique né!! que lapiz e papel!!!! e gravarei cada detalhe dessa experiencia e depois te contarei e te mandarei todas as novas dicas de low cost da regiao. E obrigado pelo aviso, estamos sabendo sobre os limites de peso, nossa sorte é que fazemos uma “escala” em Singapura para ver um amigo, antes de seguir para Bali e vaziaremos as malas, alem de viajar da Espanha com o minimo. Nao sei se chegaremos ao novo aeroporto de Bangkok, viajamos com a Lufthansa e pelo itinerário chegamos ao antigo, e a saida é de Krabi a Singapura. Mas se for o contrario claro que te comentarei.
    Abusando de voce: quando e se puder manda ao meu email algumas dicas do que nao devo deixar de fazer, ver ou comer (parte importante de minhas viagens – descobrir sabores) nesses países. Seria super!!!!Ando visitando todos os blogs e sites de viagem para poder criar meu proprio circuito…Um abraço e estamos aqui sempre online.

    Responder

  5. Rodrigo says:

    Regina,
    Com certeza você vai usar o novo aeroporto de Bangkok http://en.wikipedia.org/wiki/Suvarnabhumi_Airport , o antigo foi totalmente desativado. Vou te passar algumas dicas por aqui mesmo, já que não tenho seu E-mail.
    Melhor guia para a região é o Lonely Planet Southeast Asia. Serve tanto pro mochileiro como para o viajante com orçamento mais rígido. Em Bangkok: Use o Tuck Tuck (mototaxi da região) apenas para conhecê-lo, você tem de negociar e o preço não é tão mais baixo. Use os Taxis com taximetro e leve o nome do lugar escrito ou o mapa, pois muitos taxistas não falam inglês. Pegue o mapa dado no aeroporto, ele é muito útil. Você será abordada por pessoas na rua puxando assunto e perguntando para onde você vai. Elas trabalham para lojas e tem a intenção de atrair turistas. Muitas vezes falam que o lugar que você deseja ir está fechado ou te oferecem lojas para comprar produto locais ou pedras preciosas ou ainda passeios. Não acredite, agradeça e confira por conta própria se o local está aberto ou não. O povo lá é muito alegre e prestativo, mas essas pessoas estragam um pouco o passeio. De resto a cidade ainda pode ser acessada de onibus marítimo (muitas vezes as entradas das “estações” são escondidas em becos, olhe com atenção para não perde-las. Paga-se dentrodo barco ou numa pequena bilhetria se for apenas atravesar de um lado a outro da margem em um barco menor. O Skytrain(BTS) funciona bem e o mêtro é muito novo. Conheça os Food Courts dos Shoppings, a opção de pratos é muito interessante. Tem um Kaiten (sushi na esteira bem em conta próximo ao Patpong) Reserve um dia para o Palácio Imperial e para o Golden Buda (neste último tem uma escola de massagem tailandesa para os pés cansados).
    Se for ao Patpong (região famosa pelo shopping popular e casas de shows eróticos Tailandeses)cuidado com o couvert dessas casas.Se não gosta de pimenta diga, no spice,no hot, no pepper! Em Bali, tenha paciência em Kuta, você será abordado a todo momento por vendedores. Após os atentados o turismo caiu bastante e os vendedores estão sofrendo. Se puder conhecer a piscina do Hard Rock Bali em Kuta, vale a pena para relaxar se você estiver hospedado em Kuta(peguei um bom pacote de 2 dias lá, para pegar fôlego). Sempre ande com água, o calor é grande. Fora de Kuta o assédio diminui muito. Ubud é legal para um passeio de um dia e tem bons restaurantes. Você pode alugar uma pequena van com motorista para conhecer o local em um dia (ele vai esperar uma boa gorjeta, como quase todo mundo em Bali…) Tem um restaurante de Brasileiro em Kuta, o Restubali que é de indonésios. Eu não comi comida brasileira, mas a comida local era boa. Não conheço Krabi (tenho muita vontade, passei por Puket sem ir lá. Um passeio de um dia a Phi-Phi foi muito pouco! Você fica umas poucas horas na praia. Se puder fique um pouco mais de tempo (mais 1 dia). Tem até um holiday inn lá. Se for a Ko Samui (búzios deles) aproveite os restaurantes locais.
    Sempre frequento supermercados locais para comprar temperos e frutas. A comida Tailandesa é mais rica que a Indonésia. E a comida chinesa está espalhada nesses países. Como os preços devem estar bem legais por lá, dá até para conhecer alguns restaurantes mais sofisticados por um bom preço, mas eu não sou o mais indicado nesse tema. Gosto de comer inde os locais comem.
    Se tiver alguma outra dúvida ficarei feliz se puder ajudar.
    Um abraço

    Responder

  6. dina says:

    estou viajando pra tailandia/singapura e gostaria de saber se ‘e possivel fazer a viagem bancok/singapura por terra. nao gostaria de viajar aereo. alguem pode me dar esta informacao?

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Dina,
    Tem sim, mas é uma viagem longa e não sei se vale o tempo perdido. Fiz essa viagem há mais de 15 anos (ida e volta saindo de Bangkok). Há um terminal de ônibus em Cingapura onde se vendem esse tipo de passagem. O terminal é meio sujinho. Desse mesmo terminal se compra passagens para a Malásia. Há 5 anos comprei uma para ir a Mersing na Malásia onde sairia para visita uma ilha (Tioman).A passagem comprada na Tailândia é mais barata que a comprada em Cingapura, mas o os ônibus eram piores também.

    Olha, nessa rota existem várias cias low cost que brigam por preço e hoje acho que não vale a pena ir de ônibus. Faça uma visita na Jetstar (da Qantas), Air Asia e Singapore. Cuidado apneas com a franquia de malas.

    Responder

  7. iracema says:

    Ola

    Bem, quero estudar ingles em Cingapura e ao mesmo tempo tenho que trabalhar para custear os meus estudos, sou brasileira, mas moro na Espanha, falo pouco ingles e espanhol. O que voce me aconselha fazer?
    Quais as melhores escolas?
    Como e o ensino la? Sera que vou me adaptar bem?
    Sou cabeleireira, mas quero sair da area, por esto que quero estudar ingles e posteriormente fazer uma universidade de Servicio Social.
    Ja tenho experiencia com indianos e Pakistanes, porque aqui na Espanha trabalho com este pessoal.
    Podes me dar alguma dica?

    Agradeco muito pela atencao.

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Iracema,

    Infelizmente não conheço Cingapura tão a fundo assim para te dar essas informações. Tente em fóruns para ter essas informações. Só sei que lá são muito rígidos em vistos para trabalho.

    Responder

  8. Lu Malheiros says:

    Rodrigo,
    Estou começando a pensar em uma viagem ao sudeste asiático para fevereiro do próximo ano. O destino seria Bangkok onde ficaria com uns amigos que éstão morando lá.
    Dúvida (são várias, mas deixo a principal):você acha que, hoje, ainda valeria a pena comprar uma passagem até a Europa e tentar pegar uma promoção pela Singapore?

    Responder

  9. Sergio da Silva says:

    óTIMAS DICAS, obrigado.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.