Site Está Parado, Mas Seu Editor Não! Reflexões Rápidas de Algumas Viagens Recentes

18 de April de 2013 | Por | 31 Comentários More

Como já disse neste texto, ando voltado mais em dar atenção a quem depende de mim e a quem sempre esteve ao meu lado. Como adoro viajar, continuo viajando e compartilhando isso com quem amo. Como o tempo livre anda curto, só consigo atualizar as notícias na conta do Twitter do Aquela Passagem, mas conseguindo um tempinho, vou postando um pouco dessas minhas experiências com a intenção de ajudar na montagem da viagem dos leitores, já que a passagem é apenas o começo da viagem!

Dentro dessa proposta de viagem familiar, em outubro de 2012 fiz uma viagem com grande parte da minha família no Oasis of The Seas, o mega navio da Royal Caribbean. Foi uma ótima pedida, já que ele conseguiu oferecer um pouco para cada faixa etária e interesses diversos do meu grupo. Gostei muito, apesar de ter ficado com a impressão de que um navio da classe Freedom (tenho um texto antigo sobre um deles aqui) me atenderia tão bem quanto e algumas vezes por um valor inferior.

Em breve, embarco em um navio da Carnival, companhia que anda passando por um inferno astral no momento. Vamos ver o que terei pela frente. Na fila de desejos, está um cruzeiro da Disney e um da Princess para poder comparar. Cruzeiros não faziam parte da minha vida, mas hoje acho que são uma ótima pedida para viagens com crianças ou com grupos heterogêneos. Aproveito as paradas para identificar destinos que valem ser visitados com um pouco mais de tempo e calma, o que acaba acontecendo.

Chato nessa viagem anterior foi a Delta ter perdido minhas malas no vôo de ida e o estresse de não saber se elas iriam chegar antes do embarque no Oasis. Apesar do perrengue, a Delta me reembolsou os gastos que tive por causa disso de forma até rápida. Errou e assumiu que errou, o que já é grande coisa nesse meio. Vou em breve voar de novo com a Delta e ai faço um resumo dos vôos tentando evitar que essa primeira má impressão contagie meu relato.

Como a paixão por viajar muitas vezes é herdada, este é o meu caso, coloquei na cabeça que iria fazer uma viagem a Ásia (incluindo meu destino preferido, Cingapura) com um dos meus pais. Como a idade dele já não permite mais 24h de deslocamento voando na Econômica, fui procurar opções para ir a Ásia voando na Executiva sem quebrar a minha banca só com a passagem.

E não é que consegui usando os conhecimentos acumulados com anos neste espaço (tanto os que eu já passei, como os que absorvi das dicas dos leitores)! Por meio de uma combinação de milhas (compradas e acumuladas) do Lifemiles da Avianca, do Mileage Plus da United/Copa e do Smiles da Gol a viagem saiu. O custo de emissão das passagens principais (ida e volta Brasil/Ásia voando na Executiva, sem contar os vôos intra-Ásia) saiu por cerca de 2500 USD por pessoa. Uma pechincha pensando em vôos para Ásia na Executiva. Faço um texto depois explicando minha estratégia, que não tem nada de mágica ou fora do comum.

Essa viagem acabou gerando a oportunidade de voar na Executiva da South African, da Thai, da Singapore, da Asiana e da Lufthansa, além de um vôo curto na low fare/low cost Tiger Airways. Fiquei positivamente impressionado com a South African, na qual só tinha voado na Econômica, e com a Asiana (cia que há muito tempo eu queria voar). A Thai foi minha decepção, pois esperava muito mais dela. A Lufthansa ofertou o que eu já esperava dela, mas sem muito destaque quando comparado as demais cias dessa viagem.

Voei dessa vez na Executiva regional da Singapore, que apesar de munida com assentos muito inferiores ao da Executiva de longo curso dos B777-300 (leia mais aqui), mantém o mesmo serviço impecável. Como ela não me decepciona, além da super sala vip dela em Changi (um verdadeiro restaurante buffet), o vôo curto que fiz nela (Cingapura/Hong Kong) foi muito superior ao da Thai no logo trecho Joanesburgo/Bangkok. Quanto mais vôo nas demais cias, mais gosto da Singapore (o que não escondo de ninguém)!

Nessa mesma viagem, fui fazendo minha maratona pelas salas vips: sala Diners em Guarulhos (que perdeu a cadeira de massagem e ainda estava com o banheiro estragado…), sala Centurion da Amex de Guarulhos e do Galeão (boas opções para quem vai fazer um vôo doméstico ou chega muito antes da abertura do check in internacional), sala Mastercard Black em Guarulhos (pequena mas agradável), nova sala vip da Tam no Terminal 2 de Guarulhos (moderna e com vista, mas menos confortável que a outra no Terminal 1) e sala United Club da United em Guarulhos (que tem a melhor oferta de comes e bebes dentre essas que citei acima).

 A sala vip da South African em Joanesburgo ficou devendo, apesar de bonita (falamos de uma sala vip no hub da cia aérea, ou seja, na casa dela), como também a da Asiana em Seul (que perde quando comparada às salas de outras asiáticas em seus hubs). Já a sala domestica da Thai em Bangkok era bem agradável e com opções de comes e bebes superiores as das salas internacionais da Asiana e South African em seus hubs.

As salas da Singapore (mais sóbria) e da Thai (mais moderna) em Hong Kong tinham boa oferta de comes e bebes e eram agradáveis. Fuja da sala vip da CNAC, sala compartilhada pelo grosso das cias chinesas em Hong Kong e da qual a Asiana fazia uso (banheiros sujos e comida de terceira). A sala da Lufthansa em Frankfurt, apesar de ser inferior as salas nos hubs da Singapore e Thai, era adequada a proposta da cia aérea e tinha uma oferta razoável de comes e bebes.

Das salas conveniadas ao Diners, fiz uso da sala The Traveler’s Lounge em Hong Kong (que conta com cozinheiro fazendo macarrão oriental ao vivo), da sala Mashonzha em Joanesburgo (muito bonita e com uma oferta de comes e bebes melhor que da sala da South African), a HUB em Seul (com comes e bebes também melhores que a da sala da Asiana, apesar de menor e menos bonita) e a sala Sky Lounge de Frankfurt (bonita mas com poucas opções de comidas).

Quando falamos em comida em uma sala vip boa no Oriente, estamos falando de salas que oferecem um ou mais pratos quentes (algumas vezes feitos na hora), frios e até sorvetes de marca. Por exemplo, uma das melhores, a sala da Singapore em Changi, tinha mais de 10 pratos quentes, além de salada, soba japonês e sushi. Esse nível de serviço não é visto normalmente pelo mundo, muito menos nas salas que temos aqui no Brasil.

Depois de passar pelo melhor aeroporto do mundo, Changi em Cingapura, e pelos também famosos Icheon (segundo colocado) na Coréia e Hong Kong Airport (quarto colocado), dá uma tristeza tamanha voltar a ter contato com nossos aeroportos. Nem essa pequena revolução a Copa conseguiu fazer… Revolução deve ter sido feita em alguns bolsos privados e públicos por ai… Aeroportos são a porta de entrada de um país, ou cartão de visitas como diz um vídeo que assisti em Cingapura, e se a primeira imagem é a que fica, nos estamos perdidos em termos de turismo. Pelo que pagamos merecemos muito mais!

Falando de hotéis, passei pelo Outrigger Phi Phi Village em Phi Phi Lei na Tailândia (um bom hotel para famílias e casais, apesar do acesso ser um pouco mais complicado), pelo Möevenpick Sentosa Heritage (moderno, bonito e com transporte fácil) na região de Sentosa em Cingapura, pelo ícone Marina Bay Sands (com sua super piscina e bela vista), além do Eaton Smart em Hong Kong (quartos muito pequenos, mas perto do transporte público e do Night Market) e do Lisboa Hotel em Macau (quartos bons, bom preço, apesar do desfile de garotas de programa no pequeno shopping anexo ao hotel).

Foi uma viagem muito agradável, conhecendo novas aéreas e revisitando áreas que gosto muito, mas nada supera a possibilidade de depois de mais maduro poder compartilhar o que você mais gosta com quem você ama e que te ama independente de tudo e da canseira que dei nele na viagem!

Recomendo! Se você tem essa mesma paixão que eu tenho por viajar, monte uma viagem a dois com aquele que cuidou e de certa forma ainda cuida de você! Adapte o roteiro as limitações e gostos dele, contrate um seguro de viagem que cubra doenças pré-existentes, se for o caso, e aproveite para passar um tempo especial. Se as lembranças de uma viagem comum não saem da sua cabeça, então as de uma viagem serão eternas!

 Pai, obrigado pela companhia e por ter topado essa viagem maratona (tinha muito para mostrar e pouco tempo)!

Tags:

Category: Aeroportos, Dicas de Viagem, Sala Vip

Comentários (31)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Ernesto, o pato says:

    Linda viagem, parabens…. Depois conversamos e eu lhe conto o barraco do Riq.

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Ernesto, não entendi porque você foi para a moderação… Você teria gostado da viagem!

    Responder

  2. Luiz says:

    Deixe para trocar o passaporte ao retornar da viagem.. viaje com nome de solteira com nomes iguais no passaporte e passagem.

    Responder

    Regina respondeu:

    Valeu!

    Responder

  3. Leandro says:

    Rodrigo,

    Singapura (Cingapura) deveria te dar comissão. Fui mais um que esteve por lá pelas suas recomendações. Gostei muito, principalmente pela organização.

    E Changi é um show. Sem palavras para aquele aeroporto…

    Responder

  4. Thiago Augusto says:

    Que bom ver outro post por aqui!

    Responder

  5. Marcelo says:

    Caro Rodrigo, gostaria de uma informacao. Vc conhece o Sky Longe e o Luxx longe de Frankfurt? Pois estou viajando em economica para a europa e minha conexao de Vilnius para o Rio e de 6 horas em FRA. Pelo que entendi, portadores do cartao Diners podem entrar sem taxa. Vc ou algum amigo que esteja nos lendo, saberia algo sobre?

    Abs e obrigado,

    Marcelo

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Marcelo,

    Há 1.5 ano usei o Skylounge da Skyteam. Fica mesmo no T2. Tem jeito sim de ir do T1 para o T2 por dentro da área restrita, mas a caminhada é boa e você tem que calcular o tempo. A checagem de segurança (RX) é feita na porta de alguns conjuntos de salas de embarque (tem que calcular que s evai passar por ela antes de entrar na sua sala de embarque). Usei o Diners. Eu sai pelo T1 depois entrei pelo T2 e fui do T2 para o T1 por dentro da área restrita.

    O aeroporto é grande. Agora no verão tem um deck de observação ao ar livre aberto (quando fui estava fechado) junto ao Mac Donalds. Tem também um tour pago para conhecer o aeroporto.

    Tem vários restaurantes no shopping anexo ao aeroporto e na estação de trem anexa ao aeroporto (lá no subsolo tem um supermercado).

    O Skylounge é agradável, tem várias opções de cervejas e de copos, Appletizer (suco de maçã com gás. Para comer, a oferta é mais básica limitadas a pequenos sanduíches, salsichas e tira-gostos.

    Responder

  6. Marcelo says:

    Mais uma duvida, a LH chega e sai do Terminal 1. Existe alguma ligacao das areas restritas do terminal 1 com ou terminal 2. Pois o Sky Louge fica no T2 e meu voo sai do T1.

    Obrigado,

    Marcelo

    Responder

  7. Luiz Liska says:

    Prezado Rodrigo, estou com Flat a beira mar da praia de ponta negra em Natal, quando quiser vir com a familia esta as ordens, bejo do fofofoo, segue link:

    https://www.airbnb.com.br/rooms/796141

    Responder

  8. Marcelo says:

    Fala Rodrigo, vc consegue descrever como comprou cada passagem? Milhas, upgrades, alianças, etc….
    Valeu! Abs

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.