TAM: Política de (Não) Upgrade Usando Pontos no Fidelidade Tam

8 de February de 2010 | Por | 42 Comentários More

Uma das possibilidades de resgate de milhas/pontos  acumulados em um programa de fidelidade aérea é uso dos mesmos para fazer um upgrade de classe (Econômica para Executiva e Executiva para Primeira Classe). Essa opção de resgate é usada por um número muito maior de associados do que muitos imaginam.

A maioria das cias aéreas solicita que se compre uma tarifa intermediária para ter o direito de usar milhas para fazer o upgrade de classe, o que quer dizer que aquelas tarifas super promocionais normalmente não permitem upgrade. Dessa forma, antes de começar a sonhar com um upgrade, cote primeiro uma tarifa dentro das classes de reserva mínima exigidas para o Upgrade.

Mas no caso do Fidelidade Tam, essa opção existe, mas parece ser feita para não ser utilizada. As tarifas nas classes Q ou H que a Tam tem como pré-requisitos para que se possa fazer um upgrade são quase tão caras como um tarifa Y, ou cheia, e podem ser levemente inferiores a uma tarifa promocional na Executiva. Dessa forma, pagando um pouco mais voa-se de executiva usando uma tarifa com regras menos rígidas e ainda se acumula pontos ao invés de gastar um número alto de milhas… Melhor então é emitir uma passagem na Executiva do que usar milhas para upgrade para a Executiva no Fidelidade Tam.

Um leitor do blog, o sr Ranzinza,  ficou tão indignado com a situação que acabou fazendo um post sobre isso no blog dele.  É de ficar indignado mesmo…

Vamos ver como vai ficar essa política depois da entrada na Star Alliance, já que os prêmios Upgrade são uma das modalidade focadas pela aliança nas suas estratégias de marketing.

Tags: ,

Category: Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (42)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Paulo says:

    Paulo Beccon,

    Essa é mais uma prática desrespeitosa da TAM com seus clientes.

    Outras empresas que cobram usualmente taxas de combustível têm valores de resgate mais baixos ou formas facilitadas de acumulo de milhas, isto é, suas milhas valem menos porque além do custo em milhas há que pagar uma “taxa de combustível”. Muitas vezes o valor de resgate em milhas é mínimo porque o lucro da empresa está justamente na “taxa de combustível”.

    A TAM legalmente pode cobrar essa taxa, mas é uma prática abusiva porque os valores de resgate com milhas já incluem todos os custos.

    Afinal, um resgate LHR-Brasil não custa menos que um resgate Brasil-LHR, não é mesmo ? E custa exatamente a metade de um resgte ida e volta, o que comprova que os valores de combustível estão dentro do valor das milhas resgatadas.

    Em tempo, a TAM pode tentar ampliar esta prática copiando procedimento da LAN, que a adquiriu.

    Responder

  2. Emerson Martins says:

    A TAM vai seguir o exemplo da LAN e vai falir por causa disso…

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.