Tudo Azul: Mudanças Complexas e Promoções com Bônus de Transferência de Até 2X1

25 de August de 2013 | Por | 12 Comentários More

O Tudo Azul é o programa de fidelidade aérea da Azul que por muito tempo funcionou na forma clássica de cash back, mas ele sofreu grandes mudanças.

No Passado

Você acumulava 5% de todo o valor gasto nas passagens na forma de créditos em reais. Usava quando queria como forma de abatimento no valor de de novas passagens. Assim, 1mil reais gastos em passagens geravam 50 reais de crédito.

A parceria com os programas de fidelidade de cartões de crédito permitia a transferência de pontos/milhas desses cartões para créditos em reais (normalmente 2500 pontos/milhas geravam 50 reais em créditos) no Tudo Azul. Esse fator de transferência servia como uma forma indireta de dar valor às suas milhas acumuladas no programa do cartão de crédito, ou seja, cada milha/ponto do cartão valia 0,02 reais.

De uma certa forma, isso dava um valor financeiro as milhas/pontos, algo que as cias de cartões de crédito e a maioria dos programas de fidelidade clássicos querem evitar ao máximo. Isso facilita o cálculo de quando é vantajoso ou não o uso de milhas/pontos, desestimulando o gasto em situações nas quais as cias gostariam de estimulá-lo. Além disso, em processos judiciais, essa conversão serve de argumento de que as milhas não são brindes e sim tem valor financeiro real.

Pessoalmente, não gostava desse modelo de cash back, porque o que tento fazer quando se trata de programas de fidelidade é acumular milhas a um custo mais baixo do eu as uso para emitir as passagens nos programas de fidelidade tradicionais. Mas para muitos, principalmente quem tem a passagem paga por terceiros, isso facilitava identificar o valor financeiro das milhas e ao mesmo tempo permitia usar os créditos em qualquer momento, independente se ser em uma passagem super promocional ou na alta estação quando as passagens sobem.

As Mudanças

Mas tudo mudou. As novas regras podem ser encontradas aqui.

A Azul optou por um modelo híbrido, que na minha opinião só ajuda a confundir as coisas para os seus associados. Se era essa a intenção, eles conseguiram. O problema é que nesse jogo, se as pessoas não conseguem facilmente entender as regras, elas dão prioridade para programas com regras mais familiares.

Agora, o programa é baseado em pontos, algo de fácil assimilação para a maioria, porém o acúmulo desses pontos e a determinação de uma pontuação necessária para uma emissão não seguem o modelo tradicional.

Você acumula a partir de 1 ponto por real gasto. Digo a partir porque o número de milhas vai depender de qual tipo de tarifa você comprou e qual o nível você possui dentro do Tudo Azul. Em agosto, o programa ainda dá algum bônus extra.

 

Os créditos em reais porventura existentes no momento da mudança das regras foram convertidos em pontos na proporção de 1 real para 40 pontos.Por exemplo, 50 reais de crédito viraram 2mil pontos (você teria “comprado” cada ponto por 0,025 reais nessa conversão).

Acumulando Pontos

Hoje, para conseguir 2500 pontos comprando a passagem básica e não tendo status elite no Tudo Azul, você terá que gastar 2500 reais.

Na lógica antiga do programa, gastando esses 2500 reais, você acumulava 5% de créditos, o que daria um crédito de 125 reais.

Por outro lado, hoje esses 2500 pontos “valeriam” 62,50 reais se usássemos o fator de conversão usado pela Azul na transformação de créditos em pontos (0,025 reais por ponto) e não os 5o reais que você recebia na transferência de milhas/pontos do cartão de crédito.

Devido as diferenças conceituais, não se pode comparar 1mil pontos do Tudo Azul com 1mil pontos do Smiles ou do Fidelidade Tam. Por que? Um é baseado em gastos em reais e os outros em trechos voados. Pode-se acumular 1 mil milhas Smiles ou 1 mil pontos Fidelidade Tam (voando um trecho curto, por exemplo) gastando muito menos dos 1 mil reais que são necessários para se acumular 1 mil pontos no tudo Azul.

Mas se você voar Azul pagando tarifas mais caras e/ou possuir status elite no Tudo Azul a coisa pode inverter-se.

Transferindo Milhas/Pontos para o Tudo Azul

Agora o fator de transferência de pontos e milhas dos programas de fidelidade dos cartões de crédito para o Tudo Azul ficou na ordem de 1 para 1. Isso quer dizer que 2500 pontos/milhas do cartão de crédito viram 2500 pontos no Tudo Azul.

Comparando as regras atuais com as regras anteriores, como ficam as coisas?

No passado, 2500 pontos/milhas do cartão viravam 50 reais de crédito no Tudo Azul.

Na conversão, cada 50 reais em crédito viraram 2mil pontos Tudo Azul após a conversão.

Hoje, 2500 pontos/milhas do cartão viram 2500 pontos Tudo Azul. Na teoria você estaria conseguindo mais pelas suas milhas no cartão de crédito.

Por outro lado, hoje, o mínimo teórico (já encontrei trechos por 3mil pontos) para emitir um trecho é 5mil pontos Tudo Azul, o que representa uma transferência mínima de 5mil pontos/milhas do cartão de crédito. No passado, essas 5mil milhas transferidas, gerariam 100 reais em créditos, o que em alguns momentos seria mais que o valor de um trecho promocional de curta distância…

Emitindo Trechos no Tudo Azul

Mas agora é que vem o problema. Não é claro o valor dos trechos na Azul, não há uma tabela. O valor cobrado pelos trechos varia ao gosto do Tudo Azul.

Não que hoje isso não ocorra no Smiles ou Fidelidade Tam, mas nesses programas você tem um valor base que serve de padrão para comparar se o que se está pagando por um trecho é abaixo ou acima dele. O valor base nesses dois programas é de 10 mil milhas por trecho doméstico.

Para ter essa idéia no Tudo Azul, é necessário acompanhar de forma regular os valores cobrados por cada trecho, já que podem flutuar.

Hoje, o mínimo teórico (é assim que eles andam anunciando) necessário para emitir um trecho é 5mil pontos no Tudo Azul, o que representa um gasto atual de 5mil reais em passagens promocionais, que no passado gerariam 250 reais de crédito para abater nas suas compras…

O negócio é que, em alguns momentos, é possível comprar até dois trechos com os 250 reais que você acumulava no passado…

Tentando Valorar as Milhas Tudo Azul

Se fossemos usar as milhas/pontos do cartão de crédito como parâmetro de valor para os pontos do Tudo Azul, poderíamos ter esse raciocínio:

2500 milhas dos cartões viravam 50 reais que por sua vez viraram 2mil pontos Tudo Azul = 1 ponto Tudo Azul valeria 0,025 reais. Cada 1000 valeria 25 reais.

Já os pontos acumulados por meio de vôos são muito mais difíceis de serem valorados. O número de pontos acumulados pode variar em até 300% só baseado no seu status elite (no Smiles e Fidelidade Tam essa diferença é de no máximo 100%). O tipo de tarifa também influencia bastante no número de pontos acumulados.

Mas qual o valor que essas milhas podem ser utilizadas? Para tentar responder isso, fiz algumas pesquisas na Azul (os valores referem-se a trechos para voar durante a semana em outubro):

Trecho Belo Horizonte/Recife:

Encontrei trechos por 847 reais ou 10mil pontos (cada 1mil valeriam 84,70 reais) e trechos por 525 reais ou 7mil pontos (cada 1 mil valeriam 75 reais). Se as regras antigas estivessem valendo e você optasse apenas por transferir milhas/pontos do cartão de crédito, os 10 mil transferidos gerariam apenas 200 reais de crédito, crédito que não seria suficiente para pagar a passagem que hoje você emite com o mesmo número de milhas/pontos transferidos.

Trecho Belo Horizonte/Fernando de Noronha

Encontrei trechos por 1409 reais ou 29mil pontos (cada 1mil valeriam 48,58 reais). Nas regras antigas, 30mil milhas/pontos transferidos gerariam 600 reais de crédito, que hoje não cobria nem metade do valor da passagem que você emite com os mesmos 30mil pontos atuais gerados pela transferência.

Trecho Belo Horizonte/São Paulo

Encontrei trechos por 59,90 reais ou 3mil pontos (cada 1mil valeriam 19,96 reais); 71 reais ou 5mil pontos (cada 1mil valeriam 14,20 reais) e 171,90 reais ou 8mil pontos (cada 1mil valeriam 21,86 reais). Nestes exemplos, ao contrário dos acima, a transferência nas regras antigas eram mais vantajosas, já que cada bloco de 2500 milhas/pontos transferidos gerariam 50 reais de crédito.

Olhando desse ângulo, e neste momento pesquisado, a transferência de milhas para a Azul seria extremamente vantajosa principalmente em trechos mais caros e desvantajosa em trechos mais baratos.

Porém, nota-se que alguns desses valores cobrados pelas passagens estão muito elevados. Mas como o valor solicitado em pontos pode variar no tempo e o preço das passagens podem cair ou subir, tudo pode mudar de forma substancial no futuro.

Conclusão:

A Azul criou um programa que em uma olhada superficial parece simples, mas que se mostra muito complicado quando se tenta aprofundado estudo na direção de definir em que situações o mesmo é favorável ou não. Se você leu este texto todo e ainda não conseguiu entender se o programa é para você ou não, não se sinta sozinho.

O programa antigo tinha uma lógica simples, sendo mais fácil visualizar o seu “ganho” no acúmulo de pontos no programa ou mesmo na transferência de milhas/pontos do programa de fidelidade dos cartões de crédito.

Estas regras novas trazem mais complexidade e como visto acima geram situações muito diferentes em termos de vantagens no acúmulo de pontos ou transferência dos cartões de crédito.

O programa parece ser muito generoso para os associados elite que compram tarifas flex, mas muito duro com quem compra passagens promo e não tem status elite no programa. Assim, se você é cliente frequente, o programa é muito interessante. Mas se você faz compras esporádicas, esqueça o programa de fidelidade na hora de decidir por qual cia voar. Foque no preço e qualidade de serviço pois eles te darão mais retorno.

A conversão de pontos/milhas do cartão para pontos Tudo Azul podem ser muito vantajosas, principalmente tendo em mente os valores cobrados por algumas passagens no momento atual. Mas tudo pode mudar no futuro. Assim, não parece um programa onde se deve acumular por longos períodos.

A Azul deve ter tido muito trabalho na elaboração desse programa de forma a proteger seus interesses, pois isso depende quase sempre de análises multifatoriais. Acho que ainda preciso de muito mais tempo para chegar a uma conclusão final sobre ele.

Essa complexidade travestida de simplicidade acaba me afastando do programa. Eu como muitos consumidores não queremos perder tanto tempo avaliando em que condições o programa é favorável tanto para acumulação quanto para emissão. Permitir uma visualização de forma clara de um ganho no uso do programa é maior propaganda de um programa de fidelidade.

Promoções

Quem tem pontos no Sempre Presente do Itaucard poderá transferir seus pontos em dobro para o Tudo Azul até 03 de setembro de 2013. É necessário ter pelo menos 2500 pontos Sempre Presente em conta e transferir a partir de 500 pontos. Uma ótima oportunidade para quem quer viajar dentro do Brasil e emitir suas passagens agora.

Quem tiver Amex ou cartão HSBC pode transferir ganhando 25% de bônus até 31 de agosto.

 

Tags: , , , , ,

Category: Cartões de Crédito, Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (12)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Joao says:

    Rodrigo ainda tem a opcao do dotz, que pode ser vantajosa ou nao , depende do caso. Alguns dias fazem promocoes para emissao com 3,000 dotz…

    Responder

  2. Denis says:

    O problema de transferir os pontos do cartão é que você não sabe o que vai acontecer com o preço da passagem em Reais ou em milhas até o momento em que a transferência é concluída, o que pode levar mais de uma semana…

    Responder

  3. Cinthia Rangel says:

    Confuso demais! Nao serve para mim nao.

    Responder

  4. Geraldo says:

    Sempre Presente e Tudo Azul

    Rodrigo, no dia 25/07, 17/08, 25/08 e 02/09 tentei fazer 4 transferência do sempre presente do Iau para o Tudo azul, alegaram desde o início divergência de cadastro, corrigi o cadastro na azul,não foi corrigi o cadastro
    no Itu não foi, por último fui até agencia fiz um carta com xerox etc. e tal e mesmo assim os pontos não foram transferidos seriam 12000 sempre para 24000 azul, fiquei muito frustrado por que o sistema não aceita mais a transfêrencia e perdi a promoção. O que você pensa desta situação?
    (claro vou encerrar minha conta devolver o cartão e procurar outro programa)

    Responder

  5. Rodrigoclt says:

    Gostaria de deixar um relato importante e se achar conveniente, talvez devesse fazer um post sobre o assunto para alertar os seguidores do seu blog.

    Passei 15 dias na Europa, fiquei em um Mercure em Budapeste, 2 Ibis diferentes em Viena, Mgalery em Praga, Novotel em Munique e Ibis em Madrid.

    Com exceção do Novotel de Munique, os demais (todos) estão fazendo uma economia porca de ar condicionado. Durante a noite, por volta da meia noite eles simplesmente desligam o ar condicionado dos quartos, deixando-os só na ventilação. Apesar de na rua estar por volta dos 12 graus, na maioria dos hotéis era impraticável abrir as janelas, pois o barulho da rua era enorme. Conclusão durante várias noites passei calor de suar durante a noite, pois dentro do quarto ficava um forno.

    Questionei a vários funcionários sobre o problema em diversos desses hotéis que estive, e a resposta dos funcionários da recepção, pasme vc é que são ordens da gerência.

    Isso é um absurdo, pois paguei para ficar em um hotel com ar condicionado e não em um pulgueiro com a temperatura dos infernos. Pelo visto estão colocando o lucro acima de qualquer coisa.

    Fiz um post sobre esse meu problema no FDV, e para minha surpresa várias pessoas relataram ter passado o mesmo problema com a Accor em diversos lugares diferentes. Acho que é importante que as pessoas saibam da prática enganosa que esta empresa anda fazendo.

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Rodrigo,
    Já vivi isso na Europa. Mas acho que, além da questão de economia às custas de conforto, tem também uma coisa cultural por lá também. Eles não gostam tanto de ar condicionado e regulam para os padrões locais, apesar de receberem clientes do mundo todo.
    Em alguns países da Ásia, o frio é congelante como gostam por lá.

    Responder

  6. Pessoal o Celso voltou!
    Vejam no meu blog um artigo sobre erros e acertos no mundo das milhas!
    http://wiliandelatorreportfolio.blogspot.com.br/2013/10/erros-e-acertos-para-voar-com-milhas.html

    Responder

    Wilian Delatorre respondeu:

    http://migre.me/gD7k5

    Mais uma coluna do Celso no meu blog.

    Responder

  7. Geraldo Assis says:

    Olá, tudo bem? Gostei da sua explanação sobre o programa de Pontos da Azul. Parabéns… Pra falar a verdade, pouco entendo desse assunto, porém vi que já entrei numa fria com o programa da Azul, e explico porque:
    1) – Pela regra anterior, quem tinha o programa Sempre Presente do Banco Itaú, poderia transferir 2.500 pontos (como vc mencionou) para a Azul. (não tenho informação se se exigia um lastro maior para permitir esta transferência). Pelas regras atuais,(como vc bem citou) pode-se transferir a partir de 100 pontos, (Ou 500), só que se exige um saldo de 20.000 pontos no programa Sempre Presente.
    2)- Porque entrei nesta fria? Só consegui R$1.000,00 de Crédito mensal no meu Cartão Itaú Card 2.0 e ainda comprei uma passagem aérea com ele, parcelada em 10 vezes, onde meu credito diminuiu mais, em decorrência do saldo devedor das parcelas.
    3)- Tive que pagar R$156,00 de anuidade, (sem necessidade), uma vez que já tinha dois cartões Fidelidade Tam (Visa e Mastercard) com crédito acima de R$4.000,00, onde basta ter os pontos que se pode trocar por passagem aéreas, sem essa burocracia da Azul e exigem de vinte mil pontos pra poder transferir.
    4) – Conclusão: Com essa mixaria de R$1000,00 de crédito no cartão do Itaú, nunca vou conseguir os 20.000,00 exigidos pelo programa (atual) da Azul. Muito melhor cancelar esse cartão e continuar com o Fidelidade TAM.
    Obs.: Só adquiri esse cartão do Itaú para conseguir pontos pra voar na Azul, com isso, perdi as esperanças. Serve de alerta pra seus leitores.

    Grande abraço.

    Geraldo Assis – BH, 24/10/2013.

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    O único problema dos cartões de crédito vinculados diretamente a programas de fidelidade é que os pontos/milhas são depositados diretamente na conta do programa. Quando estão em programas de fidelidade do cartão de crédito, você escolhe quando transferir (desde que tenha o mínimo necessário) e ainda dá nova vida as milhas após a transferência (passam a ter a validade do programa para o qual foram transferidas).
    Para acumular milhas, cartões com baixos limites de compras não ajudam muito mesmo.
    abraço

    Responder

    Bruno respondeu:

    Olá Geraldo,

    Isso que você está reclamando não tem nada a ver com a Azul, quem determina a quantidade de pontos mínimo para fazer transferência para a companhia aérea é o próprio banco. Além disso, a Tam e a Gol também tem esse fator mínimo de 20.000 pontos para você poder resgatar milhas e a Azul é a única que permite transferências a partir de 100 pontos.

    Essa fria que você entrou foi com o Banco e não com a companhia aérea, não confunda as coisas…

    Abraços

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.