Varig: Vendida Para a Gol

28 de March de 2007 | Por | 8 Comentários More
Segundo o portal G1:

Gol compra Varig por US$ 275 milhões

Presidente da Gol anuncia a Lula compra da Varig

Segundo as matérias, o nome Varig será mantido e a Gol investirá em vôos internacionais usando o nome Varig.

Tomara que este seja o fim do martírio da marca Varig e o início do retorno ao padrão Varig de voar.

Qual foi o lucro do Lap Chan?

Tags: ,

Category: Notícias

Comentários (8)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Riq says:

    Ou… quanto que a Gol economizou ao comprar agora, em vez de comprar a velha Varig?…

    Me diz uma coisa: por que será que Lisboa não está na lista de destinos retomados? Ficou impossível competir com a Tap?

    Responder

  2. Rodrigo Purisch says:

    Riq

    O Pessoal vai fazer as contas,
    mas o Lap comprou a Varig por 20 milhões de dólares mais um aporte de 75 milhões + os empréstimos que já tinha feito a Varig: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u109537.shtml

    Especula-se que a Varig foi vendida por 275 milões a Gol.

    Lucro muito bom para os padrões intenacionais.

    A TAP, na crise da Varig, assumiu a operação de todos os vôos da Varig (Code Share). Depois da venda, ela assumiu definitivamente a rota.

    A TAP tem um volume bom de passageiros, vários vôos saindo fora do eixo Rio-São Paulo (pode operar com aviões menores e foge do caos do sudeste).

    A rota Brasil/Portugal (Porto e Lisboa) é fundamental para a sobrevivência da TAP. A TAP conseguiu lucrar após anos de prejuízo. A Luftansa não para de crescer e Air France/KLM também. Alitalia está igual a antiga Varig…

    Está difícil conseguir avião no mercado. Se você tiver que escolher rotas para colocar seus aviões, seria mais interessante ir para Londres (ótimo mercado que a Varig tinha),Itália (a TAM está conseguindo um ótimo desempenho na rota)

    Se eu fosse voltar para a Star Alliance, manteria meu vôo para Frankfurt (conexão com Luftansa) e Madrid (conexão TAP e Spanair) e deixaria um code share com a TAP para Lisboa .

    Não esqueça que a TAM e a GOL durante o processo de leilão tiveram acessos ao data room da Varig. Lá estavam todas as informações sobre as rotas e seus desempenhos.

    A TAM está fazendo sua expansão mirando nos dados obtidos da Varig.

    O leilão foi bom para todo mundo, menos para os funcionários, que demoraram a cair na real de que o governo não iria carregar a Varig nos braços.

    Responder

  3. Rogério says:

    Outra curiosidade: alguém tem uma pista sobre como a Varig/Gol tratará Buenos Aires, o único destino internacional hoje servido pelas duas?

    Responder

  4. Anonymous says:

    Pois é Rodrigo e os funcionários se lasacaram ( não vou usar o termo que estou pensnado pois o seu blog é um lugar de respeito), pois a maioria não recebeu as recisões, nem o FGTS,nem os útlimos meses de salários e os que “sobreviveram”, perderam enntre 1/3 e metade do seu salário, ou seja passaram a fazer o mesmo trabalho recebendo muito menos na “nova” Varig. Nos pobres patos contribuintes, também nos lasacamos pois a “velha” Varig não pagou o que devia a infraero, e a Petrobras…. Enfim, vamos ver se pelo menos como consumidor há uma melhora. Eu realmente não creio, pois o duopolio TAM GOL não vai levar a isto… Vamos ter aquela repetição de TAM com espaço e serviço de GOL, e GOL com preço premium da TAM….

    Erensto

    Responder

  5. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens says:

    Olá, Rodrigo. Estou de volta e a melhor notícia que leio assim que desembarco é a compra da VARIG (cioa. que detestava e que agora parece que definitivamenbte vai) pela GOL. Que máximo ver a luz no fim do túnel e não achar que é o trem ao contrário, porque essa ´nova Varig´ não ia emplacar mesmo…

    Bem, ótimo ver as linahs internacionais de volta e a possobilidade de crescimento e de contratação de alguns funcionários antigos.

    Se der, passe lá no blog que tem matéria nova sobre Cape Town.

    Grande abraço,

    Arnaldo.

    Responder

  6. Rodrigo Purisch says:

    Rogério,

    Acho que só o tempo dirá, mas ela deve aproveitar as frequencias da Varig.

    Ernesto,

    tenho pena dos funcionários também, mas fico sempre com a sensação de que o sindicato desses mesmos funcionários foi uma das causas do desatre da Varig. Eles não souberam o momento de aceitar cortes, achando que ogiverno ia pagar toda a conta. Estavam certos disto com base no passado. O Fernado Pinto, hoje presidente da TAP, tentou mas não conseguiu. A FRB (que é dos funcionários) não soube cortar na própria carne no momento certo.

    Viva! Arnaldo está de volta!

    Responder

  7. Anonymous says:

    Mas, será que é justo que a empresa volte, e que o pessoal não receba NADA, dos maleiros, aos pilotos? Todos ganharam muito, e todos se isentam de pagar as dívidas. Tenho minhas dúvidas de que até que ponto isto é bom para o páis.

    Ernesto

    Responder

  8. Rodrigo Purisch says:

    Ernesto, este é o problema: Quem vive é a Marca Varig e que foi vendida junto com as rotas. Os aviões eram alugados e as rotas são concessões do governo.

    Quem detinha a marca continua existindo, cheia de dívidas e alguns imóveis, centro de treinamento, uma rota e um avião é com a marca Nordeste. Ela que deve satisfação aos funcionários e ela era controlada pela FRB, que por sua vez representava os funcionários.

    A Varig foi uma experiência de autogestão mau sucedida e para isso as ingerências políticas ajudaram muito.

    Eu me lembro que o Brizola tinha um tipo de cartão que lhe dava gratuidade em qualquer vôo Varig. Parece que ajudou a empresa em algum momento lá no Rio Grande do Sul….

    Trabalhar em empresa pouco séria pode fazer o empregado uma vítima, mesmo que tenha todos os direitos na lei. Esse é o nosso país.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.