Voando na Singapore Airlines: O Que Esperar na Primeira Classe, Executiva e Econômica – 2ª Parte

2 de May de 2011 | Por | 25 Comentários More

Está a segunda parte do trip report da Singapore Airlines (a primeira pode ser acessada aqui). Agora vamos falar sobre o que esperar (como é voar) em termos de serviços de acordo com a classe voada.

Para quem tem banda larga, os vídeos tem opção de exibição em HD.

Primeira Classe

Os assentos da Primeira Classe são realmente superlativos. Comportam até duas pessoas sentadas sem aperto.

Uma tela de 23 polegadas chama a atenção imediatamente de quem coloca os olhos nela.

No B777-300 ER, são apenas 8 assentos (1+2+1, em duas fileiras) e que se transformam em verdadeiras camas.

Como mimos, os passageiros da Primeira recebem pijamas Givenchy e uma nécessaire com produtos Salvadore Ferragamo.

Para ter idéia das opções de comidas e bebidas servidas, clique aqui e leia um dos cardápios da Primeira Classe.

Classe Executiva

Posso dizer sem ter medo de errar que os assentos da Executiva do B777-300 ER são comparáveis aos assentos da primeira classe de muita cia aérea conhecida por aí.

Realmente são assentos amplos, confortáveis e que contam com monitores de 15,4 polegadas. Ao lado do monitor e escondidos por atrás de pequenas tampas, você encontra um espelho com iluminação, um porta-trecos, um porta-copos e um setor com tomada de força e entrada de áudio/vídeo, além de portas USB.

Os assentos se transformam em camas, mas para isso há um truque. Você destrava o encosto do assento que acaba por dobrar-se sobre a base do assento. Com auxílio de algumas extensões embutidas na parte posterior do encosto, essa base se estende até uma plataforma à frente do assento formando uma superfície plana. Um travesseiro e um duvet completam o ambiente.


A cabine da Executiva é dividida em duas, sendo que a primeira possui apenas 8 cadeiras (1+2+1) formando quase uma Executiva Vip dentro da Executiva.

Vai uma dica que peguei no Seatguru e comprovei in loco: tente voar nos assentos localizados nas fileiras 11 (voei nela) e 14 (as primeiras de cada seção) que tem uma base plana abaixo do monitor que permite uma posição mais confortável. As poltronas localizadas no meio (fileiras centrais) leva os mais altos a deitar levemente na diagonal, pois a base de apoio para os pés encontra-se mais à direita no assento. Isso não influi na qualidade do seu sono, mas digamos que sentar nas janelas ou nas fileiras 11 e 14 dá uma sensação de mais amplitude.

Você é recepcionado com uma taça de champanhe ao chegar ao seu assento e toalhas quentes são oferecidas sempre antes e após as refeições.


As refeições são servidas à francesa e sempre com a mesa montada pelas Singapore Girls. Os cafés da manhã podem ser servidos de forma completa ou reduzida ao gosto do passageiro (muitos querem dormir até o último minuto possível). No chamado Full Breakfast é servido um prato de frutas, seguido de iogurte com cereais e um prato quente (sempre três opções, sendo uma asiática). Para acompanhar, uma seleção de cafés e chás especiais.

O almoço ou jantar também consiste em 4 pratos. Inicialmente, junto com um drink à escolha do freguês, vem um “tira-gosto” que no meu vôo era composto de Satai de frango e boi (pequenos cubos de carne grelhados e servidos com cebola, pepino e molho à base de amendoim). Segue-se uma salada acompanhada de pães a escolher, um prato principal (sempre três opções, sendo uma assinada por um chefe renomado) e uma sobremesa. São ainda oferecidos queijos, frutas secas, frutas frescas, chás e cafés especiais ao final da refeição. Não dá para reclamar de fome nesses vôos.

As refeições estavam gostosas e algumas realmente muito gostosas. Mas devemos lembrar que comida de avião sempre será comida de avião devido às limitações impostas à sua cocção dentro da aeronave. Assim, dentro dessas limitações, a Singapore merece destaque.

Para ter uma idéia das opções de comidas e bebidas oferecidas aos passageiros da Executiva clique aqui.

Vale ressaltar que fui abordado mais de uma vez por supervisores da Singapore me questionando sobre minha experiência e se teria alguma sugestão ou crítica a fazer. Fiz crítica à temperatura da salada (ela chegava um tanto gelada) que foi anotada prontamente pela supervisora. Como se tratam de vôos longos, acredito que a baixa temperatura na qual são mantidas as refeições guarda relação com a manutenção do frescor dos alimentos.

Posso dizer que nunca tinha chegado tão bem ao destino depois de voar mais de 23 horas. Se pudesse, só voava nesse tipo de assento em vôos longos como esses (São Paulo/Cingapura), pois valem cada dólar investido.

Os banheiros da Executiva são abastecidos com produtos Loccitane (perfume, hidratante e pós-barba), além de oferecerem barbeadores, espuma de barbear, escovas de dente, lenços umedecidos e pequenas toalhas de rosto.

Aqueles que gostam de receber aqueles kits de amenidades oferecidos pelas cias aéreas aos passageiros que voam nas classes superiores podem ficar um pouco decepcionados no caso de voarem na Executiva da Singapore. O kit é oferecido apenas aos passageiros da Primeira Classe e isso já ocorre há alguns anos. Aos passageiros da Executiva, é distribuído um tapa olhos e uma meia/sapato apenas. Mas como disse acima, produtos de primeira linha estão disponíveis nos lavabos. Entendo que a proposta da Singapore é de oferecer a melhor experiência possível dentro de suas aeronaves, deixando os regalos apenas para a Primeira Classe. Não é uma falta grave, mas pode decepcionar quem muitas vezes voa esperando ter esse tipo de lembrança do vôo.

Econômica

Os assentos da econômica possuem apoio de cabeça regulável (com apoio lateral) em couro e apoio para os pés. Cada poltrona tem sua tomada de força individual.

O espaço entre os assentos está acima da média das cias aéreas e semelhantes aos oferecidos por cias como Emirates e Qatar.

O sistema de entretenimento possui tela de 10.6 polegadas com uma luz de leitura embutida na sua base inferior de forma a iluminar o objeto de leitura sem incomodar o passageiro ao lado.

Os assentos estão dispostos na forma de 3-3-3 (configuração que está longe de agradar a maioria no caso de um vôo lotado. A Singapore também tem seus assentos conforto, chamados de Preferred Seats, que podem ser adquiridos no site ao custo de 50 USD (os assentos devem ser adquiridos antes do vôo, não sendo oferecida a opção no momento do check in). O espaço nas fileiras 31 e 44 é realmente impressionante.

Evite a última fileira de assentos, pois eles reclinam muito pouco, além de estarem perto da galley (cozinha) do avião que os tornam mais propensos a ficarem expostos ao barulho inerente às atividades dos comissários.

Clique aqui para ter idéia das comidas e bebidas oferecidas na Classe Econômica. Eu não as provei, mas quem provou disse que estavam boas. O legal é que é comum ter sorvete de sobremesa. Nos intervalos das refeições eram sempre oferecidos snacks e bebidas por comissárias que circulavam os corredores sem parar.

Conclusão

Apesar de contar com assentos, sistema de entretenimento e comida acima da média, o que faz mesmo a Singapore uma empresa superior à média e um destaque entre as melhores são seus funcionários. A delicadeza das Singapore Girls, a busca da qualidade do serviço prestado pelos comissários e pelo pessoal de solo transparecem a importância que dão aos seus consumidores.

Ela não deverá concorrer no mercado brasileiro por preço, não é essa sua natureza (apesar de eu já ter conseguido boas barganhas nela), mas definitivamente vem concorrer em serviço com as demais cias aéreas. Se você valoriza o serviço e manutenção, então a Singapore oferece uma proposta que pode te agradar em cheio. Se seu negócio é preço, então aproveite alguma promoção da Singapore para ter contato com uma filosofia de serviço aéreo que há muito sumiu das nossas cias aéreas e que é encontrado apenas em um seleto grupo de cias aéreas no mundo.

Como disse, não existe cia aérea perfeita, mas a Singapore continua dona do meu coração, mais ainda agora que tenho mais razões para gostar dela. Que venham mais frequências e quem sabe um A380 no futuro? Já torci muito para a vinda dela ao Brasil e virou realidade. Agora torço para tenhamos mais Singapore no Brasil!

Boatos não confirmados dão conta que os vôos podem ter seus horários alterados no segundo semestre de 2011, aproveitando as vagas deixadas pela Mexicana. Tomara que isso se torne logo realidade e assim acabando de vez com o pequeno incômodo que é partir de Guarulhos em plena madrugada.

Tags: , ,

Category: Cias Aéreas, SIABrasil, Trip Report

Comentários (25)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Frederico says:

    Caro Rodrigo, as suas viagens na executiva e primeira classe da Singapore foram com milhas?
    Como foi a logística? As milhas já eram Singapore(Kflyer) ou de outra cia?
    Grato,
    Frederico

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Essa viagem foi a convite da Cia aérea. Mas já viajei usando milhas do Lifemiles da Avianca. http://www.aquelapassagem.com.br/ir-de-executiva-para-a-asia-pagando-por-volta-de-2300-dolares-e-possivel-sim-e-nao-ha-nenhum-grande-segredo/

    Responder

  2. Eliézer says:

    Emiti o trecho Curitiba – Denpassar Bali, com milhas da TAM, sendo o trecho GRU-BCN-SIN-DPS em vôos da Singapore. Carreguei muita expectativa em relação essa empresa, de tantas matérias que rasgam elogios a essa empresa, tais como esta. Sinceramente, não achei nada muito diferente das outras. Entre GRU-SIN um B777-300 igual ao que outras usam nos vôos de longa distância, nem novo nem velho, já o B777-200 do trecho SIN-DPS, sabe Deus quantos anos tinha. A comidinha de bordo igual ao de todas, o mesmo purezinho de batata, uma carne com molho, uma alfacinha, um bolinho xoxo, enfim, nada demais. O que me marcou mais, e de forma negativa, primeiro foi a conexão um tanto desgastante em Barcelona, e segundo a pressa dos comissários no atendimento, aqui nessa matéria descritos como simpáticos, o que eu discordo totalmente, uma simpatia absurdamente falsa, extremamente apressados em servir e recolher, chega a ser constrangedor. Na volta retornei de Bangckok a Frankfurt pela Thai, e o atendimento era basicamente o mesmo em termos de pressa, de modo que conclui ser o jeitão mesmo dos asiáticos. O último trecho FRA-GRU vim de Lufthansa, e Sinceramente, ainda prefiro mais a cara amarrada mas sincera dos comissários alemães.

    Responder

  3. Eliézer says:

    Ah, mais um detalhe, voei no dia 31/12/2012, a passagem do ano foi no meio do Atlântico, e a simpatia deles é nula, pois apesar da ocasião sabidamente comemorada pelos brasileiros, nenhuma palavrinha do comandante ou da chefe de cabine, nem antes da decolagem, nem durante nem depois, parecia um vôo como qualquer outro, exceto que ainda tinha umas guerlandas de natal aqui acolá. Mas outra coisa q me aborreceu, e não sei se já foi disponibilizado agora, mas naquela data ainda não havia nenhum entretenimento a bordo em português, o que também me desapontou, pois foram quase 24 horas de viagem até Singapura.

    Responder

    Rodrigo Purisch respondeu:

    Eliezer,
    Minhas diversas experiências com a Singapore foram muito diferentes da sua, o que não quer dizer que eu não respeito a sua insatisfação.

    Já voei no longo curso para Ásia com Tam/Lufthansa, Cathay/Tam, Singapore, Asiana/Lufthansa, South African/Thai, United/Contiental e continuo achando a Singapore a melhor delas. A Asiana também é muito boa. Gosto de voar nas demais até para poder reconfirmar minhas experiências com a Singapore, já que as cias evoluem e involuem com o tempo.

    Responder

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.