A Argentina é muito mais que Buenos Aires: El Calafate e Perito Moreno

20 de fevereiro de 2008 | Por | 36 Comentários More

Vou aproveitar o entusiasmo da última viagem e publicar um relato sobre um parte dessa viagem

Motivado pelo fortalecimento do real e inspirado pela superviagem descrita e protagonizada pelo Tony e pela Cecília decidi conhecer mais um pouco da Argentina.

Diante do pouco tempo e de uma passagem de ida e volta já comprada para a Argentina com alguma antecedência fiquei na dúvida ente Ushuaia e El Calafate. Usando as informações do Tony como base, decidi pela última e não me arrependi. Fiquei em El Calafate 3 dias completos e duas noites. Colhi bons resultados com essa estratégia. Talvez um dia mais fosse necessário para completar as opções de passeios turísticos oferecidos na região. 4 dias, 4 passeios e 4 restaurantes seriam suficientes para se ter uma idéia daquela parte da Patagônia. Mas se você quiser viver uns dias a mais de ócio, pode incluir alguns dias com esse objetivo.

Mas o que ver em El Calafate e região?

Sem dúvida são os Glaciares a maior atração local. Glaciares são formações de gelo que descem das montanhas em direção aos lagos. Esses maravilhas geladas ficam dentro do Parque Nacional dos Glaciares, um enorme parque nacional que abrange várias cidades.

A partir de El Calafate, pode-se acessar o Glaciar Perito Moreno através de uma viagem de cerca de 70 km (cerca de 1 hora e meia indo com calma) em estradas muito bem conservadas. Apenas um curto pedaço do trajeto, já dentro do Parque Nacional, ainda não foi pavimentado. Como fazia sol, o trecho em nada nos incomodou, devendo apenas manter uma boa distância do veículo da frente a fim de evitar que cascalhos lançados pelo mesmo atinjam o seu carro. Nós turistas pagamos 40 pesos por pessoa para entrar no parque. Os locais e Argentinos pagam bem menos. Mas devido à manutenção e limpeza, são 40 pesos muito bem investidos. Existe um restaurante no local, mas a maioria traz um lanche nas mochilas para comer ali na frente do glaciar.

Foto Panorâmica Perito Moreno

O Glaciar Perito Moreno não é o maior dos glaciares, mas é o que mais próximo se chega na região de El Calafate. Após estacionar o veículo em uma área intermediária, vans (parece que o serviço de van e limitação do estacionamento próximo às passarelas só ocorre na alta estação) fazem o transporte dos turistas até o ponto onde se iniciam várias passarelas que permitem uma visão impar do Glaciar Perito Moreno. As passarelas permitem visualizar essa grande maravilha da natureza de diversos ângulos (é so seguir sempre à esquerda nas passarelas para cumprir o circuito completo), além de ouvir os verdadeiros trovões quando as massas de gelo movem-se ou apresentam rupturas. Todo mundo está lá para ver uma das maravilhas do mundo em extinção, mas querem mesmo é ver um dos enormes pedaços de gelo desprender da massa principal e provocar um mini tsunami no lago. Uma senhora experiência.

Mas não é somente de Perito Moreno que viverá seu passeio a El Calafate. Outros glaciares como o Upsala e Spegazzini podem ser visitados por passeios de barco a partir do porto situado na cidade vizinha Punta Bandera, mas não sem antes pagar a entrada no Parque Nacional de 40 pesos por pessoa. O maior desses passeios (todos realizados pelo mesmo operador), o Todo Glaciares que por sinal custa uns exorbitantes 240 pesos, começa as 9 da manhã e termina as 4 da tarde. Com direito a uma paradinha num lago (Lago Onelli) com pequenos icebergs para um piquenique cuja elaboração e logística depende do próprio turista. Existe um restaurante por lá, mas dele não posso falar muito (trabalha com resevas realizadas dentro do catamarã e com menus fixos) Os catamarãs usados são muito modernos e o operador tem uma boa estrutura. Mas se a grana estiver curta e vontade for muita, tente um passeio menor. Parece haver um passeio apenas para o Glaciar Upsala realizado se houver demanda pelas agências locais. Uma dica: Se quiser comprar o passeio de barco diretamente do operador vá até sua loja (que não tinha placa na época que passei por lá) localizada em frente ao posto de gasolina da YPF no início da Av. Del Libertador.

Outras atividades recomendadas (dentre os passeios oferecidos na região) são minitrekkings nas bordas dos glaciares, cavalgadas a beira do Lago Argentino, passeio numa reserva de aves (Reserva Laguna Nimez) e passeios com jipe 4×4 pelas estepes locais e estâncias. As opiniões sobre quais passeios realizar não são unânimes e vão depender muito do seu gosto pessoal.

Portanto, o esquema geralmente é: cada dia, um passeio diferente. Como gostei tanto de Perito, voltei no meu último dia.

A Cidade de El Calafate

Na verdade tudo gira em torno da avenida principal, Av Del Libertador General San Martin (Av Del Libertador para os íntimos), que apresenta um comércio intenso em cerca de apenas 6 quarteirões principais. O comércio expande-se nas transversais por apenas 1 quarteirão de cada lado. Nas duas paralelas superiores e inferiores localizam-se a maioria das pousadas e hotéis situados dentro do centro da cidade. Restaurantes simples a um pouco mais sofisticados, um mini cassino, sorveterias (com o sorvete da fruta Calafate que deu nome a cidade), lojas de souvenir, Internet cafés, locadoras de automóveis, os dois únicos postos de gasolina (YPF e Petrobrás), agências bancárias com caixas eletrônicos, casas de câmbio e supermercados completam o comércio local. Nada que em umas duas horas não possa ser visto tranquilamente. A cidade fica vazia durante o dia e enche a tarde/noite quando os turistas voltam de seus passeios. Agora em fevereiro (com horário de verão lá também) o anoitecer ocorria lá para as 10 da noite.

Clique aqui para ver esse slideshow com maior definição de imagem

Sugestões:

Alugue um carro. Aluguei seguindo a sugestão do Tony e concordo plenamente com ele. O aluguel não foge muito do padrão nacional, a gasolina é barata e local é muito fácil de guiar. Não esqueça de acender os faróis nas estradas, uma obrigação local que até poderia ser estendida para estradas e cidades no Brasil como fazem no Canadá. Com um carro, você faz seus translados sem depender das várias operadoras locais que cobram valores altos pelos mesmos. Mas atenção, o serviço das locadoras locais e internacionais não é dos melhores. Apenas duas locadoras têm balcões no aeroporto (uma local e a Hertz). Tive uns probleminhas com a Hertz local que apesar da confirmação da reserva não tinha um carro disponível a minha espera. Tive que discutir com o responsável local e entrar em contato duas vezes com a Central Hertz da Argentina (fui muito bem atendidos por eles) até conseguir resolver meu problema. As demais locadoras enviam representantes ao aeroporto para receber e entregar os veículos. O problema é que os atrasos dos vôos são constantes e o pessoal só se movimenta para o aeroporto quando um dos vôos está preste a chegar. No caso de você devolver o carro, pode ser necessário esperar o responsável chegar ao aeroporto para fazê-lo. Os postos de gasolina não estavam aceitando cartões de crédito quando realizei minha visita. Mas pagar cerca de 1,40 pesos por litro, por si só compensa a falta desse serviço. Pela tarde há um certo “congestionamento” nos postos. Um alerta do Tony e Cecília: Cuidado como vento da região, principalmente na estrada (ruta 40) que liga El Calafate a El Chaltén (outro destino dentro da Patagônia). Esse vento sopra forte e as vezes dificulta muito a direção. Outro cuidado é que uma rajada de vento pode fazer da porta do seu veículo uma arma que pode ir em sua direção causado grandes estragos. Há inclusive alertas quanto ao vento nas estradas (foto do Tony).

Não deixe de comer o Cordeiro Patagônico. Seguindo mais essa sugestão do Tony, fui ao Parrilla Ricks. Um restaurante simples, com um igualmente simples buffet de frios/saladas, mas que são acompanhadas por generosas porções de carne trazidas à vontade do freguês. O repeteco é livre! Um cordeiro muito macio e muito bem temperado foi a minha escolha. Aceita cartões de crédito.

Uma opção para um lanche ou pratos mais econômicos fica o Le Lechuza. Pizzas , sanduíches e empanadas são opões do cardápio. A comida por sua vez não tem nada de mais (as pizzas e o sanduíche que exprimentamos). Não aceita cartões de crédito, mas tem a vantagem de estar sempre aberto durante o dia (vários restaurantes fecham entre o almoço e jantar)

Existiam outras opções que por falta de tempo acabamos não testando. Chegar pelas 8 da noite pode ser uma estratégia para evitar filas.

Hospedagem

A cidade vem sofrendo um boom turístico e o número de construções não para de crescer. Parece que todo mundo está abrindo uma pousada, o que está gerando uma super oferta local. Várias são as opções desde de hotéis dentro de estâncias a albergues e camping. Os preços são um pouco altos comparados com os de Buenos Aires. Fazendo uma escolha baseada na junção de preço e qualidade, encontrei uma pousada dirigida por descendentes de japoneses no tripadvisor, a Miyazato Inn. Limpeza e atendimento pessoal em um ambiente simples me conquistaram. Recomendo para quem procura uma boa relação custo benefício. A partir de 80 dólares a noite em quarto duplo. Ela fica a cerca de 4 quarteirões do centro da Av. Del Libertador. Depois vou fazer um post específico da pousada. Mas se tiver interesse, entre em contato com
Jorge Miyasato ou Elizabeth Taago E-mail:miyazatoinn@cotecal.com.ar dizendo que viu no Aquela Passagem e tente um desconto para uns 70 dólares diária na alta temporada com café da manhã continental. São apenas 5 quartos.

Clique aqui para ver esse slideshow com maior definição de imagem.

Não esqueça

Não esqueça de trazer um protetor solar, óculos escuros, um bom casaco e um pulôver para os momentos de frio. Uma capa impermeável cai bem, já que o tempo muda muito e se você fizer o passeio de barco fatalmente vai acabar ficando molhado em algum momento da viagem, principalmente se desejar ficar na parte externa do catamarã. Lembrando que fui no pico do verão. O Tony, que foi no início da primavera pegou um tempo bem mais frio. Independente da época, é o vento que dificulta as coisa. Um vento forte e frio.

O Aeroporto e os vôos

O aeroporto de El Calafate é mínimo, menor que o da Pampulha em Belo Horizonte e talvez do mesmo tamanho do Bayeux que serve João Pessoa. Arquitetura moderna, tem apenas uma loja de souvenir, 5 balcões de check in, uma lanchonete e duas locadoras de carro, além de uns estandes de operadoras de transporte local. Uma mini esteira traz suas malas que podem ser escolhidas a esmo para uma inspeção sanitária. Proibido ingresso com comida não industrializada e frutas. Possui um pequeno estacionamento a frente que é gratuito. Localiza-se a uns 23 km de El Calafate (você vai passar por uma barreira policial que controla a entrada e saída de El Calafate no caminho do aeroporto, portanto use o cinto, acenda o farol e tenha seus documentos em dia se estiver dirigindo). De El Calafate pode-se voar regurlamente para Ushuaia e Trelew (onde meu avião de volta fez uma escala e que porta de entrada para a Península de Valdés e suas baleias maravilhosas). Você pode então fazer um roteiro para conhecer mais cidades da patagônia Argentina, ao invés de ficar só em El Calafate.

Antes de dirigir-se ao embarque, é necessário pagar a taxa de embarque num guichê entre os balcões de check in e a entrada da sala de embarque. O valor pode ser de 18 dólares para vôos internacionais (ou com conexão internacional) ou de 8 pesos para vôos nacionais. Para o Uruguay paga-se uma taxa intermediária.

3 são as cias aéreas que operam em El Calafate: Aerolineas e sua subsidiária Austral, LAN e LADE.

A Aerolineas tem o maior número de vôos para El calafate. Ela e a Austral operam vários vôos usando MD82 e a Aerolineas tem uns poucos vôos usando B737. Atrasos e cancelamentos são frequentes.

Tarifas Buenos Aires/El Calafate (franquia de bagagem de apenas 15kg) a partir de 212 USD (ida e volta, sem taxas, tarifa MVD). Se não conseguir essa tarifa pelo site, tente via o call center da Aerolineas a possibilidade de entrar numa fila de espera dessa tarifa. Tarifas São Paulo/El Calafate (com stop em Buenos Aires) a partir de 470 USD.

A LAN opera poucos vôos para El Calafate (domingos e sexta-feiras). Mas indubitavelmente tem o melhor serviço na rota. Voa com A320 bem mais conservados que os B737 da Aerolineas.
Tarifas Buenos Aires/El Calafate (franquia de bagagem de 20kg) a partir dos mesmos 212 USD (ida e volta, sem taxas, tarifa HEEFF036). Como o vôo parte as 5:45 da manhã para El Calafate, você terá que passar uma noite (?) em Buenos antes de ir a El Calafate se tiver escolhido a LAN para voar desde São Paulo. Mas vale a pena.

LADE: Linhas aéreas mantida pela Aeronáutica da Argentina com a finalidade de integração regional que opera vôos com uma frequência variável (segue um cronograma liberado por trimestres). O site não ajuda nas compras da passagem. Usa aviões bem mais surrados. O quer vi parado em El calafate não me animou não (Fokker F27, sendo que o último deles foi construído em 1987 e um F28..)…Não seria uma das minhas opções, apesar de poder ter preços inferiores aos das demais cias, além de realizar vôos do tipo piga-pinga pela Patagônia.


Clique aqui para ver esse slideshow com maior definição de imagem.

Saí correndo atrás das passagens para El Calafate e infelizmente as minhas datas apenas combinavam com um vôo de ida pela LAN. A volta teria que ser com a Aerolineas. As passagens foram compradas por cerca de 212 dólares (ida e volta sem taxas, 106 cada perna). Um bom preço comparado aos praticados no Brasil para um vôo de cerca de 3 horas de duração.

Que tal ir além de Buenos Aires na Próxima Vez? Vale a pena e ainda dá para matar a saudade da capital portenha e seus restaurantes na ida e na volta.

PS: O vídeo foi inacreditavelmente gravado e editado num celular Nokia N95 pela minha companheira vegetariana, mas agora ela não é mais despreparada! Obrigado pelo serviço!

Tags: ,

Category: Dicas de Viagem, Fora do tema pero no mucho

Comentários (36)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Carla Castro disse:

    Uau, Rodrigo, que lugar fantástico!!!

    A Patagônia é o supra-sumo dos meus sonhos de viagem e com esse post e o link para a viagem do Tony fiquei ainda mais animada!!!

    Lindas fotos.

    Abraços,
    Carla

  2. Anonymous disse:

    Rodrigo

    Parabens pelo post, muito legal!!!

    Também recomendo na Argentina, Ushuaihia, San Martin de Los Andes, Vila Angostura a pouco conhecida região de Malargue e San Luis e Mendoza. Ainda não conheço Salta, mas quero ir. E, para quem pensa que buenos é barato, estes destinos ( exceto Ushuaia ) são regalados

    Ernesto

  3. Gercivaldo disse:

    Caro Rodrigo, parabens pelo relato de El Calafate, pretendo ir em Junho e tenho uma dúvida. Você comprou a passagem pela Aerolineas como residente no Brasil ? Pois ano passado comprei uma passagem pela Lan de Santiago para Puerto Montt como residente no Chile e viajei sem problemas, visto que ela saiu bem mais barata de eu comprasse como residente do Brasil. O mesmo se aplica à Aerolineas ?

  4. Eduardo Luz disse:

    Rodrigo, que post ! Conheço a Patagônia Chilena ( Torres del Paine) e o teu relato me fez pensar em conhecer a argentina também. Agora, é muito legal ver os icebergs e todo o entorno deles, né ? E você deve ter tomado o tal whisky de 12.000.012 anos sendo 12 milhões de anos do gelo !
    E coincidência, o teu post complementou as informações sobre o interior da Argentina que sairam na VT ! Parabéns e congratulaciones pela pequena viagem proporcionada a nós !
    E como anda a Aerolineas? A mesma bomba ou melhorou um pouco ?

  5. Tony disse:

    Prezado Rodrigo, não é todo dia que temos a honra de ler textos sobre as suas viagens. Parabéns pelo relato e as fotos de um lugar espetacular. A dica da Miyazato Inn é muito boa mesmo, hospedagem decente e em conta é uma raridade em El Calafate. Vamos ver se quando voltarmos para Santa Cruz a pousada ainda dá um descontinho para os amigos de Aquela Passagem…

    Carla, a Patagônia é um sonho de viagem mesmo, especialmente se você gosta de natureza, muitos bichos, plantas e árvores e espaços abertos que não terminam nunca.

  6. Mo Gribel disse:

    Rodrigo,
    Prometi a mim mesma que a minha próxima viagem para Argentina NÃO será Buenos Aires – apesar de eu adorar lá.
    Eu tenho muita vontade de ir à Patagônia e Ushuaia, inclusive.
    Fiquei feliz pelo seu post diferente, é bacana ver que vc também passeia! :o)
    Ahhh, quanto a foto do vento, aqui na Carvalho Pinto tem uma placa desta. A próxima vez que eu passar, fotografo!

  7. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens disse:

    ESPETACULAR! Temos Рfinalmente! Рum Rodrigo Purish excelente em relatos e guias de viagens. MUITO bom, bem escrito, ̼til preciso.

    Gostei MUITO dos filmes e ainda não o fiz no meu blog porque não tive tempo de aprender a editar os vídeos e inserí-los no Youtube ou no Photobucket.

    Eu que me cuide com essa nova fase do AQUELA PASSAGEM.

    Está como eu gosto, sério, olhar maduro, não superficial, abrangente. Fico muito feliz por vocês terem viajado e por esta nova fase do blog.

    PARABÉNS!

    Arnaldo
    FATOS & FOTOS de Viagens

  8. Anonymous disse:

    Rodrigo e tripulação do blog,

    Estou em dúvida sobre comprar passagens para PRAGA com as companhias aéreas Air France ou Lufhthansa… gostaria de saber de quem já voou em classe econômica em ambas qual das duas oferece poltronas mais confortáveis (ou menos desconfortáveis, acho que essa é a realidade). Agraeço as opiniões. Abraços, Mônica

  9. Rodrigo Purisch disse:

    Obrigado pelas visitas e elogios!

    Respondo as perguntas um pouco mais a tarde.

    um abraço a todos

  10. Rodrigo Purisch disse:

    Carla,

    Como o Tony falou, vale muito a pena. É uma viagem diferente para se ter contato com a natureza. Pelos 3 dias ainda fiquei com um gostinho de quero mais. Um passeio por dia, um restaurante o que sobra é para relaxar. Não tem outras obrigações turística.

    Ernesto,

    A Argentina tem muito mais para oferecer mesmo. Para quem mora em São Paulo onde as passagens são mais baratas é um destino para ser desbravado agora!

    Gersivaldo,
    Comprei como residente brasileiro mesmo. A perna de BUE/FTE pela LAN foi adquirida no site da LAN todo em português. A volta (FTE/BUE) foi comprada no call center da Aerolineas. Não consegui comprar a tarifa que queria no site. Existem duas tarifas de 106 USD one way na Aerolineas: A NVD pode ser vendida em todo mundo menos Venezuela e Argentina e a BVD só para Argentinos. Nunca tentei comprar essas passagens com preços diferenciados apenas para locais pelo risco de ter que provar a residência e não conseguir.

    Mô,

    El Calafate e Ushuaia não são Buenos Aires.. porta aberta para voltar a Argentina. A foto do Tony ficou muito interessante. Mas realmente peguei umas rajadas muito fortes. As mais fortes que já senti.

    Arnaldo,

    Obrigado pelos elogios. Mas quem faz guias de viagem com competência é você! Eu faço pequenos relatos dentro de um blog cujo tema central é passagens aéreas e mundo entorno delas. Quando tiveer algo interessante posto, mas a frequência não deve ser alta não.
    Foi minha primeira experiência com essas montagens. Pena que a página ficou muiot pesada e tive de reduzir algumas, apesar de não ter resolvido todo o problema do peso da página..

    Mônica,

    A experiência de uma viagem pode depender tanto da cia escolhida como das aeronaves escolhidas para realizar os vôos. De qualquer forma você vai fazer dois vôos: um transatlântico (para Paris ou Frankfurt ou Munique) e um regional (de lá até Praga).

    A Air France: Faz São Paulo/Paris com B777-200 (assentos 3+3+3) e A330-200 (2+4+2)que possuem sistema de entretenimento pessoal (monitor de vídeo). Saindo do Rio de Janeiro são B747 (assentos dispostos 2+4+3) (aeronaves mais velhas) e A330-200

    A Lufhansa faz São Paulo/FRA com B747-400 (assentos dispostos 3+4+3) e A340-300 (2+4+2). Não possuem monitor individual na econômica ( uma falha que a Lufthansa só está corrigindo agora).

    Quanto a distância dos assentos na Air France é de 32″ (Pitch) e n Lufhtnsa é de 32″ nos 747 e de 31″ nos A340 segundo o seatguru.

    As duas cias tem um serviço competente e similar, mas mantendo um toque francês e alemão no ato de servir e interagir.

    Vcê estará bem servida nas duas. Mas se puder ir via Munique pode ser uma boa já que o aeroporto é um pouco melhor que o enorme de Frankfurt e o Rossy.

    Leia mais aqui: http://www.airlinequality.com/Forum/af.htm
    http://www.airlinequality.com/Forum/lufth.htm

    No Jetsite (dê um desconto, ele voa de executiva e primeira classe..)

    http://www.jetsite.com.br/2006/mostra_flyreport.asp?codi=159

    http://www.jetsite.com.br/2006/mostra_flyreport.asp?codi=122

    http://www.jetsite.com.br/2006/mostra_flyreport.asp?codi=23

    http://www.jetsite.com.br/2006/mostra_flyreport.asp?codi=35

    uma abraço

  11. Emilia disse:

    Rodrigo, que completíssimo esse post! Achei bacana vocês terem pensado em fazer desta uma viagem pontual, aproveitando Buenos…eu fico pensando em quando poderia ir para a Patagônia e pensando em reservar umas 3 semanas para ver tudo, mas também é possível reservar menos tempo e fazer um trechinho a cada possibilidade de viagem para Bs. As. Uma ótima alternativa. Aliás, as fotos das geleiras estão um espetáculo 🙂

  12. Rodrigo Purisch disse:

    Emília,
    Obrigado pelos elogios! Acho que o Marc toparia a idéia!

    Uma abraço

  13. CarlaZ disse:

    Oi Rodrigo,
    já conhecia o site, que eu acho tão útil, recebo newsletter e tudo, mas não tinha lido ainda seus posts sobre viagem. Esse da Patagônia era tudo que queria! estou planejando ir. Ushuaia sempre me atraiu mas não sabia direito aonde ir, que lugares da Patagonia Chilena e quais lugares da Patagonia Argentina. Esse relato de El Calafate fez a cidade ganhar muitos pontos pra mim…e uma dúvida e essa, se entre essas cidades mais visitadas dá pra fazer de avião.
    Parabéns pelas fotos e videos

  14. Rodrigo Purisch disse:

    CarlaZ,

    Obrigado pelos elogios.

    Avião de El Calafate só para Buenos Aires, Ushuaia, Trelew e Bariloche. Na Austral/ Aerolineas existem vários vôos, na LAN, que é mais recomendada, são poucos. Quanto a Patagônia Chilena, não cheguei a estudar a fundo. Ai tenho que dar uma pesquisada.

  15. CarlaZ disse:

    Oi Rodrigo…agora minha viagem para Patagônia está parecendo que de fato vai acontecer…Ushuaia e El Calafate foram as cidades escolhidas…pretendo ir no reveillon ou carnaval que dá pra ir pegando só uns dias no trabalho…a dúvida é nas passagens até Buenos Aires…pretendo pegar através de milhas TAM…tenho que ver com antecedência (tipo logo) ou posso esperar??? Obrigada

  16. Rodrigo Purisch disse:

    Carla,

    Emissão para a Am. do Sul na TAM apenas com 3 meses de antedência. Emita o quanto antes pois essas datas são difíceis.

    Os trecho internos também vale uma compra antecipada. Comprei os trechos com três meses de antecedência. Depois começa a subir e reduzir a disponibilidade de horário. Faça um favor para você e tente conseguir ir de LAN (no site tem 3% de desconto). Se tiver dificuldades na Aerolineas, lique parao call center e peça para ficar numa lista de espera.

    Fui de TAM Mercosul para Buens Aires e gostei mais do que da TAM Brasil. Se aparecer um vôo da Mercosul não precisa ficar preocupada.

    Atenção para as fanquias de babagem, que nos vôos internos são menores que no vôo da TAM.
    Um abraço

  17. Carla disse:

    Obrigada Rodrigo, desculpa por mandar o outro e-mail.
    Tentei entrar no site da Lan mas no site fala que só com 6 meses de antecedência. Entrei pelo site da Despegar.com para poder fazer múltiplos destinos que no site da Aerolineas não consigo. Tinha um valor mas só para moradores da Argentina. Então ficou difícil…
    Quando você recomenda Lan é porque a Aerolineas é uma bomba?
    E outra coisa, não sabia essa de milhas para América do Sul só com 3 meses…vou acabar tendo que comprar então…senão é contar com a sorte, né?
    Obrigada mais uma vez

  18. Rodrigo Purisch disse:

    Carla,

    A Aerolineas sofre com greves, atrasos e aeronaves mais envelhecidas. A LAN tem sido mais pontual e com aeronaves mais novas. Apesar do serviço de bordo da Aerolineas oferecer mais comida, a qualidade é inferior ao lanchinho da LAN. Em El Calafate, os vôos da Aerolineas sem frequentemente atrasados e os da LAN não. Dependendo da tarifa na LAN dá para acumular pontos no Fidelidade.

    São três meses de antecedência, mas não há limite de assentos nesses vôos para emissão de passagens prêmio se houverem vagas disponíveis para venda. Mas lembre-se que é alta estação. Os vôos internos e internacionais que peguei estavam todos cheios.

    Um abraço

  19. Rodrigo Purisch disse:

    Carla,

    Quem sabe não vale uma reserva na TAM (via agência) e outra no interno e ir acompanhando? Se conseguir a passagem prêmio cancela-se a reserva. Se tiver que compar, pode optar por umapassagem com uma multa menor no caso de cancelamento e reembolso da tarifa. É um jogo mesmo.

  20. Carla disse:

    Rodrigo,
    antes de tudo muito obrigada pelas respostas e dicas.
    Eu sei que você vai me achar totalmente maluca de perguntar um monte de coisas da patagônia e agora mudar completamente de assunto…mas também é sobre passagens…e agora bem urgente!!!
    Apareceu uma oportunidade de ir para a Itália agora em julho, ou seja impossível de conseguir passagem com milhas TAM, mas estou tentando…
    Estava pensando em fazer isso que você falou de reservar numa agência e ir tentando pela TAM (na verdade consegui a ida via Frankfurt mas a volta…nada).
    A dúvida é a seguinte…se eu reservar por uma agência não vai ser meu nome que vai estar lá, para a TAM? Então não poderia ter 2 reservas e uma invalidar a outra?
    A segunda dúvida não sei se você pode responder, que seria indicar uma agência, mas poderia ser a decolar.com?
    Mais uma vez obrigada,
    Carla

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.