Blogueiro de Férias, Mas Fazendo 10 Vôos em 16 dias

5 de junho de 2010 | Por | 48 Comentários More

Este blogueiro dá dicas e também usa as dicas que ele e os leitores postam no Aquela Passagem. Depois de trabalhar dobrado para poder viajar, com isso o nosso blog/site sofre com a  falta de atualizações, consegui levantar vôo.

Estou usando uma combinação de passagens emitidas com milhas na Lan (uma parte delas acumuladas em cias Oneworld e outra parte transferida do cartão de crédito numa promoção LanPass e Itaucard),  com passagens compradas na Gol (neste caso me valendo da condição de ainda ser Smiles Gold), American, Southwest e Spirit.

Não era o caminho mais rápido, mas usar milhas nem sempre te leva ao caminho mais rápido… Esse é uma das desvantagens de emitir passagens se valendo delas.

Não garanto atualização por aqui, já que parti ontem as 9:30 e ainda não cheguei ao meu destino final inicial e nem sei aonde vou ter acesso a internet. Aqui na sala vip conveniada ao Diners (Club America) tem, mas vou tentar focar um pouco mais na família que anda tendo que brigar com o Aquela Passagem por espaço. Vida de blogueiro profissional que não vive profissionalmente disso não é fácil!

A direita de tela você pode acompanhar as atualizações  das notícias, na forma de clipping, relacionadas aos temas que tratamos aqui e que são publicadas no nosso Twitter.

Category: O Blog e Amigos

Comentários (48)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Emilio disse:

    Rodrigo,

    Faça uma ótima viagem com a sua família. Curta muito a família. E depois nos conte como foi as suas experiências de 16 dias realizando 10 voos.

    Abraços

  2. Gabriel Dias disse:

    Boa viagem! Em tempo: alguém já emitiu passagem para Sydney com as milhas do AAdvantage? Estou pensando em queimar minhas milhas nessa viagem.

  3. Wilian Delatorre disse:

    Boa viagem!
    Aguardamos as notícias e como foram as suas férias!
    abraço!

  4. Diego disse:

    Aproveita a viagem… A sala Club America a que te referes é em Miami, né? Eu gosto, acho super confortável e com ótimo serviço.
    Abs

  5. Cibele disse:

    Boa viagem, e aproveite!

  6. Guta disse:

    Otimas férias Rodrigo! Que vc volte renovado com muitas boas histórias para contar!

  7. Ernesto disse:

    Estamos aguardando as opinioões sobre seus voos. Enquanto isto aproveite as merecidas férias.

  8. Rogério Bueno disse:

    Passaredo anunciando voos diretos entre Uberlândia e Santos Dumont e entre Goiânia e Santos Dumont. A partir deste mês.

  9. Aloisio disse:

    Vou pegar uma ponta aqui pra ver se alguem compartilha comigo da dificuldade que estou encontrando para adquirir pass para Lisboa com minhas milhas smiles!
    Há mais de um mes faço duas consultas diárias e, no maximo já consegui ida!
    ou entao com o retorno no dia seguinte!!
    Meus pontos vencem em julho, quero comprar e não me vendem porque dependem da liberação dos parceiros (AirFrance e KLM). E aí, vou perder meu investimento??
    Sim, é a resposta. Se alguem se dispuser a ajudar com alguma inimaginada sugestao, agradeço

  10. Manolo disse:

    Já passei perrengues como esse do Rodrigo, isto é, ter de fazer malabarismos para poder levar minhas milhas mais longe, fora do trivial Brasil/América do Sul (e olhe que, no caso do Smiles, nem esse trivial é garantido). Acho que a maioria dos leitores desse blog que acumulam milhas já aprenderam como acumular de acordo com cada perfil (pagam contas, não pagam contas, usam tal ou qual cartão de crédito etc.). Penso que é hora de dar um passo adiante no processo de acumulação de milhas e ir para um segundo momento, agora referente não mais a acumular, mas no que diz respeito à possibilidade de seu uso.

    A pergunta é: vale a pena acumular essas milhas e depois não poder usar do jeito que queria? Ou então acumulá-las mas em seguida ter de fazer esses malabarismos para ir mais longe? O cara tem dez dias de férias mas passa dois, ou seja, impressionantes 20% do período, entre vôos, conexões e aeroportos.

    Peço desculpas se estiver sendo chato ou inconveniente, mas estou reflexivo a esse respeito. Por viajar muito em razão do serviço, sem muito esforço (não pago contas, p. ex.) já tenho 300.000 pontos acumulados na TAM, uma quantidade muito próxima disso no Smiles e um monte de pontos guardados no banco para transferir se e quando for necessário (estou deixando lá para retardar a prescrição). Só que tem um detalhe: eu não consigo usá-los. Como eu foco na Europa e nos EUA, a disponibilidade é quase nula. Resultado: quando tem milhas para prescrever, eu abro mão da passagem que o trabalho ia me pagar e uso as milhas. Só que essa não era minha vontade inicial. Fica todo mundo infeliz: a companhia aérea me dá uma passagem grátis de qualquer jeito, nem que seja para viajar a serviço, mas não me dá a passagem que eu queria, ou seja, a companhia aérea tem um custo e eu ainda fico insatisfeito com ela.

    Já que o Rodrigo e o Hotmar estão se especializando em análises comparativas de cartões de crédito, fica uma sugestão para futuros posts: analisar comparativamente também os vários programas de fidelidade no item “facilidade do uso do bilhete prêmio” de acordo com diversos critérios (alta estação, baixa estação, região do mundo desejada, antecedência etc.). Quem sabe com a ajuda de vocês não surge um ranking e se desmascara de vez a “traição” que vem como pagamento pela nossa “fidelidade”.

    Boas férias, Rodrigo. Seu blog é imprescindível.

  11. Tony disse:

    Manolo, uma excelente idéia de análise comparativa. Na hora de avaliar em qual programa vou depositar minhas milhas, para mim cada vez está pesando mais a facilidade (ou impossibilidade) de emitir uma passagem internacional com elas. O quê adianta tal o qual cia ter um bom programa de milhas no papel se na hora de tentar resgatar o que é seu por direito você não consegue? Abraço!

  12. Ernesto disse:

    Acho a ideia excelente.

    Afinal as milhas são para serem usadas onde e quando se quer.

    Dá saudades da TAM do incio dos anos 90, onde era so ir no balcão do aeroporto e usar as milhas, se o voo não estivesse lotado, era certeza de que se conseguia embarcar na hora. Hoje, evidentemente não é assim….

  13. milon disse:

    Pelo que eu tenho estudado a disponibilidade esta ficando cada vez mais restrita e estão criando categorias que utilizam mais milhas e lhe garantem a disponibilidade, principalmente nas cias americanas. Eu vi um site esses dias que classificava as cias pela facilidade de emissão com milhas, mas não coloquei nos favoritos e me esqueci da url. Mas as cias descobriram o filão de vender milhas e o numero delas já chega a casa dos trilhões, sorte delas que em torno de 40% delas prescreve se não as cia aéreas já estariam quebradas.
    Por esperiencia própria o victoria da tap seguido pelo smiles e muito depois o fidelidade tam para passagens internacionais são nesta ordem os mais disponiveis, todos possuem cartões de crédito que transferem pontos e podemos acumular em voos nacionais, mas não é uma visão sistemica, seria muito interessante se outros participantes do blog se juntassem para dar uma ideia mais completa como aconteceu com os cartões de crédito.

  14. ChicoVIX disse:

    Atenção No site da Mexicana (mexicana.com) passagens roundtrip GRU-MIA, GRU-LAX e GRU-JFK por apenas US$ 500,00. Embarque ate dez 2010. Emissao ate 10 jun.

  15. Manolo disse:

    O problema, caros Tony e Ernesto, é que as companhias não vêem as milhas como algo “nosso por direito” nem algo para ser usado “onde e quando se quer”. Em vez de “seja fiel a mim e/ou a meus parceiros que você viaja de graça” a regra é “seja fiel a mim e/ou a meus parceiros que você viaja de graça SE E QUANDO EU PERMITIR, DO JEITO QUE EU PERMITIR, NOS HORÁRIOS EM QUE EU PERMITIR”. Isso não é programa de fidelidade (se eu recompensar a fidelidade de minha esposa com esse tipo de comportamento ela me deixa na hora).

    Reparem: no momento em que o Smiles, p. ex., passa a ter uma categoria que exige mais milhas para poder garantir seu vôo é porque com as milhas normais seu vôo é apenas uma possibilidade. Com o tempo, a tendência é a quantidade maior de milhas se tornar regra e depois começa tudo de novo. Nós somos, na verdade, vítimas de um engodo. Em vez de dificultar a obtenção de milhas com a contrapartida de que quem as conseguir efetivamente vai conseguir também voar, as companhias preferem que as pessoas tenham acesso às milhas (“olhem como sou boazinha, estou lhe dando milhas”) mas, na verdade, elas simplesmente não podem usá-las, ou seja, as milhas são inúteis, meras ilusões na cabeça do cliente fiel.

    Tomara que o Rodrigo e/ou o Hotmar encampem a idéia e tomara também que o Milon encontre o site que já fazia coisa parecida com essa análise comparativa que propus. Acho que nos ajudará muito, nem que seja para fazer contrapropaganda.

  16. Ricardo disse:

    Boa viagem! Divirta-se…. você MERECE! Obrigado por toda a dedicação ao site… Boas Férias!

  17. Tony disse:

    Prezado Manolo, com a contrapropaganda já dimos uma forcinha aqui: https://www.aquelapassagem.com.br/milhaspontos-acompanhe-seu-extrato-do-programa-de-fidelidade/
    Eu estou tendo inúmeros problemas com o Fidelidade Tam que para mim claramente virou um programa de desfidelização do cliente, o que ao meu entender é uma coisa inadmissível para uma empresa. Perder clientes que escolheram ser fiéis é um tiro no pé (aliás, na cabeça!). É só entrar e ler as reclamações contra a Tam no Reclame Aqui (das grandes a Tam é de longe a companhia pior avaliada no site) para perceber que conservar clientes não está entre as prioridades da companhia.
    Acho que é muito difícil movilizar uma quantidade suficiente de clientes como para forzar uma mudança de comportamento nas empresas, mas ao menos devemos tentar isso. Abraço.

  18. Tatiana disse:

    Por falar no programa de (in)Fidelidade da TAM, desde de ontem a TAM disponibilizou diversas datas para emissão de passagens para NY a 40.000 pontos. Eu consegui emitir para setembro sem problema algum.

  19. Rosa disse:

    Só há uma relativa disponibilidade para usar milhas Smile e TAM no Brasil, que na maioria das vezes não compensa, e na América do Sul. Para Europa e EUA é loteria. A política das empresas não é nenhum pouco a favor do consumidor. Não concordo, nem descordo tão pouco, dos que negociam suas milhas, mas entendo perfeitamente.

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.