Fidelidade Tam: Cobrará 15 mil pontos por Trecho na América do Sul (Exceto Brasil) a Partir de Julho!

13 de maio de 2011 | Por | 284 Comentários More

A Tam está enviando um email informando aos associados Fidelidade Tam que irá passar a cobrar 15 mil pontos ao invés dos 10 mil pontos por trecho emitido a partir de 01 de julho de 2011 para voar dentro da América do Sul (exceto Brasil) na classe econômica. Um aumento de “apenas 50%”!

Vale lembrar que a possibilidade de emitir trechos cobrando 10 mil pontos (até 7 dias anteriores a data do vôo) para voar dentro da América do Sul enquanto houver assento disponível para vender sempre foi um dos maiores trunfos e garoto propaganda do programa da Tam.

Tem hora que não entendo mesmo as ações de determinadas cias aéreas. Mas parece que a falta de uma concorrência à altura que faça parte de uma aliança anda permitindo que cias aéreas cogitem esse tipo de atitude.

O Smiles, que anda melhor avaliado pelos leitores do Aquela Passagem, carece de fazer parte de uma aliança aérea a fim de oferecer mais opções de destinos, de benefícios de status elite estendidos às parceiras,  de mais opções de vôos para acúmulo e redenção de milhas e de opções de serviço superiores ao que a Gol oferece em seus vôos. Mas podemos dizer que ela deve estar muito grata pela atitude da Tam que de certa forma empurra parte dos seus associados para fora do programa Fidelidade e pode aumentar a transferência de milhas de cartões de crédito para o Smiles.

Não tem jeito mesmo. A Tam está dando um jeito de piorar ainda mais a vida do associado do seu programa de fidelidade. Nossa pesquisa de opinião sobre programas de fidelidade já mostrou que o descontentamento dos associados do Fidelidade supera o dos demais principais programas usados pelos leitores.

Depois não adianta ficar chateado com o fato de muitos estarem chamando o Fidelidade Tam de Infidelidade Tam…

A você associado e fiel ao Fidelidade resta a atitude de protestar enviando emails ao Fidelidade e ao Fale com o Presidente. Quem sabe ela não ouve quem é fiel aos seus serviços?

Mais uma vez vou fazer o meu alerta sobre programas de fidelidade: Milha boa é milha gasta com sabedoria e o mais rápido possível. Não encare suas milhas como um depósito de longo prazo em uma conta poupança, já que a cia pode mudar as regras do programa, passar por dificuldades financeiras ou deixar de voar um destino desejado. Sem contar que algumas dificultam ao máximo a emissão de uma passagem prêmio.

Obrigado ao Liska (Fofo) pela dica da mudança de regras!

Tags: , ,

Category: Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (284)

Trackback URL | Comments RSS Feed

Sites que indicaram este post

  1. Noronha e Bonito, inicio « De volta outra vez | 10 de junho de 2011
  1. Marcelo Q. disse:

    Fernando,

    Acompanho seus posts há tempos, e vez ou outro leio alguns bons comentários e sugestões suas.

    Excluindo-se esta questão “requentada”, fico aguardando um próximo tema seu para que possamos completar.

    abraço

  2. Reginaldo Medeiros disse:

    Prezado Marcelo e amigos do AP, saudações.

    Gostaria somente de expressar minha humilde opinião sobre o tema “comércio de milhas”. Primeiramente sou contra tal prática pois a mesma é proibida pelo programa de milhagem (Regulamento Smiles: 1.13. É vedado ao Participante qualquer tipo de comercialização de milhas ou prêmios do Programa Smiles, sob pena de serem tomadas as medidas judiciais cabíveis.); acho acertadíssima a posição do Rodrigo (dono do blog) de proibir o uso desse canal para esse fim. Se alguém acha correto o comércio de milhas, respeito tais posicionamentos pois cada um leva a sua vida como quer e faz seus negócios da maneira que achar apropriada ( cada um logicamente arca com as consequencias de seus atos). No entanto, talvez por ser Contabilista e Advogado procuro ver Leis e Regulamentos por um ângulo mais técnico e nesse caso específico o que vejo como proibido é o “COMÉRCIO” de milhas, o que diverge em muito da venda eventual de milhas que vez por outra são feitas a um amigo ou parente. Conforme o magistério de Vidari, sob o ponto de vista jurídico, comércio é o complexo de atos de intromissão/troca entre produtor e o consumidor, que, HABITUALMENTE, com fins de lucros, realizam, promovem, ou facilitam a circulação dos produtos da natureza e da indústria, para tornar mais fácil e pronta a oferta. São elementos do conceito jurídico de comércio: a) mediação/troca – ato de intromissão ou mediação entre produtor e consumidor; b) fins lucrativos; c) habitualidade ou continuidade – os atos de intromissão ou mediação existentes entre produtor e consumidor ocorrem de forma HABITUAL e NÃO EVENTUAL.
    Dessa forma, salvo melhor juízo, essa venda EVENTUAL que são feitas para parentes e amigo não infringem o Regulamento do programa de milhagem.
    Um abraço e que Deus abençoe a todos.

    ;

  3. Antônio Rodrigues disse:

    Pode ser irregular a venda dos pontos/milhas, mas CRIME não é. Que crime seria? Não entendo porque estender a discussão sobre este tema

  4. Marcelo Q. disse:

    Reginaldo, boa tarde.

    Belo aparte e ponderadas colocações, sobretudo, a essência do raciocínio é a mesma, compartilhamos.

    Eventuais e discretos ajustes entre parentes e amigos próximos, ocorrem rotineiramente e provavelmente sempre ocorrerão, entretanto, sem qualquer estímulo ao desencaminho das regras aceitas, e não representam ao meu ver, minha metáfora do pequeno traficante.

    Fora isso, quem pode comercializar passagens aéreas são Agentes/ Agências de Turismo, que obrigatóriamente deverão estar registrados junto à EMBRATUR e SNEA, e desconheço qualquer profissional/ empresa que opere esta modalidade proíbida de comércio.

    Grande abraço, e obrigado pela colaboração.

  5. Marcelo Q. disse:

    Então está encerrada!

  6. Rafael Bellucci Vitale da Silva disse:

    O que vocês acham de um abaixo assinado contra essa mudança do TAM fidelidade? Ou talvez disponibilizar gratuitamente nos aeroportos formulários de desligamento do programa TAM fidelidade, para darmos uma resposta a altura à essa arbitrariedade!

    Os pontos acumulados dentro de 1 regra, devem seguir aquela regra até o expirarem, senão fica fácil. Quando adquirimos um determinado serviço, pesamos os valores dos benefícios naquele momento, por ex.: Quando estou comprando um Rio x Campinas, entendo que serei agraciado com milhas que equivalem a 1/10 de uma passagem aérea para américa do sul. O que fazer se no momento da compra o benefício vale 1/10 e por determinação da companhia o benefício passa a valer 1/15. Isso para mim é a mesma coisa que a loja aumentar o valor em 50% e depois anunciar uma liquidação de 50%! Um absurdo! Sugiro a todos os consumidores conscientes que evitem o TAM fidelidade, que já demonstrava sinais de cansaço, e que usem seus pontos integralmente até dia 01/07, evitando o final de Junho…

    A partir de agora cancelarei meu cartão TAM Platinum, evitarei utilizar a TAM como companhia aérea e farei propagando a favor do smiles, que, apesar de seus problemas, ao menos tem uma política transparente de funcionamento e não é 1 programa com 2 companhias (Tam Fidelidade x Multiplus Fidelidade). Não aguento mais essa putaria de ser transferido de um Call Center para o outro e ninguém assumir a responsabilidade…

    Outra sugestão! Ao descobrir qualquer irregularidade no regulamento ou na operação de um determinado programa de fidelidade, arquive as evidências e deixe na mão de um bom advogado! Dá trabalho e demora aproximadamente 1 ano, mas no final das contas vale a pena!

  7. andre gustavo disse:

    A TAM divulga 15.000 pontos na América do Sul,mas ontem simulei vários trechos (REC/EZE,REC/SCL,REC/LIM)e todos estavam custando 10.000milhas.Basta fazer com antecedencia de tres meses.

  8. Marcelo Q. disse:

    Andre.

    As novas regras iniciam em 01 de julho de 2011.

    Por enquanto, vale a regra antiga, aproveite.

  9. Fernando Roberto disse:

    No caso de vôos para a América do Sul não muda a quantidade de pontos exigida devido a antecedência.

  10. andre gustavo disse:

    Marcelo e Fernando,é verdade.Não prestei atenção.Obrigado!

  11. PêEsse disse:

    Nos EUA, de 47 espécies de empresas, as aéreas foram as piores avaliadas. O principal fator para isso, de acordo com uma reportagem da CNN, foi a cobrança de tarifas por bagagem.

    http://edition.cnn.com/2011/TRAVEL/06/21/customer.satisfaction.airlines.hotels/index.html

  12. Marcelo Q. disse:

    Logo chegaremos aos mesmos indicativos no mercado brasileiro, mas com uma diferenca: tirando 2 empresas que operam mais ou menos low cost, as demais Aereas brasileiras só oferecem preços menores ocasionalmente, ao passo que, praticamente todas as empresas americanas oferecem preços baixos para emissões com antecedência, o que atenua a despesa com pagamentos de taxas de bagagem extra

    Temos muito a evoluir, começando pelo nível de exigencia e cobrança, porque tirando um ocasional lanchinho quente da Tam e da Avianca, quase tudo que temos por aqui é igual ou inferior as cias americanas, comparando-se os respectivos mercados domésticos.

  13. Marcelo Q. disse:

    PêEsse.

    Essa sua informação leva à reflexão, invariavelmente trás comparativos às experiências locais dos leitores e abre espaço para um novo tema, onde poderíamos discutir de forma ampla os serviços, vantagens e desvantagens do mercado de aviação comercial atual.

    Certamente, haveriam comentários interessantes, inclusive sobre empresas menos comentadas por aqui, o que mudaria um pouco o foco do duopolio Tam/Gol.

    Fica sugestão ao Rodrigo, para um espaço específico à troca destas informações; acredito que serviria também como canal para aprimoramento da qualidade das empresas, visto que, diversas cias monitoram sites como o AP para aferir o grau de (in)satisfação do mercado.

  14. Paula disse:

    Oi Rodrigo!
    Talvez essa pergunta já tenha sido feita, mas lá vai….
    Eu posso transferir milhas de um programa para outro, por exemplo da Miles & More para o TAM Fidelidade?
    Obrigada!

  15. Rodrigo Purisch disse:

    Não.

    Os programas são independentes e não se comunicam. Somente programas de cias aéreas em fusão ou que fazem parte do mesmo grupo acabam permitindo a transferência entre eles. No momento o Mileage Plus da United e o OnePass da Continental estão permitindo isso.

    Star Alliance é uma aliança de cias aéreas que compartilham algumas coisas e se interagem, mas não protege os consumidores ou promove interação entre programas. Cada programa tem suas regras, sua tabela e é responsável por seus consumidores.

    Quando a Varig quase faliu, a Star Alliance não quis nem saber dos associados Smiles (que naquela época fazia parte da Star Alliance). Não deu proteção alguma as milhas depositadas nele.

  16. Fábio G. disse:

    Promessa cumprida.
    15.000 por trecho
    🙁

  17. flavia disse:

    Sugiro uma acao conjunta contra o programa de fidelidade da TAM!
    Acumulo milhas neste programa ha anos, ja emiti bilhetes premios varias vezes e sempre foi trabalhoso, porem possivel. Ultimamente esta impossivel conseguir um bilhete para qualquer lugar do mundo!! Ligo ha um mes no call center da Tam p/ conseguir um bilhete entre dezembro e janeiro p/ QUALQUER lugar da america do Norte ou europa e nada. Pedi p/ varios atendentes o seguinte: procure uma passagem p/ em qualquer data de dezembro ou janeiro proximos em varios destinos (EUA, canada, europa, america central). Todos tiveram paciencia e boa vontade de procurar, fiquei horas no telefone e a resposta foi sempre a mesma: so temos p/ NY usando 100.000 pontos cada trecho!!!
    So falta colocar um nariz de palhaco na nossa cara!
    Como nao podemos reaver os pontos e transferir p/ outro programa e nem vende-los, acho q uma acao conjunta seria o ideal.
    Se esse espaco tbem nao puder ser usado p/ este fim, deixo meu e-mai p/ os interessados: flahedro@hotmail.com
    Abcs e boa sorte p/ nos!

  18. Sofia disse:

    Se a Cia decide aumentar o valor de pontos necessários para emissão, é porque a quantidade de bilhetes emitidos com pontuação está aumentando drasticamente. Se formos perguntar para todos os passageiros de um voo Sao Pauo/ Buenos Aires por exemplo, qual foi a forma de pagamento, no mínimo 80% dirão PONTOS. Sinal de que o fato de não haver restrição de assentos para emissão com pontos é e sempre será um fator mais que determinante na hora de escolher o programa de fidelização.

    É pura e simplesmente a lei da oferta e demanda.

  19. Discordo, Sofia.

    A Gol permite várias vezes ao ano emitir bilhetes para Buenos Aires por menos de 10 mil pontos. A Tam se defende dizendo que segue um padrão internacional da aliança Star Alliance. Mas existem algumas cias. que permitem emitir com menos pontos trechos no mesmo continente.

    Não sou a favor de bilhetes prêmios por poucas milhas, mas sim uma tabela justa e sem desculpas esfarrapadas. Abraço!

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.