Gol Lança Novo Sistema de Entretenimento: Muito Barulho Por Nada?

26 de agosto de 2011 | Por | 23 Comentários More

Pelo mundo afora, muitas cias têm cada dia mais investido nos sistemas de entretenimento como meio de ganhar mais passageiros e fazer o tempo passar mais rápido em viagens mais longas e desconfortáveis. A Gol está lançando o seu.

As principais apostas têm sido em sistemas AVOD (Audio and Vídeo on Demand) associados a telas cada vez maiores e de melhor definição (opção nas melhores cias aéreas do mundo, mas que custa caro), canais via satélite (como na Jetblue e Virgin América) e Internet (que renasce depois de quase ter desaparecido, mas que ainda é cara).

Meu preferido é o AVOD, sistema no qual você escolhe o conteúdo que quer assistir, pode parar e continuar quando quiser do ponto aonde parou. No Krisworld da Singapore ou no ICE da Emirates, por exemplo, o número de opções é tão grande que você acaba passando um bom tempo só escolhendo o que deseja ver ou ouvir.

A Gol decidiu implantar, segundo o press release, um sistema único no mundo, o Gol no Ar, que se baseia na oferta de conteúdo acessível por meio de rede sem fio, Wi-Fi. Para isso, o passageiro deve usar um dispositivo móvel de sua propriedade. Desde que li a primeira notícia sobre esse sistema, acabei criando uma associação dele com o novo padrão de tomadas do Brasil: o mais seguro e o melhor do mundo, mas que só existe aqui….

Basicamente, para ter acesso ao sistema de entretenimento, você precisa de um notebook (ou netbook) com sistema Windows ou um Iphone ou um Ipad. Por meio deles, você se conecta à rede Wi-Fi da aeronave e assim tem acesso a um portal que oferece conteúdo variado em streaming. Os vídeos são de no máximo 15 minutos, devem ser totalmente carregados antes de serem exibidos e, pelo que pude entender, devem ser de baixa definição.

Alguns fatos interessantes sobre a implantação do sistema:

Ele terá implantação progressiva nas aeronaves da frota da Gol, sendo que será inicialmente implantada nos rápidos vôos que ligam São Paulo ao Rio de Janeiro.

O sistema será atualizado a cada parada em aeroportos específicos.

Não há previsão de implantação nas aeronaves que fazem vôos internacionais, como vôos para o Caribe, por exemplo. Naquelas aonde você sofre mais….

O sistema ainda não é totalmente compatível com aparelhos da Nokia (Symbiam) ou com sistema Android, o que mais cresce no mundo hoje…

A implantação foi iniciada nas aeronaves mais novas que contam com alguns pontos de energia disponíveis aos passageiros.

Não sou especialista em tecnologia e muito menos em marketing, mas me pareceu um sistema implantado mais para fazer branding da marca do que realmente para beneficiar o grosso dos passageiros da Gol. Por que digo isso? Vou tentar expor um pouco meus pontos de vista a baixo:

Iphones e Ipads por melhores que sejam, não são produtos acessíveis à maioria dos brasileiros, seja por questões econômicas ou por que parte da população não tem  familiaridade com esse tipo de equipamento. A venda de notebooks e netbooks está em franca expansão no Brasil, mas parte deles nem vem com sistema Windows instalado e outra parte vem com baterias de curta duração.

Os consumidores mais antenados com essas tecnologias costumam ter seu próprio conteúdo customizado (conjunto de músicas e vídeo armazenados) nesses aparelhos. Assim, não dependeriam do sistema da Gol para se entreter.

Consumidores menos familiarizados a essas tecnologias não costumam ter smartphones ou muitas vezes não dominam seu funcionamento, e em grande parte não costumam viajar levando seus notebooks ou netbooks, que muitas vezes vieram para ser o principal computador da casa. Esse grupo de consumidores é grande e inclui desde pessoas com menor poder aquisitivo até aqueles que nasceram antes de tudo ser movido a Internet.

Para efeito de exemplo, aqui no Aquela Passagem oferecemos o site, o Twitter, o RSS e a atualização por email. A mais simples e menos avançada das opções, o velho email, é uma das preferidas de parte do público do Aquela Passagem, que é um público qualificado em nível de educação e renda. Uma grande parte da população que viaja de avião não passa o dia todo conectado nas redes sociais como pode parecer em uma visão menos cuidadosa. Assim, esse perfil de consumidor está a princípio sem condições de usufruir a modernidade do sistema da Gol

Uma cia aérea que se diz low cost e low fare que quer vender passagens no metrô ou em rodoviárias, vender por meio de boletos para quem não tem cartão de crédito e em prestações a perder de vista para facilitar a vida de quem tem um orçamento mais apertado, cria um sistema de entretenimento que exclui essa mesma fatia de consumidores que quer atingir com essas práticas comerciais?

Sistemas como esse da Gol são baseados em equipamentos do próprio passageiro e esses dependem de fornecimento próprio de energia. O calcanhar de Aquiles dos novos eletrônicos, cada dia mais finos e potentes, tem sido a vida da bateria. Sistemas como esses consomem a energia das baterias dos dispositivos móveis colocando o seu proprietário menos atento sob risco de ficar sem bateria ao chegar no destino final. Será que a Gol vai disponibilizar pontos de energia suficientes para todos os interessados? Se ela não quis investir na instalação de monitores, será que vai investir na instalação desses pontos de energia nas aeronaves mais antigas? Eu espero que sim!

Assim, me parece algo voltado para poucos e que visa mais criar um halo de modernidade no entorno da cia aérea do que realmente trazer um serviço extra que possa amenizar o aperto que é voar de avião hoje no Brasil.

De qualquer forma, qualquer sistema é melhor que sistema nenhum…

Por favor, traga seu fone de ouvido, já que ninguém merece ficar ouvindo um monte de notebooks ou smartphones emitindo sons variados por meio de seus alto-falantes!

Quer saber como o sistema funciona? Leia o post do Ricardo Freire no Viaje na Viagem.

Tags: ,

Category: Cias Aéreas

Comentários (23)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. O pessoal do Zumo testou com um celular Android e disseram que funciona sem problemas – http://ztop.com.br/2011/08/26/gol-no-ar-servico-distribui-entretenimento-por-wi-fi-no-aviao-e-nao-tem-internet/

    O conteúdo via browser também deve funcionar com Symbiam, talvez os videos e áudios que não funcionem.

  2. Aldo Garcez disse:

    Análise perfeita e irretocavel. Foi a primeira coisa que me veio à cabeça quando li a noticia espalhafatosa do lançamento desse “serviço”.

    Tenho smartphone, levo notebook nas viagens, e gostaria de poder acessar minhas redes sociais, e-mail, etc., durante o vôo. Pra que eu vou gastar bateria pra acessar conteúdo proprietário – ainda mais offline?

    É como estar na China e só poder ver conteúdo que o país impõe… hehehe

    De qualquer forma, na próxima oportunidade vou checar o serviço… 😉

  3. Charles disse:

    Uma coisa me deixou intrigado, eles sempre pedem para desligar a opção do wi-fi, inclusive não podemos usar mouse sem fio, isso tudo sempre com a culpa para a segurança e agora pode usar?

    Qual o critério? O que mudou? A Anac permitiu?

    Sinceramente, o fone de ouvido com boa música e um jornal já me satisfaz para voos curtos como os nacionais…

  4. Ótimo texto Rodrigo, observações muito bem colocadas e como sempre expondo uma opinião madura e inteligente sobre o assunto!
    grade abraço

  5. Rodrigo disse:

    Sinceramente, eu achei muito bom o que a Gol fez. Procurando ser analalitico, a maioria das pessoas esta reclamando do conteudo ser da Gol e assim ficar submetido ao entretenimento que ela provem, mas é isso que acontece quando entramos em uma aeronave da Emirates, Qatar ou Singapore, a diferença é a quantidade e diversidade desse entretenimento, caso a gol disponha uma grande rede de entretenimento acho que será de grande valia.

    Agora o fato de ser usado os gadgats dos passageiros é puramente por custo, a Gol que tenta economizar em tudo (espero que não tente economizar em manutenção como a Tam) viu a possibilidade de usar os hardwares dos passageiros ao invés de gastar milhões em monitores individuais e suas manutenções.

    A verdade é que hoje em dia pelo menos 50% das pessoas que viajam de avião possuem pelo menos um Netbook, mas muitos não o levam o que pode mudar com essa inovação. E o fato de iniciar com conteudo apenas para IOS e Windows talvez seja por uma questão de segurança, não sei, já que os outros sistemas são mais suceptiveis a virus e apesar do windows tbm ser, este já apresenta mais anti-virus. Pois o que a Gol esta fazendo é criar uma intranet em cada avião, o que teoricamente permite a invasão de hackers podendo trazer prezuizo não só ao sistema mas como aos gadgets ligados a ele.

    A verdade é que essa é uma criação de entretenimento com baixo custo para a companhia, que pode ser muito boa se a companhia realmente colocar boas programações ou um tiro no pé se colocar lixo como é feito em suas revistas de bordo.

    O que é muito importante ressaltar é que realmente as pessoas que andam com gadgets e notebooks geralmente não andam com headphones, isso sim vai dar muito problema, rs.

  6. Gabriel Dias disse:

    Ontem, quando comecei a ler a notícia em diversos sites, pensei exatamente igual. Em uma época em que as empresas estão investindo em Internet nos voos, onde o passageiro escolhe seu conteúdo e paga pelo acesso, a Gol resolve investir em um conteúdo restrito.
    Os lucros da Gol não estão bons e ela investe em um sistema limitado e gratuito. Não seria melhor investir na tecnologia para disponibilizar Internet ao seus passageiros e cobrar pelo acesso?

    Entre um conteúdo limitado e o conteúdo do meu notebook/iPad, eu fico com a segunda opção.

  7. Também concordo, bom mas não para este estardalhaço que estão fazendo.
    Limitado D+ e sem acesso nos voo Longos e meio para encher linguiça.
    Bom fim de semana a todos!!

  8. Rodrigo disse:

    Gabriel, concordo com vc. Acompanho seu posts por aqui e sei que vc é uma pessoa bastante sensata, mas pense que o publico que a Gol atualmente mais investe é um publico que provavelmente prefere um bom conteudo de graça (mesmo que limitado), do que ter que pagar (e não é barato) por um serviço do tipo internet no voo, na Webjet por exemplo onde se vende comida, vc vê que a venda de sanduíches deles é muito pequena, pois as pessoas preferem não gastar em mais nada.

    O ideal, claro, seria disponibilizar internet banda larga free em todos os aviões, mas isso é caro e praticamente inviável para os atuais preços de tarifas que a Gol exerce. Não defendo nenhuma companhia brasileira, até porque tenho processo contra quase todas elas, pois assim como outras empresas brasileiras ainda são acostumadas a tratar seus clientes como numeros.

    Como exemplo, cito o entretenimento da Qatar, fiz a viagem pela Qatar para Barcelona e adorei o sistema de entretenimento deles, apesar de TAMBEM LIMITADO pois não contava com internet à bordo, tinha mais de 150 filmes, mais de 100 seriados e uns 500 programas variados, isto tornou a viagem de mais de 20 horas no total, bem melhor do que ela seria, caso eu estivesse indo de Iberia por exemplo, cujo entretenimento é zero.

    Não acredito que a Gol chegue perto da variedade e quantidade de entretenimento da Qatar, mas poderia, pois o custo não seria tão grande de investimento. O investimento seria muito maior se alem de investir no conteúdo ainda tivessem que investir em cerca 30.000 monitores para cada um de seus assentos, sem contar com a manutenção posterior.

  9. Emilio disse:

    Acho que o serviço sistema de entretenimento me pareceu limitado e para poucos, pois somente quem tem Iphone, Ipad ou Ipod Touch, além de notebook ou netbook. Pode ser que eles melhorem no futuro.

    Concordo com a frase do Rodrigo : “De qualquer forma, qualquer sistema é melhor que sistema nenhum”.

    Abraços

  10. Gabriel Dias disse:

    Rodrigo,

    Também concordo com você. Mas, já que a Gol deve ter realizado um grande investimento, por que não colocaram Internet wireless? Não de graça, mas paga. Conteúdo gratuito de graça e Internet paga. Acho que assim seria perfeito, pois agradaria os dois públicos e ela teria de volta parte do investimento. Não parece mais sensato?

    Vejo que a Gol não consegue se definir no mercado.

  11. Parabéns pelo post! Concordo com tudo! Juro que quando vi a manchete, achei que finalmente teríamos internet nos voos aqui no Brasil. Porém foi só ler as primeiras frases para eu ter certeza de que esse sistema da Gol é só blábláblá.
    Será que é muito difícil copiar o esquema de Wi-fi no voo por 5 dólares da americana Southwest? http://www.proximosdestinos.com

  12. Marcelo disse:

    Desculpe discordar, mas do que adianta oferecer internet e o uso do telefone celular a preços abusivos com faz a TAM? Em nenhuma empresa o serviço de internet é gratuito, nem na five star Singapore, muito menos nas americanas. A Gol oferece um serviço a mais em seus voos e por isso não cobra um centavo. Não quero pintar como defensor da companhia, mas acho que é um diferencial que ela quer oferecer para um público específico, talvez o público da TAM, que utiliza e tem esse tipo de equipamento.

    E tem mais, não é porque a empresa é do segmento LCLF que seus passageiros não tem um iphone ou um ipad ou mesmo um net ou notebook que são vendidos em toda esquina em 12, 15, 18x sem juros no cartão.

    Ainda não podemos esquecer que a internet no Brasil é extremamente lenta e 80% não tem acesso a ela. Existe com infraestrutura precária e com preço nas alturas se comparado aos EUA e a Europa em geral.

    Em tempo, acho que você deveria se informar melhor, pois as novas aeronaves (com o Sky Interior) possuem tomadas normais embaixo de cada poltrona, para que o passageiro possa carregar seus celulares e equipamentos.

    Algumas pessoas tendem criticar tudo, não importa o que é oferecido e em que condições. Você é do tipo que acha que é melhor não oferecer nada do que alguma coisa que não atenda a SUA expectativa? É de graça, não é obrigatório seu uso. Então, pq não?

    Pense nisso.

    Abraço.

  13. Rodrigo Purisch disse:

    Marcelo,

    Sou obrigado a concordar com você, algumas pessoas gostam de criticar independente do que está escrito.

    “E tem mais, não é porque a empresa é do segmento LCLF que seus passageiros não tem um iphone ou um ipad ou mesmo um net ou notebook que são vendidos em toda esquina em 12, 15, 18x sem juros no cartão.”

    A sua interpretação do meu texto resultou nessa conclusão? Assim fica difícil de argumentar…

    Quantas aeronaves a Gol tem com o Sky Interior? A primeira chegou em…..

    Realmente, o sistema não atendeu as minhas expectativas, por isso a critica no texto. Mas se atendeu às suas, isso é ótimo para você que tem mais um motivo para voar Gol e eu não desmereço sua opinião!

    Cada consumidor tem suas necessidades e deve fazer escolhas baseadas nelas.

  14. graubi disse:

    Eu ainda acho que o entretenimento mais prático e barato é liberar a birita. Fui pra Barcelona com a Qatar e quase não usei o sistema de entretenimento, mas tomei todas e nem vi o tempo passar.

  15. Rodrigo disse:

    Perfeito, os 2 juntos seria o ideal, e quem quisesse poderia optar em ter ou não internet paga, concordo.

  16. Rodrigo disse:

    Boa! KKKKKK

  17. gabebritto disse:

    Achei um grande engodo esse sistema.

  18. Henrique disse:

    Caro,

    Não entrava no AP há alguns meses. E quando acesso o site me deparo com mais uma excelente matéria sua.

    Sábias palavras. parabéns

    Abraço

  19. Fabio disse:

    I agree

  20. Luiz disse:

    Acabei de voltar num voo BSB-CNF com o sistema a bordo. Apesar do conteúdo limitado, deu para passar o tempo ouvindo podcasts de programas da CBN (do dia anterior) que eu costumo ouvir todo dia no meu carro. Tinha alguns vídeos de programas do sportv, mas esses não funcionaram.

    []s

    Luiz

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.