Liberty of Seas: Diversão no Mar Para Todas as Idades

30 de janeiro de 2011 | Por | 47 Comentários More

Mais um texto off topic sobre uma experiência de viagem minha que pode ajudar alguns dos leitores na elaboração de uma viagem a Miami, destino que tem apresentado boas ofertas de passagens nos últimos meses.

Como tive que usar as minhas milhas Smiles que estavam vencendo a contragosto, aproveitei a passagem emitida para o Caribe para dar um pulo nos EUA e fazer um cruzeiro com a família. Eu já tinha feito um cruzeiro pequeno no Majesty of The Seas, mas como alguns integrantes da família nunca tinham viajado de cruzeiro antes, optamos por um cruzeiro menor (4 noites) em um navio maior para ver como seria a adaptação deles.

Decisão e Compra

Avaliei várias possibilidades de cruzeiro na janela de dias que tinha, mas pela opção de fazer um cruzeiro menor e ao mesmo tempo em um navio mais imponente que o Majesty of the Seas, ficamos entre um cruzeiro da Disney partindo de Port Canaveral em direção às Bahamas (que já tinha conhecido no cruzeiro anterior) e um outro cruzeiro da Royal Caribbean International no Liberty of the Seas em direção a Cozumel, México. Não tinha interesse algum em Cozumel, mas tinha muito em conhecer a vizinha Playa Del Carmen. Como a idéia era descansar, os dias em navegação em alto mar viriam bem a calhar e optamos pelo Liberty.

Fui no site da Royal Caribbean International e fiz minha reserva (antes dei uma pesquisada nos sites internacionais para ver se a cotação era a mesma, e era). Para minha surpresa, nós brasileiros não podemos adquirir on-line o cruzeiro, mesmo o site estando escrito em português e o preços cotados em real. Tive que entrar em contato com a Royal Caribbean no Brasil para saber como pagar pelo cruzeiro.  Quando recebi o email de resposta foi uma decepção total. Eu tinha que imprimir um sem número de páginas e rubricá-las para depois enviar de volta por correio, além de fazer um depósito na conta da Royal Caribbean das taxas (quase 5o% do valor desse cruzeiro que tinha uma tarifa promocional de última hora). Uma vergonha ter que fazer isso. Espero que a Royal Caribbean no Brasil ajuste seu site rapidamente de forma a oferecer ao consumidor que busca diretamente a Royal a mesma condição que ele dá aos demais no exterior.

Procurei então um agente que ganha comissão para imprimir essas páginas e processar o pagamento. Descobri então que deveria dar um cheque referente às taxas e poderia pagar o restante no cartão.

Agradeci a atenção e fui fazer uma cotação no Cruise Compete (sempre informe na cotação que você mora no Brasil), um site que envia seu pedido para um grande número de agências especializadas no exterior e que fazem propostas diretas a você.

Várias agências americanas responderam e dentre elas duas que  eu já conhecia. Me ofereceram o mesmo valor cobrado no Brasil que poderia ser integralmente pago no cartão de crédito (inclusive as taxas), mas não podia parcelar como no Brasil, e ainda me davam um bônus de 60 USD na minha conta no navio. Nada de ficar rubricando papel e enviar pelo correio! Não tive dúvida e fechei meu negócio com a Cruise N More. No passado já tinha usado o serviço da SmartCruiser sem burocracia também.

Paguei no total 966 USD (incluindo todas as taxas) para uma cabine com vista para o mar (Oceanview), já que varanda não combina com crianças, ocupada por dois adultos e uma criança em um cruzeiro de  4 noites.

O Embarque

O Porto de Miami fica em Downtown Miami. Como tinha um carro alugado na Hertz a ser devolvido em Downtown mesmo, optei por despachar as malas e deixar a família no porto,  depois entregar o veículo e pegar uma van de cortesia de volta ao porto. A Budget e a Alamo tinham um serviço de leva e traz ao porto, mas vinculado às suas lojas no Rental Car Center do aeroporto de Miami e não com as lojas em Downtown. Na volta peguei um carro da Alamo e usei esse serviço.

Quem não estiver de carro pode fazer uma reserva em um dos hotéis que incluem serviço de leva e traz do hotel para o aeroporto e do hotel para o porto. Assim você economiza uma boa grana em táxis.

Quando voltei ao porto depois de entregar o carro, já era por volta das 12 horas e uma boa fila me esperava. Fica minha dica: Não quer pegar fila? Então chegue por volta da 11:ooh no porto, mesmo que na sua reserva fale que você só poderá entrar lá às 13:00h. Normalmente, eles começam mais cedo. Pelo menos isso sempre ocorreu comigo na Royal Caribbean em Miami.

O embarque andou de certa forma rápido e lá para 12:40h estávamos dentro do navio e indo almoçar. Normalmente, as cabines são liberadas um pouco mais tarde, assim vale a pena embarcar com uma bolsa de mão com uma roupa mais esporte, roupa de banho e medicações que possa necessitar até o meio da tarde… A minha cabine foi liberada por volta das 13:30h, mas as malas só chegaram mesmo lá pelas 17h.

O Navio


O Liberty faz parte da Classe Freedom da Royal Caribbean que inclui ainda o Freedom of  the Seas e o Independence of the Seas. Navios semelhantes que comportam até cerca de 3.600 hóspedes. Eles ficaram por muitos anos no topo dos maiores dos mares até a chegada dos gigantescos Oasis e Allure of the Seas da mesma Royal que deixaram os demais para trás com larga vantagem. Pelo que li, os navios da Classe Freedom devem passar por reformas leves em breve para a instalação de equipamentos e serviços que estão fazendo sucesso nos irmãos maiores.

A vista do elevador panorâmico dá impressão de estar em um edifício e não em um barco!

Com 15 decks, sendo que as cabines começam no segundo deck, o navio é um mundo a explorar. A manutenção e a limpeza são impecáveis.

Possui 3 áreas de piscinas (uma infantil – H2O Zone, uma do agito e uma mais calma só para adultos). Aquele tempo de micro piscina em navio passou!

H2O Zone com espaço para crianças de todas as idades

A piscina do agito é essa. Nessa hora a maioria ainda dormia...

A piscina só para adultos

Um grande buffet (Windjammer) onde era servido o café da manhã informal, almoço (com uma estação asiática fixa, o Jade), lanche e jantar informal.

Existem vários buffets como esse servindo saladas, pães, carnes e doces

Uma parte do Jade que serve comida asiática (o sushi é decepcionante, mas o resto é interessante)

Muitas frutas sempre

Bebidas no buffet

Um grande restaurante disposto em 3 níveis (cada nível ganha um nome) onde eram servidos o café da manhã à francesa e o jantar mais formal.

3 restaurantes onde se paga uma taxa extra (o italiano Portofino, o Chops Steakhouse e a lanchonete Johnny Rockets).

Um pequeno calçadão cercado de lojas, bares, uma cafeteria e uma pizzaria onde eram feitas apresentações de música em um palco suspenso ou ao nível do chão mesmo.

Promenade, o calçadão

Pista de patinação (que é usada também para apresentações), muro de escalada, piscina de onda infinita para prática de surf ou bodyboard, mini golf, club infantil dividido por faixas etárias para crianças maiores de 3 anos (até os 3 anos existe uma estação de brinquedos Fisher Price, mas a presença dos pais é necessária), cassino, teatro, discotecas, spas, sala de ginástica….

Visão parcial da parede de escalada

FlowRider, a onda infinita

Mini Golfe

Fora isso, uma programação intensa para todas as idades e gostos. De aula sobre vinhos e jóias a como dobrar toalhas e guardanapos em forma de bichos… Algumas grátis e outras pagas à parte.

Como a idéia principal foi a de descansar, posso dizer que conheci todo o navio, mas não devo ter aproveitado nem 50% do que ele tinha para me oferecer.

A Cabine

Como era de se esperar, a cabine não é lá tão espaçosa (aqui você encontra uma descrição dela), mas cumpre bem a sua função sem dar a sensação de claustrofobia. Você quase não fica nela.

Possui uma janela com diâmetro de pelo menos 1 metro fixa, uma cama de casal formada pela junção de duas de solteiro (que pode se separada do restante do quarto por uma cortina), um pequeno aparador com espelho, uma poltrona e uma mesa de apoio, além de um armário dentro do qual ficava o cofre.

Camas auxiliares podem ser armadas e estão embutidas no teto da cabine.

O banheiro é realmente pequeno, mas muito bem acabado e funcional.

Vale lembrar que o ponto peso do navio ficava ao nível do quarto deck no meio do navio. Acabei escolhendo um quarto próximo desse ponto a fim de reduzir a sensação de balanço. Quanto mais alto, mais se sente o balanço em dias de mar agitado. Vale lembrar que esses navios mais novos balançam pouco em condições normais. Posso dizer que o navio partiu e eu nem notei que ele estava em movimento… Mas em dia de mar agitado, há um certo balanço sim, mas nada que venha estragar sua viagem. Se você for sensível, procure seu médico e faça uso preventivo da medicação prescrita e aproveite sua viagem.

A Experiência

Gostei muito desse cruzeiro e fiquei com a sensação de que descansei mais nele do que no resort de Punta Cana. Mas essa opinião não foi unânime no meu grupo, apesar de ninguém ter reclamado da viagem de navio.

Tudo está a um elevador de distância. Uma facilidade para quem viaja com crianças ou idosos.

Falando em crianças, sempre há algum local aberto servindo comida, já que o café da manhã, almoço e jantar no bufffet eram separados por apenas 3o minutos de intervalo. Enquanto o buffet está aberto sempre tem limonadas, água saborizada, suco de laranja (apenas no café da manhã), água ou chás disponíveis. Bebidas alcoólicas, água mineral, sucos em garrafa/lata e refrigerantes são cobrados à parte.

A comida não é maravilhosa ou memorável, mas há muita opção de pratos que com certeza vai agradar todos os gostos. Nos primeiros dias você prova de tudo, depois fica só no que mais gosta mesmo.

Não fiz uso dos restaurantes de especialidade que cobram um extra pela reserva. Assim não posso dar opinião sobre eles.

Por causa das crianças, jantei a maior parte das vezes no buffet e posso dizer que a comida não diferia muito em gosto da oferecida no salão mais formal. Inclusive, cerca de 80% das opções oferecidas no salão formal estavam disponíveis também no buffet de jantar. Se você não gosta de formalidade ou , como eu, viajou com crianças pode optar por jantar com elas no buffet ou ainda descer depois para jantar no restaurante principal. Eles têm ainda um esquema onde é possível jantar mais cedo no salão principal com as crianças primeiro e depois elas são encaminhas ao kids club para que os pais possam jantar mais sossegados.

A única ressalva é que os cruzeiros da RCCL estão sendo invadidos por uma série de atividades ou de restaurantes/bares cujo uso é pago à parte ou tem uma taxa fixa de uso.  Assim sorvetes da Ben&Jerry, hambúrgueres do Jonhy Rocket (lanchonete) e algumas aulas de ginástica, por exemplo, eram associados com custos extras pagos à parte. Uma tendência das cias aéreas que tem chegado ao mercado de cruzeiros. Isso reduz um pouco aquela sensação de all inclusive que o cruzeiro normalmente está associado. Eu não fiz uso desses serviços extras e nem por isso minha viagem ficou menos completa.

Como descansei e ainda consegui fazer minha visita corrida à Playa Del Carmen, posso dizer que fiquei com saudades do cruzeiro. Passou a ser uma das minhas primeiras opções quando estiver viajando com crianças e a intenção for descansar corpo e mente (normalmente descanso muito minha mente, mas não dou muita folga para o corpo nas minhas viagens…). Estou pronto para outro com uma duração maior!

Devido às curtas distâncias até várias ilhas no Caribe e adjacências, Miami e a vizinha Fort Lauderdale (cidade que tem me agradado cada vez mais)  têm portos que oferecem um grande número de cruzeiros  resultando em uma grande concorrência de preços entre as operadoras de cruzeiros. Uma busca de 20  a 45 dias antes do início do cruzeiro pode começar a revelar preços bem inferiores aos normalmente praticados. (só não dá para ficar escolhendo cabine). Um bom custo benefício, mesmo adicionando o preço da passagem aérea.

Para quem quer dicas do que fazer em Cozumel, dê um pulo no Viaje na Viagem e veja uma lista de posts da comunidade VnV. Eu mesmo não conheci Cozumel, fui à Playa Del Carmen.

Para mais experiências de viagens em navio, dê um pulo no Viajar e Pensar do Gustavo Belli.

O Gabriel Dias deixou a dica na caixa de comentários de uma série de informações relacionadas a cruzeiros no Falando de Viagens.

Atualização 01/02/11: Não esqueça de visitar o  Pelo Mundo da Mari Campos que tem várias dicas de Cruzeiros e ainda publicou um guia: O Pequeno Livro dos Cruzeiros!

Tags:

Category: Dicas de Viagem, Fora do tema pero no mucho

Comentários (47)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Kely disse:

    Rodrigo, eu de novo 😀
    Comecei a planejar a viagem pra Miami e pegar o Liberty,
    Vc acha viável chegar no dia da saída do navio? o voo chega as 6:00
    Pretendo ficar mais alguns dias em Miami, mas estava pensando em depois.
    Obrigada

  2. Gabriel Dias disse:

    Se houver algum atraso no seu voo você poderá perder o navio. E se não tiver feito seguro, perderá todo o dinheiro investido. É aconselhável chegar um dia antes.

  3. Marcelo disse:

    Kely,
    Chega um dia antes, como o gabriel sugeriu.
    De quebra, aproveita o dia e a noite de Miami.
    E bem melhor prevenir!

  4. Kely disse:

    Oii Obrigada, Pois é tb tenho medo…
    Vou pegar um vôo que chega no mesmo dia…
    Valeu

  5. Rodrigo Purisch disse:

    Kely,

    Você está assumindo um risco. Resta saber o quanto você tolera esse risco.

    Eu só assumiria ele se tivesse algum seguro e/ou escolhesse uma cia aérea que pelo menos operasse dois ou 3 vôos no mesmo dia partindo do mesmo aeroporto para os EUA, sendo que escolheria voar no primeiro deles. Vai que tem um problema, ainda tenho chances de conseguir outro com conexões para chegar em Miami antes da 14 horas…

    Agora se você está pensando em fazer muitas compras e bater pernas pela cidade, te aconselho é fazer isso antes da viagem de cruzeiro.

    Ai você descansa nele e chega no Brasil descansada ao invés de ter que tirar umas férias para descansar do final das férias..rsrsrs

  6. Apesar de não aconselhável eu já fiz isto de chegar em Miami no dia do Cruzeiro.
    Ano passado cheguei do Brasil às 6 da manhã, fui a um Supermercado na Airport Area e depois embarquei no Cruzeiro.
    Em outra ocasião estava em NY, cheguei em Miami às 11h, e fui ao porto.
    Realmente bom é chegar antes, mas se impossível, faça um seguro de Translado ou de Reembolso.
    Risco cada um sabe qual deseja correr.

  7. Kely disse:

    Nossa lendo agora, me expressei mal, vou pegar um voo pra chegar um dia antes, não vou arriscar, não há necessidade.
    Obrigada!

  8. Raquel disse:

    Rodrigo, bom dia!
    Você ficou hospedado em algum hotel em Miami, ou conhece algum e pode indicar? Ficarei 3 noites na cidade,para algumas comprinhas, antes de voltar para SP.
    Obrigada

  9. Marcelo disse:

    Raquel,
    Tratando-se de “comprinhas”, os Hoteis próximos ao aeroporto sao boas alternativas.
    Qual o valor por diária, que você tem em mente?
    Alguma região em especial, ou airport area atende bem?

  10. Raquel disse:

    Estive em Miami apenas uma vez, em 2002, e fiquei em um hotel 3* na Collins,na altura do número 6000; minha agente de viagem, na época, nos recomendou que ficassemos em Miami Beach por causa da segurança.
    Não gostaria de repetir o hotel,mas não sei se repito a localização, um pouco mais ao sul, talvez, ou fico em outra região. Gostaria de fazer compras, mas também de conhecer alguns lugares em que não estive daquela vez.
    Quanto ao valor, acho meio relativo. Não precisa ser hotel de luxo, mas um hotel médio, confortável, de onde possa me deslocar com facilidade.
    Sempre que viajo, gosto de receber indicações de hotéis já conhecidos de alguem, então entro no site e dou uma olhadinha para ver se me agrada. Se puder indicar algum, fico muito agradecida.

  11. Marcelo disse:

    Raquel,

    Hotel em Miami beach nao e referencia de segurança.
    Se esta pensando em fazer umas compras e alguns passeios, fuja desta localização que você colocou, porque e longe de tudo, e certamente você perdera horas importantes do seu passeio parada no transito ou mesmo dirigindo.

    A nao ser que vc queira muito ficar na praia, sugiro algum hotel em downtown, ou ainda próximo ao aeroporto (estacionamento mais barato, ou free).

    Certamente, conseguira um bom 4* nesses locais, pelo preço de um 3* em Miami beach

  12. Raquel disse:

    Marcelo,
    Na época, viajava com duas crianças pequenas, e lembro que ela disse que downtown era muito perigoso.Não sei se o receio dela era porque eu não tinha muita experiência em viagem internacional ou porque viajava com crianças.
    Desta vez vamos só eu e meu marido. Andei olhando os hoteis próximos ao aeroporto, como voce sugeriu, e realmente existem hoteis muito bons e mais baratos que Miami Beach.
    Existem alguns no lado sul do aeroporto, próximos do Lago Azul. Essa é uma boa região?

  13. Marcelo disse:

    Gabriel,
    To ligando no seu celular.
    Tira o escorpiao do bolso, e atende em roaming internacional.
    Abraço

  14. Marcelo disse:

    Raquel.
    Na opção em downtown, avalie os Hoteis no bayfront, como holiday in e intercontinental.
    Quanto aos Hoteis do airport area, tem uma infinidade que vale a pena.
    Hoje estive no best western premium, na flager com a 41th, visitando um contato lá hospedado.
    Achei bem adequado, com estacionamento, café da manha e internet gratuitos (obviamente, nada e grátis, faz parte da diária), ele pagou use 130.00 já com taxas.
    Pra vc ter uma idéia, paguei aqui no Conrad, usd 270.00 com taxas + uns 40 de estacionamento. Internet e café da manha foram gratuitos por relacionamento, mas normalmente cobram.
    Hoteis próximos ao aeroporto sao as melhores opções em custo x beneficio

  15. Gabriel Dias disse:

    hahahahaha, o escorpião não deixou! Brincadeira, ficou o dia todo em airplane mode. Amanhã estarei em Miami Beach durante toda a tarde. Meu celular estará ligado. Abraços!

  16. Gabriel Dias disse:

    Paguei U$142.00, sem taxas, no Residence Inn onde estou, na região do aeroporto. Estacionamento U$15.00 ao dia. Café da manhã e Internet grátis. Em 10 minutos chego em Miami Beach ou Downtown.
    Estaciono em Miami Beach pagando U$1.00 a hora, sem ter que ficar procurando vagas.

  17. Marcelo disse:

    Gabriel,

    Surgiu um imprevisto, e terei que voar ate charlotte amanha ou quinta feira.
    Se ficar aqui em mia, te telefono.
    Cara, to de bobeira no bar do hotel, tomando um drink porque o dia foi pauleira
    Fica aí, uma informação pra galera do AP, off topic:
    O bar do hotel Conrad Brickell e muito bem freqüentado, ambiente bastante interessante, alternativo aos tradicionais points de south beach, porém, e bem família e encerra pontuamente as 23 hs.
    E acreditem, a bar woman faz uma caipirinha legal.

  18. Gabriel Dias disse:

    Estou no complexo Miami Marriott Airport Campus. Maiores informações aqui: http://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=126&t=965
    São três hotéis, de diferentes categorias, do Marriott.

  19. Gabriel Dias disse:

    Estou aqui até sexta-feira. Depois volto para o Brasil. Mas em março estarei de volta aqui.

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.