Tam Consegue Piorar Ainda Mais as Regras para Emissão de Passagem para Voar na América do Sul Usando Pontos

19 de outubro de 2011 | Por | 112 Comentários More

A Tam iniciou o envio de emails anunciando que a partir de 21 de novembro de 2011 mudará o número de pontos necessários para a emissão de passagens para voar dentro da América do Sul (exceto Brasil).

Para quem está lembrado, desde 01 de julho de 2011 (há poucos meses atrás) ela alterou as regras de forma que passou a cobrar 15 mil pontos por trecho dentro da América do Sul ao invés dos 10 mil pontos usuais. Só isso já deixou muita gente insatisfeita.

Agora, ela comunica que passará a utilizar também nas rotas dentro da América do Sul a tabela dupla de Alta e Baixa estação que ela já usa em vôos para fora da América do Sul.

Assim, para voar na Alta Estação do Fidelidade (de 11 de dezembro a 14 de março e de 01 de julho a 15 de agosto) você precisará gastar para emitir vôos dentro da América do Sul (exceto Brasil):

20 mil pontos por trecho (40 mil ida e volta) para voar na Econômica

30 mil pontos por trecho para voar na Executiva (60 mil ida e volta)

40 mil pontos por trecho na Primeira Classe (essa é encontrada apenas em pouquíssimos vôos).

Fora dessas datas e emitindo as passagens com mais de 7 dias de antecedência do vôo, paga-se 15 mil por trecho na Econômica (30 mil ida e volta), 20 mil na Executiva (40 mil ida e volta) e 30 mil na Primeira Classe.

O Fidelidade Tam sempre anunciou dois grandes atrativos: mínimo de 1.000 pontos por vôo e emissão sem restrição no caso de assento disponível para venda em vôos dentro da América do Sul (incluindo Brasil).

Os 1 mil pontos existem ainda, mas as tarifas mais descontadas acumulam apenas uma fração desse valor (como também faz o Smiles e outros programas de fidelidade de grandes cias aéreas pelo mundo). A facilidade de emitir passagens para voar na América do Sul sem restrição está ficando cada vez menos vantajosa.

Se Junta a isso, a regra que limita a emissão de passagens à 3 ou 6 meses de antecedência do vôo que gera um ansiedade entre seus associados, além da dificuldade de emissão de passagens Tam para destinos atendidos nos EUA, um objeto de desejo de uma grande parte dos associados, como as passagens para a América do Sul.

Parece haver um claro movimento dentro da Tam a fim de desestimular o uso de seu programa de Fidelidade (que cresceu muito durante as dificuldades da Varig), mesmo tendo criado uma empresa para ganhar dinheiro com venda de pontos para terceiros, o Multiplus.

O Fidelidade Tam é o programa mais criticado pelos leitores do Aquela Passagem, foi o pior avaliado em nossa pesquisa junto aos leitores e não se preocupa nem um pouco sobre como sua marca e seu nome está associada a uma enxurrada de críticas nas mídias sociais.

A Tam tem direito de fazer o que quiser do seu programa de Fidelidade e você aceitou isso quando se associou a ele. Mas você consumidor também pode escolher qual programa quer usar ou para aonde vai transferir suas milhas ou pontos do cartão de crédito.

Se o programa não te atende, procure outras opções. Existem várias dentro da Star Alliance (aliança da qual a Tam faz parte até o momento) para quem viaja muito e pretende usar suas milhas/pontos para voar para o exterior e um número bem menor de opções para quem voa muito dentro do Brasil e pretende voar principalmente dentro da América do Sul.

Se você vai gastar 40 mil pontos em uma passagem de ida de volta, por exemplo, para voar para Buenos Aires na Alta Estação morando em São Paulo, você pode ficar pensando:

Melhor usar os mesmos 40 mil para voar na Baixa estação para os EUA! O problema é conseguir facilmente emitir uma passagem para voar na Tam na baixa estação para os EUA usando só 40 mil pontos. As passagens existem em número muito limitado, mas você tem que ter muita perseverança, flexibilidade de datas e paciência para consegui-las (nem que seja em uma parceira).

Melhor então gastar 20 mil e voar dentro do Brasil. Que tal Manaus, São Luiz ou mesmo um vôo mais curto em uma data mais concorrida com passagens mais altas?

Quem tem milhas/pontos no cartão de crédito logo pensa:

Melhor mandar essas 40 mil para o Smiles e gastar umas 30 mil em uma passagem (ida e volta) para o Caribe ou 20 mil em uma passagem para os destinos que a Gol ainda opera na América do Sul (deixou de voar para Bogotá neste ano). O negócio é conseguir emitir uma passagem Smiles para voar para o Caribe na alta estação. Só com antecedência (coisa que o Smiles permite)! Muita gente andou chegando nessa conclusão acima e o número de vôos da Gol para o Caribe é ainda é muito restrito. Quem está no Smiles já sentiu uma maior dificuldade ao procurar passagens nas rotas mais concorridas, em parte por uma migração de pessoas que usavam o Fidelidade.

Milhas/pontos são ótimos quando se sabe usar (isso é aprendido e ninguém nasce sabendo) e se tem flexibilidade de datas, mas elas não oferecem todas essas maravilhas que cias aéreas vivem prometendo (para começar não existe passagem grátis, você pagou por ela com sua fidelidade) e que muitos sites gostam de divulgar. Não se engane, pois depois quem sofre é você mesmo!

Mais uma vez vou repetir meu mantra e em letras ainda maiores:

Milha boa é milha gasta com sabedoria e o mais rápido possível. Não encare suas milhas como um depósito de longo prazo em uma conta poupança, já que a cia pode mudar as regras do programa, passar por dificuldades financeiras ou deixar de voar um destino desejado. Sem contar que algumas dificultam ao máximo a emissão de uma passagem prêmio.

Obrigado a todos os vários leitores que mandaram emails ou deixaram comentários alertando sobre a mudança!

Tags: , , ,

Category: Programas de Fidelidade Aérea

Comentários (112)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. RABUGENTO disse:

    Daqui a 10 anos estarei com 73 e aí é que não irei mesmo.

    Já estão precisando de gente lá para consumir mas ainda não acordaram.

    Sou consumista e estava com vontade de ir fazer umas comprinhas.

    Acho que vou é para a Europa novamente e outra vez vir com as malas cheias de vinhos comprados por preços justo. Aqui os atravessadores estão muito gananciosos e depois acusam os impostos que, sabemos muito bem, não é o que está encarecendo esse produto.

  2. wagner disse:

    O Brasil continua com a mesma franquia, está na lista de exceção.

  3. Valdir disse:

    Acho que a Tam ainda é a única companhia que conheco que tem uma categoria “First *”, nos vôos america do sul, que é uma primeira classe com serviço de executiva.

    cheguei de um vôo de santiago ontem ida e volta first com minha mulher (GRU-SCL-GRU), 120mil milhas gastas e tem-se o seguinte: a) disponibilidade de booking imediata; b)serviço de terra excelente; c) checkin ótimo (principalmente para quem está acostumado com o caos de GRU); d) sala VIP da first um tanto quanto pequena (mas que me impressionou por ter blue label para servir); e) transfer hotel-aeroporto ok; mas f) o serviço de bordo é simplesmente bisonho. aeromoças que passavam mais tempo vendendo produtos duty free do que se preocupando com servir o passageiro. dizem que não compensa ter serviço first “de verdade” a bordo porque é vôo de “curta duração”. já voei GRU-EZE pela Lufthansa também em first e isto simplesmente não existe. First é First e ponto. Só na Tam que não.

    e mesmo para executiva estava fraquinho. amenities? nada!

    seleção de filmes datada,precisam urgentemente atualizar.

    recepção a bordo com champanhe ou espumante? só água e suco.

    a decepção só não virou indignação porque pelo menos eles são sinceros de colocar no site esta situação esquisita, e daí eu sabia previamente. mas não acreditei até ver.

    enfim, jamais pagaria mais de 10k o casal ida e volta para uma proposta como a da Tam.

  4. Rodrigo Purisch disse:

    Valdir,

    Obrigado pelo feedback!

  5. Fernando Lima Gama Junior disse:

    Fui tentar emitir uma passagem para fevereiro e descobri que a partir de ontem (1/11/11), a TAM piorou ainda mais o seu programa de pontos. Agora a restrição de 3 meses de antecedência para emissão de bilhetes prêmios que era aplicada apenas a vôos na América do Sul é também aplicada aos vôos nacionais. Para viajar em 28 de fev, terei que fazer a emissão em 28/11.

    É verdade!

    🙂

  6. Fernando Lima Gama Junior disse:

    Tribunal chileno nega recurso apresentado pela LAN para a reavaliação de tarifas
    Órgão regulador desconhece erros de cálculo nos yields da rota São Paulo-Santiago após decisão que permitiu a fusão com a TAM

    Fonte: InfoMoney
    Data: 04/10/2011 19:19

    SÃO PAULO – O TDLC (Tribunal de Livre Concorrência do Chile) negou o recurso da companhia aérea LAN para a reavaliação dos preços de tarifas exigidos para aprovar a fusão com a brasileira TAM (TAMM4). O órgão regulador informou que não aparecem erros de cálculo nas condições para a aprovação da fusão e que não serão feitas retificações sobre a última decisão do tribunal.

    Em comunicado, o TDLC afirmou que não aparecem erros de cálculos porque os resultados foram obtidos por meio das informações disponibilizadas pela LAN e pelas fórmulas e procedimentos estabelecidos no Plano de Autorregulação.

    No último dia 21, o TDLC exigiu que algumas medidas de mitigação fossem implantadas, como o compromisso de não elevar os preços na rota São Paulo – Santiago e “proteger os consumidores do impacto da fusão”. Seis dias depois, a LAN apresentou um pedido de retificação ao tribunal, alegando erros no cálculo dos yields (tarifa por quilômetro em cada rota) da companhia.

    Na manhã desta terça-feira (4), a TAM e a LAN afirmaram que pretendem prosseguir com o processo de fusão e que as medidas de mitigação não terão impactos significativos sobre as sinergias estimadas com a integração das duas empresas. O negócio deve ter sua integração concluída até o final do primeiro trimestre de 2012.

  7. Rafael Bahia disse:

    Sempre foi assim!!!

  8. Fernando Lima Gama Junior disse:

    Será? A mensagem era clara – “a partir de 01/11/2011, os voos…”. E se eu não me engano já emiti trecho nacional com mais de 3 meses de antecedência. 🙂

  9. ACHEI TAMBÉM UM ABSURDO O AUMENTO DE PONTOS/MILHAS TAM PARA VÔOS DENTRO DA AMÉRICA DO SUL. PODERIA MANTER OS 10.000 PONTOS, E OS ÚLTIMOS A ADQUIRIREM BILHETES EM CIMA DA HORA, GASTARIAM 15.000 PONTOS, ISSO EM CLASSE ECONÔMICA.
    COM RELAÇÃO AOS PROGRAMAS DE FIDELIDADE DA TAM E DA GOL, POSSUO OS DOIS, AMBOS TEM VANTAGENS E DESVANTAGENS ! DENTRO DO BRASIL, COM A TAM, COM A ATENCIPAÇÃO DEVIDA DE 3 MESES, VOCÊ CONSEGUE PASSAGEM POR 4.OOO PONTOS O ANO INTEIRO, JÁ A GOL, FAZ A PROMOÇÃO DAS REDUZIDAS POR UM CERTO PERÍODO DE TEMPO, ATÉ DATA TAL, MÊS TAL DE EMBARQUE ETC. AMBOS PROGRAMAS SÃO BONS, BASTA SABER APROVEITAR A MELHOR ÉPOCA, OPORTUNIDADE, PROMOÇÃO PARA USURFRUIR GASTANDO MENOS MILHAS/PONTOS POSSSÍVEL.

  10. LUIZ FILIPE LISKA disse:

    OI RABUGENTO TO TÁ ESNOBANDO, BEJO DO FOFOOOOOOOOOOOOOO

  11. LUIZ FILIPE LISKA disse:

    OI RABUGENTO, TUDO BOM, QUER VENDER 50 MIL PONTOS PRA FOFO EU COMPRO, UM ABRAÇO DO FOFOOOOOOOOOOOOOOO

  12. Camilo disse:

    Estou planejando uma viagem à Orlando, já estava com uma boa quantidade de milhas no cartão e resolvi aproveitar a baixa temporada do primeiro semestre de 2012. Antes de transferir liguei para a Smiles, já que tantos comentaram positivamente a emissão pela AA, e só ouvi “Não confirma disponibilidade”, desanimado entrei no site da TAM, e logicamente me decepcionei mais ainda, como última alternativa liguei para a TAM, depois de algumas tentativas eu tive uma idéia: CONSULTAR PARA TAMPA! (130km de Orlando), e consegui disponibilidade indo de United (conexão em IAD) e voltar de Continental (conexão em IAH), transferi meus pontos e dois dias depois emiti mais uma passagem pelo (IN)fidelidade. Pelo menos as demais empresas da Star Alliance não são tão ridículas como a TAM que tenta extorquir na emissão por pontos.

  13. Gabriel Dias disse:

    Quantas vezes você ligou para o Smiles tentando?

  14. Paulo disse:

    A verdade é que a TAM piora cada vez mais seu inFidelidade.

    Os atendentes tentam ser simpáticos, mas a TAM é muito ruim. Fica cada vez mais claro a diferença de atendimento e interesse com o cliente entre TAM e Smiles/Gol.

    A TAM, apenas como última, entre as últimas opções.

  15. Camilo disse:

    Durante a procura foram três ligações, em um prazo de 10 dias, para cada empresa até encontrar com a Star Alliance. Na Smiles um atendimento foi de imediato, os outros dois com mais de 20 minutos de espera, na Tam estava variando de imediato até 10 minutos de espera (lembrando que só no terceiro telefonema que eu resolvi questionar sobre TAMPA). Hj teve o quarto telefonema com a TAM para a emissão (atendimento imediato). O período solicitado foi entre a segunda quinzena de abril e a primeira quinzena de maio.
    Bem que eu queria ter achado da AA para Orlando com conexão em Miami, mas vou fazendo meu “zig-zag” até Tampa, foi o que eu consegui.

  16. Gabriel Dias disse:

    Muito pouco tempo, Camilo. A disponibilidade varia o tempo todo. Se você tivesse mais tempo poderia conseguir algo melhor. Eu fiquei 2 meses para emitir duas passagens na primeira classe. O segredo é ter paciência e checar a disponibilidade sempre, pois sempre muda.

  17. glauber disse:

    Andei pesquisando o carnaval pelo smiles e só achei trechos de 20 mil. Na tam tem por 10 mil para todos dias…. Pelo visto a tam vai levar meus 40mil pontos pela 2a vez seguida. Dificil comparar o Smile com o Fidelidade na questão trasnparência! É como comparar o muito ruim com o pior ainda!

  18. glauber disse:

    A propósito, na minha ultima transferencia pra tam me surpreendi com 10% a mais de premio do santander pois eu nem sabia da promo. Alguem sabe se tem alguma promo vigente de algum banco pra transferir pro fidelis?

  19. Joao Carlos disse:

    Amigos

    Alguém sabe informar se a TAM acabou com a tabela de baixa estação para os EUA? Há quase 2 meses entro no site para pesquisar e a pontuação sempre começa com 30k. Sendo que o normal é 65k ou 100k CADA TRECHO NA ECONÔMICA!!!!!!!
    Ela considera agora alta estação os 12 meses do ano e ficou caladinha sem dizer nada a ninguém?

    Obrigado!

  20. Paulo disse:

    A TAM há muito desrespeita seus consumidores.

    Pode muito eventualmente encontrar trechos nos valores informados nas tabelas de resgates, mas a norma é disponibilizar espaços por valores muitissimo superiores.

    Confiança e respeitabilidade são termos que a TAM tem dados várias evidências que desconsidera, idem para o serviço “Fale com o Presidente” – que me parece um SAC para baixo de medíocre.

    E… a cereja no sundae são pilotos em voos internacionais sem certificação em inglês que a TAM coloca para voar com o “compromisso” que tais profissionais somente operam a aeronave enquanto ainda em território brasileiro; Gostaria de saber se há como comprovar tal compromisso durante as madrugadas, antes que algum outro acidente mais sério volte a ocorrer com seus aviões.

Deixe um comentário

Os comentários publicados aqui são de exclusiva e integral responsabilidade de seus autores. Comentários que julgarmos conter termos chulos, que não respeitem a opinião dos demais, que tratem de problemas comerciais individuais com terceiros, que promovam o comércio de milhas, que tragam termos preconceituosos, que sejam identificados como textos publicitários ou que visem apenas denegrir a imagem de terceiros serão moderados e/ou excluídos. Comentários sem identificação clara de seu autor (nome e/ou email válido) também poderão ser excluídos.